Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Suzana Queiroga

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 09.11.2017
1961 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Reprodução fotográfica Beto Felicio

Nº7, 2000
Suzana Queiroga
Acrílico sobre tela
120,00 cm x 140,00 cm

Suzana Queiroga de Carvalho e Sousa (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1961). Gravadora, pintora, desenhista e professora. Em 1983, conclui o bacharelado em gravura na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA/UFRJ). Participa da exposição Como Vai Você, Geração 80?, realizada na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (E...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Suzana Queiroga de Carvalho e Sousa (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1961). Gravadora, pintora, desenhista e professora. Em 1983, conclui o bacharelado em gravura na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA/UFRJ). Participa da exposição Como Vai Você, Geração 80?, realizada na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), no Rio de Janeiro, em 1984. No ano seguinte, passa a lecionar na mesma instituição, na qual se torna coordenadora dos núcleos de gravura (1986/1988) e de desenho (1988/1990). É professora do departamento de artes da Faculdade de Arquitetura da Universidade Estácio de Sá, entre 1996 e 1998. Em 2000, recebe a Bolsa RioArte, com o  Projeto Pintura no Espaço Urbano - Outdoors. Entre 2000 e 2002, cursa o mestrado em artes visuais na EBA/UFRJ. Recebe o 1º Prêmio Projéteis de Arte Contemporânea da Funarte com o projeto para a instalação Topos, em 2005. Em 2008, são publicados os livros Suzana Queiroga,com texto de Paulo Sérgio Duarte, e Velofluxo, texto de Fernando Cocchiarale.

Análise

Suzana Queiroga dedica-se inicialmente à gravura. Suas primeiras exposições individuais, em 1980 e 1981, assim como sua primeira premiação (Prêmio em Gravura no VI Salão Nacional Universitário de Artes Plásticas de Porto Alegre, 1981), devem-se a experiências de Queiroga nessa técnica. É possível ver algo dos trabalhos gráficos na série de relevos Niger (1986), feitos em madeira recortada e esmaltada. Esta série traz o trabalho de preto e branco típicos da gravura, porém transferido para outro suporte. Mas Queiroga já experimentava fortes composições cromáticas desde 1984, com a série de acrílicas sobre madeira intitulada Lék. Sobre o início da trajetória de Queiroga, a crítica Viviane Matesco observa que a utilização do suporte recortado que ativa e incorpora o espaço é justamente o ponto de partida da investigação plástica dessa artista. Apesar de despontar nos anos 1980, a formação e o começo da trajetória de Queiroga nada têm a ver com a mobilização pela emoção típica da assim chamada Geração 80. Ao contrário, a discussão da bidimensionalidade e o questionamento dos limites entre as categorias pintura e escultura aproximam a artista das discussões levantadas pelo neoconcretismo. Ainda segundo Matesco, questões presentes desde o início da obra de Queiroga - oposição entre geometria e forma orgânica, integração do espaço real ao espaço pictórico, ativação do ambiente por meio do recorte ou de superfícies vazadas - acompanham a artista até obras mais recentes, como a série de infláveis Tropeços em Paradoxos (2002). A investigação da cor e da linha no suporte bidimensional também prossegue, como nas telas da série Velofluxo (2006-2008).

 

Obras 13

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Beto Barcellos

As Três Graças

Encaústica sobre madeira
Reprodução fotográfica Beto Felicio

Blue Velvet

Acrílica sobre tela em relevo
Reprodução fotográfica Beto Felicio

Nº 5

Acrílica sobre tela
Reprodução fotográfica Beto Felicio

Nº7

Acrílico sobre tela

Espetáculos 1

Abrir módulo

Exposições 47

Abrir módulo

Feiras de arte 1

Abrir módulo

Intervenções 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 9

Abrir módulo
  • ARTES visuais 1992-1993: exposiçoes IBAC / FUNARTE. Rio de Janeiro: IBAC : Funarte, 1993.
  • FERREIRA, Telma Cristina. Novos geômetras. Galeria : revista de arte, São Paulo: Area Editorial, n.2, p.64-70, 1986.
  • GRAVURA gravuras. Curadoria José Maria Dias da Cruz; apresentação George Kornis; montagem Nelson Augusto. Rio de Janeiro : Fundação Casa de Rui Barbosa, 1994. folha dobrada s. il.
  • QUEIROGA, Suzana. Suzana Queiroga: pinturas. Vitória: Galeria de Arte e Pesquisa UFES, 1988. 241 p. il. p.b., fot.
  • SALÃO PAULISTA DE ARTE CONTEMPORÂNEA, 4. , 1986, São Paulo. 4º Salão Paulista de Arte Contemporânea. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1986.
  • SUZANA Queiroga. Rio de Janeiro: SESC Rio de Janeiro, 2005.
  • SUZANA Queiroga. Texto Paulo Sérgio Duarte; entrevista Glória Ferreira; versão em inglês Renato Rezende. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2008. 208 p., il.
  • TERRITÓRIO ocupado. Curadoria Marcus de Lontra Costa. Rio de Janeiro: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1986.
  • VELHA mania: desenho brasileiro. Apresentação Marcus de Lontra Costa; texto Roberto Pontual. Rio de Janeiro, RJ: Escola de Artes Visuais do Parque Lage, 1985.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: