Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Marco Giannotti

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 26.09.2018
1966 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Sem Título, 2001
Marco Giannotti
Óleo e esmalte sobre tela

Marco Garaude Giannotti (São Paulo SP 1966). Pintor, gravador, tradutor e professor. Entre 1977 e 1980, freqüenta o ateliê de gravura em metal e desenho de Sérgio Fingermann (1953), em São Paulo. Mora em Nova York entre 1980 e 1982, onde participa de cursos de arte no The Metropolitan Museum of Art (MET). Ganha o prêmio aquisição do Salão Nacion...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Marco Garaude Giannotti (São Paulo SP 1966). Pintor, gravador, tradutor e professor. Entre 1977 e 1980, freqüenta o ateliê de gravura em metal e desenho de Sérgio Fingermann (1953), em São Paulo. Mora em Nova York entre 1980 e 1982, onde participa de cursos de arte no The Metropolitan Museum of Art (MET). Ganha o prêmio aquisição do Salão Nacional de Artes Plásticas, no Rio de Janeiro, em 1986 e 1988. Em 1987, recebe a Bolsa Ivan Serpa, da Fundação Nacional de Arte (Funarte), no Rio de Janeiro. No ano seguinte, forma-se em filosofia na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Ainda em 1988, realiza suas primeiras exposições individuais em São Paulo e no Rio de Janeiro e recebe o prêmio aquisição no 2° Salão da Bahia. Conquista o prêmio aquisição no Salão de Brasília, em 1989. Defende, em 1993, mestrado em filosofia na FFLCH/USP com a tradução e introdução crítica da Doutrina das Cores, de Goethe (1749-1832). Em 1994, Carmela Gross (1946) é sua orientadora no doutorado em artes plásticas, concluído em 1998 na Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA/USP), com a exposição Circuitos e o texto Desvio para a Pintura. Em 1997, recebe o prêmio de pintura da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA). É professor do Departamento de Artes Plásticas da ECA/USP desde 1998.

Análise

A produção de Marco Giannotti, na opinião do crítico de arte Lorenzo Mammì (1957), insere-se em uma categoria de trabalhos em que a forma é dada no decorrer do próprio processo de produção da obra, como na série em que pinta sobre papel fino, pregado sobre tela, sobre o qual utiliza uma mistura de óleo muito líquido, grafite, cera ou verniz. Por meio da superposição do papel na tela, a superfície pictórica se enruga e gera formas retorcidas.

Alguns quadros de Giannotti são povoados por letras ou traços, que remetem a uma caligrafia ou a formas figurativas indefinidas. Em Janelas (1993), o artista parte de fotografias feitas através de janelas e impressas na tela por meio de serigrafia. Essas imagens são remontadas e cobertas por camadas de pintura. Mas nelas ainda persistem restos de paisagem, fragmentos de molduras ou detalhes de construção, que se insinuam por entre a pintura. Já em trabalhos do final da década de 1990, começa a apresentar um maior uso da geometria, inserindo também, na composição, retas compostas por barras de ferro.

Como nota o historiador da arte Tadeu Chiarelli (1956), as obras mais recentes de Giannotti podem ser pensadas concomitantemente como apresentações de um espaço plano com áreas de cor e ainda como representações de um espaço ilusório, no qual figura e fundo parecem intercambiáveis. Essa tensão, que caracteriza a produção do artista, dá-se pela extrema horizontalidade das telas, que compelem o espectador a afastar-se ou caminhar à sua frente, para contemplá-las em sua totalidade.

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Durruti 4

Técnica-mista
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Sem Título

Metal e pigmento sobre madeira
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Sem Título

Óleo e esmalte sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Sem Título

Óleo e esmalte sobre tela

Exposições 134

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Marco Gianotti
O fascínio de Marco Giannotti pela pintura tem a ver com a capacidade que ela tem de registrar e retratar a história. “Através da obra de arte você consegue presenciar efetivamente algo que aconteceu 20 mil anos atrás, e aquilo se torna presente”, diz. Aos 12 anos, Giannotti inicia seus estudos de gravura com Sergio Fingermann, experiência fundamental em sua formação. “Embora eu não faça mais gravura, [meu trabalho atual] tem muito uma coisa de positivo, negativo, da impressão.” Para ele, o interesse dos artistas de sua geração – que desponta nos anos 1980 – pela pintura é de certa forma uma reação à geração anterior, “muito mais cerebral, duchampiana, analítica”. “A gente queria resgatar um pouco dessa visceralidade, essa experiência mais tátil e corpórea com a arte”, observa o artista. “A experiência da pintura realmente acontece quando o quadro surge de uma maneira totalmente surpreendente. Você se perde e se acha ao mesmo tempo”, completa.

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Erika Mota (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Fontes de pesquisa 20

Abrir módulo
  • BRAZILIANART Book III. Edição Marcos Barbosa Lima; curadoria Nair Barbosa Lima; versão em inglês Thomas William Nerney. São Paulo: Jardim Contemporâneo, [2002].
  • BRAZILIANART Book III. Edição Marcos Barbosa Lima; curadoria Nair Barbosa Lima; versão em inglês Thomas William Nerney. São Paulo: Jardim Contemporâneo, [2002]. R709.8104 B823b n.3
  • COSTA, Claudia. A musicalidade das cores e campos cromáticos. Jornal da USP. São Paulo, Ano XV, n° 523, 25 set a 1° out 2000. Disponível em: . Acesso em: jan. 2006. Não catalogado
  • COSTA, Claudia. A musicalidade das cores e campos cromáticos. Jornal da USP. São Paulo, Ano XV, n° 523, 25 set a 1° out 2000. Disponível em: [http://www.usp.br/jorusp/arquivo/2000/jusp523/vamos/destaque/destaq4.html]. Acesso em: jan. 2006.
  • FERREIRA, Telma Cristina. Novos geômetras. Galeria: revista de arte, Sao Paulo: Area Editorial, n.2, .64-70, 1986. P37/2/86
  • FERREIRA, Telma Cristina. Novos geômetras. Galeria: revista de arte, São Paulo: Area Editorial, n.2, .64-70,1986.
  • FESTIVAL LATINO-AMERICANO DE ARTE E CULTURA, 2., 1989, Brasília, DF. Novos valores da arte latino- americana / Brasil. Brasília: Museu de arte de Brasília, 1989. [40] p., il. color. DFflaac 2/1989
  • FESTIVAL LATINO-AMERICANO DE ARTE E CULTURA, 2., 1989, Brasília, DF. Novos valores da arte latino-americana / Brasil. Curadoria Olívio Tavares de Araújo. Brasília: Museu de Arte de Brasília, 1989. [40] p., il. color.
  • GIANNOTTI, Marco. Janelas, fachadas. São Paulo: MASP, 1993. 49 p., il. p&b. color. CAT-G G434 1993
  • GIANNOTTI, Marco. Janelas, fachadas. Tradução William Raymond Collins. São Paulo: MASP, 1993. 49 p., il. p&b. color.
  • GIANNOTTI, Marco. Marco Giannotti . Rio de Janeiro: Galeria Espaço Alternativo, 1988. [16] p., il. p&b. G434 1988
  • GIANNOTTI, Marco. Marco Giannotti. Rio de Janeiro ; São Paulo : Funarte ; Paulo Figueiredo Galeria de Arte, 1998.
  • GIANNOTTI, Marco. Marco Giannotti. Rio de Janeiro: Galeria Espaço Alternativo, 1988. il. color., fotos p.
  • GIANNOTTI, Marco. Marco Giannotti. Sao Paulo: Paulo Figueiredo Galeria de Arte, 1991. , il. color. G434 1991
  • GIANNOTTI, Marco. Marco Giannotti: oleodutos. Texto Luiz Costa Lima. São Paulo: Galeria Virgilio, 2005. [12] p., il. color.
  • MARCO Giannotti: oleodutos. Texto Luiz Costa Lima. São Paulo: Galeriavirgilio, 2005. [12] p., il. color. G434 2005/o
  • SALZSTEIN, Sônia. Questao de materialidade. Guia das Artes, São Paulo: Casa Editorial Paulista, v.3, n.11, p.42-46, 1988.
  • SALZSTEIN, Sônia. Questao de materialidade. Guia das Artes, São Paulo: Casa Editorial Paulista, v.3, n.11, p.42-46, 1988. P41/11/88
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 10. , 1988, Rio de Janeiro, RJ. 10º Salão Nacional de Artes Plásticas. Rio de Janeiro: Funarte, 1988.
  • SALÃO NACIONAL DE ARTES PLÁSTICAS, 10. , 1988, Rio de Janeiro, RJ. 10º Salão Nacional de Artes Plásticas. Rio de Janeiro: Funarte, 1988. RJsnap 10/1988

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: