Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Nicolas Vlavianos

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 20.10.2020
07.02.1929 Grécia / a definir / Atenas
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Sem Título, 1978
Nicolas Vlavianos
Aço polido, c.i.e.
Acervo Banco Itaú S.A. (São Paulo, SP) - [BFB]

Nicolas Charilaos Vlavianos (Atenas, Grécia, 1929). Escultor e professor. Entre 1955 e 1956, dedica-se à pintura, orientado por Costa Elíades, em Atenas, Grécia. Mais tarde, transfere-se para Paris e estuda escultura na Académie de la Grande Chaumière, com o escultor russo Ossip Zadkine (1890-1967), e na Académie du Feu, com o pintor húngaro Lás...

Texto

Abrir módulo

Nicolas Charilaos Vlavianos (Atenas, Grécia, 1929). Escultor e professor. Entre 1955 e 1956, dedica-se à pintura, orientado por Costa Elíades, em Atenas, Grécia. Mais tarde, transfere-se para Paris e estuda escultura na Académie de la Grande Chaumière, com o escultor russo Ossip Zadkine (1890-1967), e na Académie du Feu, com o pintor húngaro László Szabó (1913-1984). Em 1958 e 1959, participa do salão Réalités Nouvelles, na capital francesa. Passa a morar em São Paulo em 1961. A partir de 1969, atua como professor de expressão tridimensional na Faculdade de Artes Plásticas da Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). É premiado na 7ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1963; no 1º Salão Esso de Artistas Jovens, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP), em 1965; na 1ª Bienal Nacional de Artes Plásticas, em Salvador, em 1966; e no 4º Salão de Arte Moderna, em Brasília, em 1967. Entre 1972 e 1988, figura em várias edições do Panorama de Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Em 1974 e 2001, recebe o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (Apca). Em 1974, é também premiado no 5º Salão Paulista de Arte Contemporânea. São realizadas retrospectivas de sua obra no Museu de Arte de São Paulo (Masp), em 1993, e no MAB/Faap, em 2001.

Análise

Depois de participar da mostra dedicada à abstração Réalités Nouvelles, em Paris, no final da década de 1950, Nicolas Vlavianos vem ao Brasil, em 1961, para participar da 6a Bienal Internacional de São Paulo. No conjunto, sua produção escultórica mantém-se no limite entre figuração e abstração, estética que marca o trabalho de muitos artistas brasileiros da época. 

O artista produz peças de pequenas dimensões, compostas de planos geométricos justapostos, assimétricos e irregulares. Na série Personagens, figuras antropomórficas – obras monumentais criadas da oposição entre planos geométricos lisos e dobras do metal – sintetizam a pesquisa sobre as relações entre indivíduo e máquina. Em Astronautas, o artista desenvolve questões semelhantes. Entretanto, a contraposição entre placas lisas e dobras de metal é posta de lado e Vlavianos trabalha com cubos soldados entre si. Os relevos expressam interesse pela pintura informal do período, em particular, pela investigação de texturas e a presença da gestualidade.

Nos anos 1970, mantém a máquina como tema, mas as soluções se diversificam: surgem espécies de engrenagens conjugadas a superfícies hachuradas ou lisas, tubos articulados e incisões serpenteadas que geram ritmo e movimento, como na série Plantas. A tensão entre formas orgânicas e geométricas permanece durante os anos seguintes, com variações formais.

Nos anos 1990, passa a criar, de maneira irônica, formas que simulam objetos domésticos.

Obras 2

Abrir módulo
Registro fotográfico João L. Musa/Itaú Cultural

A Grande Vassoura

Latão e aço inox soldado e polido
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Sem Título

Aço polido

Exposições 128

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 7

Abrir módulo
  • AGUILAR, Nelson (Org.). Bienal Brasil: século XX . São Paulo: Fundação Bienal, 1994.
  • AQUINO, Eliane Cristina Gallo. Vlavianos: Uma poética de tradição hierática e moderna na escultura. 2015. 327 f. Tese (Doutorado em Artes Visuais) - Unicamp - Universidade Estadual de Campinas, 2015.
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • VLAVIANOS, Nicolas. Nicolas Vlavianos. Texto de Walter Zanini. São Paulo: Galeria Múltipla, 1978.
  • VLAVIANOS, Nicolas. Vlavianos: 35 anos de escultura retrospectiva 1993. tradução Renato Rezende. São Paulo: MASP, 1993.
  • VLAVIANOS. Texto de Olívio Tavares de Araújo. São Paulo: Skultura Galeria de Arte, 1985.
  • VLAVIANOS. Texto de Walter Zanini. 35 anos de escultura: retrospectiva 1993. Apres. Fábio Magalhães. São Paulo: MAM, 1993.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: