Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Pintura Decorativa

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 01.03.2017
Os termos arte decorativa e arte ornamentel praticamente se equivalem. Decorar é ornar, é cobrir uma superfície com ornamentos.

Texto

Abrir módulo

Definição

Os termos arte decorativa e arte ornamentel praticamente se equivalem. Decorar é ornar, é cobrir uma superfície com ornamentos.

No sentido que lhe dá Visconti - ao criar em 1934, na Escola Nacional de Belas Artes - Enba, a cadeira de Arte Decorativa - de arte aplicada à indústria, antecipa o conceito moderno de design. Mas há também uma conotação pejorativa para o termo: é pintura que se desenvolve superficialmente, sem qualquer aprofundamento intelectual, sem uma expressividade fundada na emoção.

Porém como gênero, o termo pintura decorativa diz respeito às pinturas de forros e painéis parietais situados sobretudo no interior de igrejas, representado elementos arquitetônicos, rocalhas, chinesices e grutescos.

A pintura de perspectiva funda-se numa trama arquitetônica que visa, entre outros objetivos, ampliar e elevar o forro da igreja. Para Carlos Ott, trata-se de construir, dentro da igreja real, uma outra, imaginária. Esta outra igreja representa o céu e para sustentá-lo pintam-se colunas que dão continuidade às já existentes. Com o advento do Rococó, a pintura de perspectiva modifica-se: as rocalhas, ornamentos no formato de conchas estilizadas, substituem gradativamente os elementos arquitetônicos, até o desaparecimento do muro-parapeito. As chinesices muito comuns na Europa do século XVIII, que no Brasil parecem só existir em Minas Gerais e na Bahia, apresentam elementos orientais nas cores azul, vermelho e dourado. Já os grutescos reproduzem de maneira rebuscada elementos da natureza, figuras humanas, animais e formas imaginárias.

 

GÊNEROS na pintura. São Paulo : Instituto Cultural Itaú, 1995. (Cadernos história da pintura no Brasil, 8). p. 28.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: