Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Dança

Maxixe

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 29.03.2022
Maxixe é uma dança de salão surgida na segunda metade do século XIX no Rio de Janeiro, a partir da fusão de danças europeias, como a valsa e a polca, e afro-brasileiras, como o jongo e o lundu. Inicialmente estigmatizado pelas elites cariocas, o maxixe se dissemina por clubes, teatros de revista e salões. Até a década de 1930, foi um gênero popu...

Texto

Abrir módulo

Maxixe é uma dança de salão surgida na segunda metade do século XIX no Rio de Janeiro, a partir da fusão de danças europeias, como a valsa e a polca, e afro-brasileiras, como o jongo e o lundu. Inicialmente estigmatizado pelas elites cariocas, o maxixe se dissemina por clubes, teatros de revista e salões. Até a década de 1930, foi um gênero popular, tendo grande influência nos estilos musicais então nascentes do choro e do samba.

Em meados do século XIX, a polca é muito apreciada na cidade do Rio de Janeiro. Originária da Boêmia, país localizado na Europa Central, a polca se caracteriza por ser dançada em pares com maior proximidade entre os casais do que se praticava nos salões da época. É realizada em um compasso binário com divisões simples, especialmente em colcheias e semicolcheias. Na capital carioca, a polca sofre adaptações tanto no ritmo musical quanto nas figuras de dança de pares, aproximando-se do lundu. O lundu é uma dança de origem angolana também baseada em compasso binário, mas sincopada e com maior complexidade rítmica. No Rio de Janeiro, as danças em roda de matriz africana, como o jongo, acompanhada por tambores, ganham o acompanhamento do violão. As figuras de dança, por sua vez, trazem a umbigada como referência, numa aproximação dos pares vista como promíscua para a crítica racista e elitista da época. O maxixe é fruto do encontro entre essas duas danças, que rapidamente passam por inovações no contexto de efervescência cultural urbana da época.

Em termos estritamente musicais, o maxixe também recebe influências das recombinações promovidas pela disseminação da habanera1no continente americano. Ernesto Nazareth (1863-1934), pianista de formação erudita, é um importante compositor do período, tendo escrito tanto maxixes quanto tangos brasileiros, além de ter atravessado as fronteiras entre tais estilos. Uma das suas obras mais conhecidas, Odeon, alterna ambos os gêneros em suas diferentes seções.

A dança do maxixe se difunde horizontalmente, não se limitando aos salões aristocráticos. Além disso – de certo modo por ser considerado ordinário como o vegetal – o gênero artístico maxixe carrega o estigma da imoralidade. No final do século XIX, sofre contínuos ataques da imprensa, da Igreja e, sobretudo, das elites políticas e sociais. O alvo preferido são as figuras de dança, cujos corpos dos pares se enlaçam em movimentos lascivos, vistos como atendados ao pudor. É importante destacar que os ataques ao maxixe são derivados da violência racial que faz parte da sociedade carioca. O imoral e o insuportável para as elites naquela época é a participação de pessoas brancas, sobretudo mulheres, nos salões de maxixe. Por esse motivo, os compositores evitam alcunhar suas obras com o gênero maxixe, recorrendo a derivações do gênero europeu para nomeá-lo, como polca-brasileira, polca-chula, polca-cateretê e polca-lundu.

A intolerância ao maxixe está fartamente documentada na imprensa e em documentos oficiais da época. Em 1907, por exemplo, o Ministro da Guerra, Hermes da Fonseca (1855-1923), proíbe a execução do gênero por bandas militares em cerimônias oficiais.

O violão é o instrumento mais característico do maxixe, porque exprime tanto harmonia quanto ritmo simultaneamente. Além disso, seu uso é importante para a popularização do maxixe, não apenas pela evidente portabilidade, mas também por já ser amplamente utilizado na música e nas danças populares, como no lundu. O piano também foi um importante instrumento de acompanhamento do maxixe, mas é limitado em termos de locomoção. No entanto, tem papel decisivo como instrumento de composição de peças e como alocação do gênero no intervalo entre a música erudita e a música popular.

Além de Ernesto Nazareth, também contribuem decisivamente para a sincopação da polca, criando terreno fértil para o surgimento do maxixe, artistas como a musicista Chiquinha Gonzaga (1847-1935), o maestro Anacleto de Medeiros (1866-1907) e o compositor Joaquim Antonio Callado (1848-1880).

O contexto histórico de surgimento e estabelecimento do maxixe coincide com o que alguns estudiosos apontam como o período inicial da música de massas. Mesmo antes das primeiras gravações fonográficas no início do século XX, ocorre, no final do século XIX, um fenômeno de popularização das composições do maxixe e de outros gêneros correlatos por meio da impressão e da comercialização de partituras musicais.

Uma característica marcante dos títulos e das letras dos maxixes é o jogo de perguntas e respostas. Tal sistema atua como impulso que anima a proliferação de composições e de inovações estilísticas. 

O maxixe é muito popular até a década de 1930, sendo ultrapassado pelo samba e outros gêneros de dança que passam a ocupar o espaço dos salões da cidade do Rio de Janeiro. Todavia, o maxixe é decisivo para a formação tanto de novos gêneros de dança, quanto de novos estilos musicais, como o choro e o samba.

Nota

1. Música e dança criada em Havana (Cuba) a partir de ritmos africanos. 

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: