Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Chanina

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 05.03.2021
16.10.1927
26.11.2012 Brasil / Minas Gerais / Belo Horizonte
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Sem Título, 1958
Chanina

Chanina Luwisz Szejnbejn (Zofjowce, Polônia 1927 - Belo Horizonte, Minas Gerais, 2012). Pintor, desenhista, gravador, ilustrador e professor. Emigra para o Brasil com seus pais, aos nove anos de idade, estabelecendo-se em Belo Horizonte. Cursa gravura em metal com Anna Letycia (1929), litografia com João Quaglia (1928) e composição com Fayga Ost...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Chanina Luwisz Szejnbejn (Zofjowce, Polônia 1927 - Belo Horizonte, Minas Gerais, 2012). Pintor, desenhista, gravador, ilustrador e professor. Emigra para o Brasil com seus pais, aos nove anos de idade, estabelecendo-se em Belo Horizonte. Cursa gravura em metal com Anna Letycia (1929), litografia com João Quaglia (1928) e composição com Fayga Ostrower (1920-2001), na mesma cidade, em meados de 1940.

Em 1946, estuda pintura e desenho com Guignard (1896-1962) e escultura com Franz Weissmann (1921), no Instituto de Belas Artes de Belo Horizonte, hoje Escola Guignard. Naquele mesmo ano, ingressa no curso de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), formando-se em 1955. Paralelamente ao exercício da medicina, dedica-se às atividades artísticas e ao ensino, tornando-se professor de pintura na Escola Guignard. Faz capas de livros e ilustrações, especialmente para o Suplemento Literário do Diário Oficial de Minas Gerais.

Em 1984, é premiado com a medalha da Inconfidência, comenda concedida pelo governo de Minas Gerais a personalidades que contribuem para a projeção da cultura mineira.

Análise

A obra pictórica de Chanina caracteriza-se por intenso colorismo e apoia-se numa abordagem em que a fantasia é a tônica dominante. Os temas de suas pinturas são os mais variados, incluindo paisagens, figuras, palhaços, cavalos e retratos, entre outros. Ao longo de sua carreira, Chanina também faz algumas incursões pela abstração lírica, em trabalhos como Abstração (1964) e O Sonho (1988).

Para o ensaísta Isaías Golgher, a gama de cores presente nesses trabalhos se harmoniza com a forma, pois sua função não seria apenas decorativa. Por outro lado, o tema das cidades imaginárias, que permeia décadas da produção de Chanina - Festa em BH (1955) e Noite de São João no Interior (1999) são exemplos -, mostra os vínculos de sua pintura com a obra de Guignard, com quem estudou em 1946. Algumas lições deixadas pelo mestre marcam fortemente sua obra: o grafismo, a linha como elemento decorativo e a cor modulada nas figuras e muitas vezes na paisagem.

Segundo a artista Yara Tupynambá (1932), também aluna de Guignard, é recorrente nos trabalhos de Chanina a conciliação do uso da cor homogênea, no primeiro plano, com a liberdade do traço, no fundo. Além disso, o artista retoma de Guignard o emprego da transparência nas cores, o uso dos azuis e a delicadeza dos meios tons, vazados por um lirismo onírico. A todas essas características Chanina acrescenta ainda algo da fantasia poética de Marc Chagall (1887-1985).

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Guerreiro

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Marinha

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Mulher no Circo

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Exposições 63

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 12

Abrir módulo
  • CHANINA. Chanina. Belo Horizonte: Grande Galeria do Palácio das Artes, 1982.
  • CONTAGEM. Prefeitura. Alunos de Guignard em Contagem. Contagem, 1997. s.p. il. color.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • EXPOSIÇÃO dos murais das escolas municipais de Belo Horizonte. Belo Horizonte: [s.n.], 1976. , il. color.
  • FESTIVAL DE INVERNO DA UFMG, 5. , 1971, Ouro Preto, MG. 5º Festival de Inverno da UFMG: artistas mineiros 60/70. Ouro Preto: Universidade Federal de Minas Gerais, 1971.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • OS ARTISTAS mineiros. [S. l.]: Cantu, s.d.
  • PANORAMA DE ARTE ATUAL BRASILEIRA, 1969, São Paulo, SP. Panorama de Arte Atual Brasileira 1969. São Paulo: MAM, 1969.
  • Projeto Chanina Acesso em: 16/08/2013.
  • SALÃO GLOBAL DE INVERNO, 8. , 1981, Belo Horizonte, MG. Minas / Arte atual. Belo Horizonte: Rede Globo, 1981.
  • SAMPAIO, Márcio. Chanina. Suplemento Literário Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 22, n. 1095, p. 3, 5 mar. 1988. Edição especial.
  • VIEIRA, Ivone Luzia. A Escola Guignard na cultura modernista de Minas: 1944-1962. Pedro Leopoldo: Companhia Empreendimento Sabará, 1988.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: