Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Quissak Júnior

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 05.04.2017
18.09.1935 Brasil / São Paulo / Guaratinguetá
01.2001
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Auto-retrato I, 1978
Quissak Júnior
Técnica mista sobre madeira, c.i.d.
90,00 cm x 122,00 cm

Ernesto Sérgio Silva Quissak Júnior (Guaratinguetá, São Paulo, 1935 - s.l. 2001). Pintor, desenhista, escultor, gravador, poeta, escritor, filósofo e professor. Estuda pintura com seu pai, o pintor Ernesto Quissak, seu único mestre. Gradua-se professor no antigo Instituto de Educação Conselheiro Rodrigues Alves, em 1954, tornando-se catedrático ...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Ernesto Sérgio Silva Quissak Júnior (Guaratinguetá, São Paulo, 1935 - s.l. 2001). Pintor, desenhista, escultor, gravador, poeta, escritor, filósofo e professor. Estuda pintura com seu pai, o pintor Ernesto Quissak, seu único mestre. Gradua-se professor no antigo Instituto de Educação Conselheiro Rodrigues Alves, em 1954, tornando-se catedrático de desenho geral, desenho pedagógico e geometria descritiva em 1958, função que exerce durante 17 anos. Participa da 9º Bienal Internacional de São Paulo, onde apresenta as séries Pólípticos Móveis da Gênese da Bandeira Nacional e Bandeira Brasileira, utilizando as cores da bandeira, vetadas para uso popular pelo governo estadual. Em 1970, torna-se chefe do Setor de Comunicações Culturais do Conselho Estadual de Cultura do Estado de São Paulo, e sugere ao governador a substituição do ensino de desenho nas escolas de nível médio pela disciplina educação artística, além de sugerir a criação do Salão Paulista de Arte Contemporânea e do Museu de Arte Sacra, que seria instalado no Convento da Luz. Nesta época começa a organizar mesas-redondas, debates, simpósios, cursos de extensão cultural e mostras de caráter documental. Realiza cerca de seiscentas palestras, várias sobre arte, mas principalmente sobre sua filosofia de vida, embasada em uma proposta humanista. Quando completa 25 anos de atividade artística, em 1978, fica muito doente, mas termina duas séries de pintura: O Espólio do Poeta e Gaiola Iluminada. No mesmo ano, é membro do júri de premiação no salão de Lorena, em São Paulo, e realiza uma retrospectiva. Na década de 1980, recebe várias homenagens: em 1981, é homenageado pela Câmara Municipal de Guaratinguetá por sua execução da bandeira da cidade; no ano seguinte é escolhido para representar o Brasil na exposição comemorativa dos 400 anos de fundação da Galleria Degli Uffizi; nos anos subseqüentes é artista convidado para mostras no exterior. Ainda nessa década, é criado em sua cidade natal o Salão Quissak Júnior. A figura humana é um tema constante nas pinturas, nas quais utiliza, muitas vezes, sua família (mulher, filhos e netos) como modelo. Paralelamente à atividade de pintor, é poeta e filósofo, mas mantém quase toda a totalidade de sua obra literária inédita.

Obras 3

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Auto-retrato I

Técnica mista sobre madeira
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Lar do Monsenhor

Desenho sobre papel
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Sem Título

Óleo sobre tela

Exposições 49

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • GALLAS, Alfredo G. (coord.). 100 obras Itaú. São Paulo: Itaugaleria, 1985. 210 p., il. color.
  • JÚNIOR, Quissak. Quissak Júnior. São Paulo: Paulo Prado Galeria de Arte, 1980. Não paginado.
  • SCHENBERG, Mario. Pensando a arte. São Paulo: Nova Stella, 1988.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: