Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Paulo Gaiad

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 30.03.2017
24.02.1953 Brasil / São Paulo / Piracicaba
14.10.2016 Brasil / Santa Catarina / Florianópolis
Paulo Renato Gaiad (Piracicaba, São Paulo, 1953 - Florianópolis, Santa Catarina, 2016). Pintor, desenhista e gravador. Em 1972, ingressa em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília (UnB). Dois anos mais tarde, inicia curso de desenho na Pontifícia Universidade de Campinas (PUC/Campinas) e recebe bolsa de estudos para frequentar o curs...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Paulo Renato Gaiad (Piracicaba, São Paulo, 1953 - Florianópolis, Santa Catarina, 2016). Pintor, desenhista e gravador. Em 1972, ingressa em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília (UnB). Dois anos mais tarde, inicia curso de desenho na Pontifícia Universidade de Campinas (PUC/Campinas) e recebe bolsa de estudos para frequentar o curso de Planejamento Urbano da Universidade de Oslo, Noruega.

Entre 1975 e 1977, estuda arquitetura em São Paulo e, em 1980, cursa desenho livre na Pinacoteca do Estado de São Paulo. Em 1981, fixa residência em Florianópolis, Santa Catarina, onde passa a trabalhar com arquitetura e artes plásticas e participa de oficinas de litografia, estudo de modelo vivo e gravura em metal do Museu de Arte de Santa Catarina (Masc). Em 1984, ganha a Bolsa de Multiplicadores Culturais do Instituto Goethe, da Alemanha.

Realiza sua primeira exposição individual em 1987, no Ecco Club/Galeria Espaço de Arte, em Florianópolis. Recebe, em 1989, o prêmio Cubo de Prata da Bienal Internacional de Arquitetura, em Buenos Aires. Em 1993, realiza obras para a peça Prenome: Fausto, de Fábio Brüggemann (1962), com o Casa do Teatro Grupo Armação. Em 2006, participa do projeto Pinte um Futuro, liderado pela artista plástica holandesa Hetty van der Linden, que atua junto a comunidades que vivem em situação de risco.

Análise

A produção de Paulo Gaiad transita entre a pintura, o desenho, a fotografia, a instalação e a literatura. Em 1998, realiza a obra Cicatrizes, em que reúne diversos materiais: recorta papéis e então constrói pequenos pacotes, embrulha-os cuidadosamente em arames, um a um, e em seguida os protege num invólucro feito com folhas de chumbo.

A obra de 2001 "Auto-retratos"/Documentos Vol. I, em formato de livro, revela o interesse do artista pelos temas da memória e do testemunho autobiográfico. Gaiad se apropria de depoimentos biográficos de pessoas das mais diversas origens e profissões para em seguida integrá-los num grande autorretrato que se nutre não de si mesmo, mas do outro.

Em Receptáculo da Memória, de 2002, o artista solicita a várias pessoas que lhe enviem qualquer tipo de objeto capaz de sintetizar momentos especiais de suas vidas, objetos depositários de uma afetividade que simboliza o tempo passado. Gaiad os reinterpreta, agregando a eles outros objetos e materiais diversos. Processo semelhante ocorre em outra obra de 2002, Genocídio "Vida Perdida I", no qual o artista se apropria de uma foto do arquivo judiciário francês e a exibe dentro de uma caixa de aço, interferindo na imagem com pregos e pigmento.

O crítico Tadeu Chiarelli (1956) observa que a imagem fotográfica não é o único elemento que conta na produção de Gaiad. Ela se insere numa poética de articulações híbridas, e as peças por ele produzidas não procuram desenvolver um discurso estritamente fotográfico. Ainda segundo Chiarelli, Gaiad não parece interessado na linguagem fotográfica ou na fotografia "pura". Exerce aquelas várias ações sobre a imagem fotográfica por supostamente não confiar na sua força efetiva. O artista parece atuar com consciência de que a imagem fotográfica não possui poder suficiente para exprimir, de forma eficaz, o que se quer. O resultado de tais ações e reinterpretações é a produção de objetos híbridos, meio fotografias, meio assemblages.

Exposições 73

Abrir módulo

Eventos relacionados 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 15

Abrir módulo
  • CANTON, Katia (cur.). Pele, alma. São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, 2003.
  • CURTI, Ana Helena (Coord.); PRATA, Valéria (Coord.). Apropriações/Coleções. Curadoria Tadeu Chiarelli; tradução Izabel Murat Burbridge, Thomas William Nerney, Patrícia Artundo; Marcos Piason Natali. Porto Alegre: Santander Cultural, 2002.
  • GAIAD, Paulo. Paulo Gaiad: da pintura do teatro: conversas com Fausto. Florianópolis: Galeria Art in Panorama, 1993. , il. p&b color.
  • GAIAD, Paulo. Paulo Gaiad: terra / diário, poema e tributo. Curitiba: Sala Miguel Bakun, 1991. il. p.b.
  • Gaiad, PAULO. Paulo Gaiad : da pintura do teatro: conversas com Fausto. Florianópolis: Galeria Art in Panorama, 1993. , il. p&b color. G137 1993
  • Gaiad, PAULO. Paulo Gaiad : terra / diário, poema e tributo. Curitiba: Sala Miguel Bakun, 1991. il. p.b. G137 1991
  • OCUPAÇÃO. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Paço das Artes, 2007.
  • RUMOS ITAÚ CULTURAL DE ARTES VISUAIS. Deslocamentos do eu. São Paulo: Itaú Cultural, 2001.
  • SALÃO NACIONAL VICTOR MEIRELLES, 6. , 1998, Florianópolis, SC. 6º Salão Nacional Victor Meirelles. Curadoria Charles Narloch. Florianópolis: MASC, 1998.
  • SALÃO NACIONAL VICTOR MEIRELLES, 6. , 1998, Florianópolis, SC. 6º Salão Nacional Victor Meirelles. Curadoria Charles Narloch. Florianópolis: MASC, 1998. SCsvm 6/1998
  • SALÃO PARANAENSE, 48., 1991, Paraná, PR. 48º Salão Paranaense. Curitiba: Sala de Exposições-Teatro Guaíra, 1991.
  • SALÃO PARANAENSE, 48., 1991, Paraná, PR. 48º Salão Paranaense. Curitiba: Sala de Exposições-Teatro Guaíra, 1991. PRsp 48/1991
  • TENDÊNCIAS Contemporâneas da Arte Catarinense. Porto Alegre: UFRGS, 1995. 1 f. dobr. il. p.b. RSufrgs 1995
  • UMA VISÃO catarinense: 1996/1997. Apresentação Paulo Afonso Vieira, Maria Teresa Lira Collares. Florianópolis: MASC, 1996. 20p. il., color.
  • UMA VISÃO catarinense: 1996/1997. Florianópolis: MASC, 1996. SCmasc 1996/u

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: