Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Sami Mattar

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
18.02.1930
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Duendes
Sami Mattar
c.i.e.
73,00 cm x 92,00 cm

Sami Mattar. (Mejdlaia, Líbano 1930). Artista intermídia, desenhista, programador visual, publicitário. Chega com a família no Brasil em 1936. Filho de pais conservadores, que não aceitam sua atividade como artista plástico, desenha às escondidas, até que, em 1947, muda-se para o Rio de Janeiro, onde trabalha como pintor de paredes e lava carros...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Sami Mattar. (Mejdlaia, Líbano 1930). Artista intermídia, desenhista, programador visual, publicitário. Chega com a família no Brasil em 1936. Filho de pais conservadores, que não aceitam sua atividade como artista plástico, desenha às escondidas, até que, em 1947, muda-se para o Rio de Janeiro, onde trabalha como pintor de paredes e lava carros. Autodidata, realiza sua primeira mostra individual em 1954, na Galeria Minarte, Belo Horizonte. Passa a fazer histórias em quadrinhos e chega a ser diretor de arte e criação em publicidade. Em 1969, participa do Manifesto Expansão, realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro - MAM/RJ e, no ano seguinte, do lançamento do poster Barraca - Arte na Praia de Ipanema, no mesmo museu. Atua como colaborador das revistas Tico-Tico e O Malho, além de produzir capas para a revista Veja (1972) e Shell em Revista (1980). Em 1987, é membro do júri do Salão Novos Talentos e, em 1989, ilustra o livro O Menino mais Bonito do Mundo, de Ziraldo (1932).

Obras 2

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Exposições 24

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • ARTE brasileira do modernismo à contemporaneidade vista através do acervo da Sul América. Rio de Janeiro: Sul América, 1985. 156 p., il. color.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • MATTAR, Sami. Sami Mattar. Rio de Janeiro: Galeria Casablanca, 1979.
  • MATTAR, Sami. Sami Mattar. Texto de Jacob Klintowitz. São Paulo: Galeria de Arte André, 1981. , il. color.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: