Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Guto Lacaz

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 23.01.2023
20.09.1948 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Phoenix, 1981
Guto Lacaz
Móbile em madeira/alumínio/chumbo/pvc

Carlos Augusto Martins Lacaz (São Paulo, São Paulo, 1948). Artista multimídia, ilustrador, designer, desenhista, cenógrafo. A produção de Guto Lacaz, como é conhecido, transita entre o design gráfico, a criação com objetos do cotidiano e a exploração das possibilidades tecnológicas na arte, geralmente à base de humor e ironia.

Texto

Abrir módulo

Carlos Augusto Martins Lacaz (São Paulo, São Paulo, 1948). Artista multimídia, ilustrador, designer, desenhista, cenógrafo. A produção de Guto Lacaz, como é conhecido, transita entre o design gráfico, a criação com objetos do cotidiano e a exploração das possibilidades tecnológicas na arte, geralmente à base de humor e ironia.

Lacaz forma-se em eletrônica industrial pelo Liceu Eduardo Prado, em São Paulo, em 1970, e em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de São José dos Campos (SP), em 1974. Entre 1978 e 1984, leciona comunicação visual e desenho de arquitetura na Faculdade de Artes Plásticas da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas). Em São Paulo, leciona em colégios, cursos livres e no curso de arquitetura do Centro Universitário Belas Artes. 

No ano da formatura em arquitetura, Lacaz já demonstra o estilo bem humorado que permearia sua obra, ao criar Crushfixo (1974), que consiste numa garrafa de refrigerante fixada num bloco de gesso. Outro bom exemplo de humor é Fuscão Preto no Acapulco Drive-In (1981), no qual, por meio de uma maquete, associa a canção popular "Fuscão Preto", gravada naquele mesmo ano pelo Trio Parada Dura (1971), à música de vanguarda "Acapulco Drive-In", do compositor Arrigo Barnabé (1951).

Vários de seus trabalhos relacionam-se ao universo da mídia e do consumo, como Óleo Maria à Procura da Salada (1982), em que uma lata de óleo se desloca em uma bandeja equipada com radares, e Ono (1991), obra em homenagem ao arquiteto Walter Ono, criada a partir de uma embalagem de sabão em pó. 

Lacaz realiza também grandes instalações, como Auditório para Questões Delicadas (1989), na qual faz uma intervenção no Parque Ibirapuera, em São Paulo. No meio do lago do parque, instala sequências de cadeiras, que, por meio de estruturas ocultas, parecem flutuar na água. Em Cosmos (1991), definida pelo artista como uma livre interpretação da mecânica do universo, dispõe, em uma sala escura, pedestais de diferentes alturas, cujos motores elétricos fazem com que pequenas esferas brancas descrevam orbitais que variam em direção, diâmetro e velocidade. Ao percorrer a instalação, o espectador tem a sensação de estar caminhando por entre os corpos celestes.

Lacaz realiza ainda diversas performances, como nos espetáculos Máquinas II (1999) e Eletro Performance (1984), que têm como participantes a atriz Cristina Mutarelli (1957), o arquiteto Javier Borracha (s/d) e o irmão do artista Nenê Lacaz (s/d), entre outros.

O artista marca presença também no mercado editorial, seja como editor de arte das revistas Around/AZ e Via Cinturato, seja como ilustrador dos livros Crescente: 1977-1990, de Duda Machado (1944); Num Zoológico de Letras, de Régis Bonvicino (1955); e Balé dos Skazka's, de Kátia Canton (1962). Em 2005, publica o livro Desculpe a Letra, que reúne desenhos realizados para a coluna da jornalista Joyce Pascowitch (1954), no jornal Folha de S. Paulo.

Embora formado em arquitetura e eletrônica industrial, é nos universos artístico e editorial que Guto Lacaz desenvolve sua trajetória. Explorando o design gráfico e as tecnologias possíveis na arte, usa signos do cotidiano, parte deles relacionados ao consumo, para criar obras caracterizadas, em grande parte, pela ironia.

 

Obras 11

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

3 Lâmpadas

Acrílica sobre tela
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Carmem

Colagem
Reprodução fotográfica Rômulo Fialdini

Hashi

Esmalte sobre disco
Reprodução fotográfica Rômulo Fialdini

Homem na Escada

Esmalte sobre madeira

Exposições 125

Abrir módulo

Feiras de arte 2

Abrir módulo

Instalações 1

Abrir módulo

Oficinas 1

Abrir módulo

Performances 2

Abrir módulo

Shows musicais 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 29

Abrir módulo
  • 5 anos de design gráfico no Brasil: coletânea de portfólios. Edição Eduardo Viotti; texto Maria Edicy Moreira. São Paulo, 127 p. , 2000.
  • A IMAGEM do som de Caetano Veloso: 80 composições de Caetano Veloso interpretadas por 80 artistas contemporâneos. Curadoria Felipe Taborda. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1998.
  • A NOVA dimensão do objeto. São Paulo: MAC/USP, 1986.
  • AMARAL, Aracy et al. Modernidade: arte brasileira do século XX. São Paulo: MAM; Paris: Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris, 1988.
  • AR: exposição de artes plásticas, brinquedos, objetos e maquetes. Curadoria Lauro Cavalcanti, Luiz Áquila; apresentação Lauro Cavalcanti, Luiz Áquila. Rio de Janeiro: Paço Imperial, 1997. [24p. ] il. color.
  • ARTE e artistas plásticos no Brasil 2000. São Paulo: Meta, 2000.
  • ARTE suporte computador. Organização Solange Lisboa e Antonio Ruete. São Paulo: Casa das Rosas, 1997.
  • ARTE/CIDADE 2: a cidade e seus fluxos. Apresentação Ricardo Ohtake; texto Nelson Brissac Peixoto, Amir Labaki, Arlindo Machado, Laymert Garcia dos Santos, Olgária Matos. São Paulo: Marca D'Água, 1994. 92 p. il.
  • BIENAL INTERNACIONAL DE SÃO PAULO, 18. , 1985, São Paulo, SP. Catálogo geral. Curadoria Sheila Lerner. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1985.
  • BONVICINO, Régis. Num zoológico de letras. Ilustração Guto Lacaz. São Paulo: Maltese, 1994. 24p. il. p. b.
  • BRASIL: la nueva generación. Tradução Maria Elvira Iriarte. Caracas: Fundación Museo de Bellas Artes, 1991. il. color.
  • BRAZIL projects. Texto Paulo Vanzolini, Jayme de Almeida, Frederico Morais, Ricardo Ohtake, Marcelo Kahns, Fabiano Canosa, Okky de Souza, Leonardo Neto, Rosely Nakagawa. New York: P.S. 1, 1988. 104 p., il. color., p&b.
  • CADERNO didático-informativo. Brasília: Fundação Athos Bulcão, 1993. 30 p. s. il.
  • COTIDIANO/ARTE: A Técnica. São Paulo: Itaú Cultural, 1999. (Eixo Curatorial 1999).
  • ESPAÇO Cultural do Aeroporto de Congonhas (São Paulo). Aviação e arte. Comentário Casimiro Xavier de Mendonça, George Nelson Preston, Walter Zanini, Sheila Leirner, Pietro Maria Bardi; curadoria Zilda Matheus; apresentação Zilda Matheus; comentário Paulo Bomfim, Nelson Leirner, Olney Krüse. São Paulo, s.d. [24p. ] il. color.
  • GALERIA Montesanti Roesler (São Paulo, SP). A Ferro e fogo. Curadoria Marili Brandão. São Paulo, folha dobrada, il. , s.d..
  • LACAZ, Guto. Cosmos - um passeio no infinito instalação de Guto Lacaz. Apresentação Maria Carla G. de Araujo Moreira. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 1994. [8 p. ] il. color.
  • LACAZ, Guto. Guto Lacaz. São Paulo: Subdistrito, 1987. il. p. b. color. , fot.
  • LACAZ, Guto. Guto Lacaz: desenhos, objetos, pinturas, vídeo-instalações, performances, projetos e instrumentos científicos. São Paulo: Arte Moderna Phoenix Estudio, 1985. [60 p. ] il. pb. color.
  • LACAZ, Guto. Guto Lacaz: idéias modernas. Poços de Caldas: Casa da Cultura, 1993. il. p. b. color.
  • LACAZ, Guto. Páginas preciosas: templo - mídia. Apresentação Carlos Uchôa. São Paulo: Galeria Luisa Strina, 1993. folha dobrada il. color.
  • LACAZ, Guto. Works. Apresentação Regina Silveira. s.l., [16 p. ], s.d..
  • MACHADO, Duda. Crescente 1977-1990. Ilustração Guto Lacaz. São Paulo: Duas Cidades, Secretaria de Estado. (Claro enigma).
  • MARINHAS. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1994.
  • MARTINELLI, Mirella. O inventor. Direção Francisco César Filho, Mirella Martinelli; fotografia Francisco Botelho; produção Maria Ionescu; trilha sonora Mário Manga; música André Abujamra; som Tide Borges, Lia Camargo. São Paulo: Orion cinema e vídeo, 1991. (12 min): NTSC, Sonoro, Col.
  • MASAGÃO, Marcelo (coord. ). Arte & lixo. CD-Rom. São Paulo: Agência Observatório, 1997.
  • MOSTRA DO MÓVEL E DO OBJETO INUSITADO, 1. , São Paulo, 1978. Catálogo. São Paulo: Paço das Artes, 1978.
  • MUBE, SCHMIDT, Carlos von. Off Bienal. São Paulo, 1996. 3 p. Il. p. b.
  • PEDROSA, João. Arguto e sagaz. Guia das Artes, São Paulo: Casa Editorial Paulista, v. 2, n. 7, p. 38-41, 1987.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: