Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Bené Fonteles

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 10.03.2017
21.03.1953 Brasil / Pará / Bragança
José Benedito Fonteles (Bragança, Pará, 1953). Artista plástico, jornalista, editor, escritor, poeta e compositor. Inicia sua carreira em 1971, expondo no 3º Salão Nacional de Artes Plásticas do Ceará. Em Fortaleza, trabalha como jornalista. Durante as décadas de 1970 e 1980, integra anualmente diversas exposições coletivas, nacionais e internac...

Texto

Abrir módulo

Biografia

José Benedito Fonteles (Bragança, Pará, 1953). Artista plástico, jornalista, editor, escritor, poeta e compositor. Inicia sua carreira em 1971, expondo no 3º Salão Nacional de Artes Plásticas do Ceará. Em Fortaleza, trabalha como jornalista. Durante as décadas de 1970 e 1980, integra anualmente diversas exposições coletivas, nacionais e internacionais, ligadas à arte postal e a pesquisas de novos meios de expressão. Nesse período, participa de quatro edições da Bienal Internacional de São Paulo (1973, 1975, 1977 e 1981). Realiza, ainda, a partir de 1974, diversas mostras individuais, no Brasil e no exterior.

Entre 1983 e 1986, dirige o Museu de Arte e de Cultura Popular (MACP) da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Na década de 1980, envolve-se em projetos e movimentos voltados à preservação ecológica, procurando uni-los à criação artística. Em 1991, muda-se para Brasília, onde mantém atuação como ativista ecológico e organizador de eventos artísticos. Em 1997, organiza a montagem da sala especial do artista baiano Rubem Valentim (1922-2001), no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM/BA). Entre os livros que publica, destacam-se O Livro do Ser (1994) e O Artista da Luz (2001), sobre Rubem Valentim. Seu trabalho como compositor está reunido no CD Benditos, lançado em 2003, que agrupa três trabalhos anteriores, Bendito (1983), Silencioso (1989) e (1991). Em 2003, recebe da Presidência da República a comenda Ordem do Mérito Cultural.

Análise

O texto de Bené Fonteles para o catálogo de sua exposição Palavras e Obras inicia com a frase: "Eu gosto desta dúvida de transitar entre o que é arte e o que é artesanía".1 Ela diz muito sobre a obra plástica do artista, baseada sobretudo na transformação de materiais simples e muitas vezes frágeis, naturais ou pouco trabalhados pelo homem, tais como pedras, pedaços de troncos, cordas, tecidos rústicos e arame. Além desse tipo de suporte, Fonteles trabalha com a apropriação de objetos, sempre com o objetivo de transfigurá-los a partir da evocação de seu potencial poético, seja intervindo nesses objetos ou associando-os em instalações. Deve-se observar que grande parte dos materiais escolhidos pelo artista estão ligados à terra brasileira, uma opção que advém de sua postura política como ativista ambiental.

Fonteles procura recolocar o homem em contato com a energia poética contida na natureza, estimulando a imaginação do observador com vistas a escapar de conceitos e usos convencionais associados aos objetos que utiliza. Como o próprio artista reconhece, essa postura inspira-se em mais de uma geração de artistas atuantes no século XX, que procuram inspiração na relação entre homem, natureza e universo.

Nota

1 FONTELES, Bené. Palavras e obras (1998 a 2004). São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2004.

Exposições 112

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 12

Abrir módulo
  • AMARAL, Aracy. Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer: 1961-1981. São Paulo: Nobel, 1983.
  • ARTE Xerox Brasil. Apresentação de Jorge da Cunha Lima; textos de Maria Cecília França Lourenço, Hudinilson Jr., Rosita Gouveia; curadoria de Hudinilson Jr. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1984.
  • ARTE conceitual e conceitualismos: anos 70 no acervo do MAC USP. Curadoria Cristina Freire; versão em inglês Elizabeth Bjorkstrom Moraes, Thomas Karsten. São Paulo: MAC/USP, 2000.
  • ARTE novos meios: multimeios. Brasil 70, 80. Coord. Daisy Valle Machado Peccinini de Alvarado, 2. ed. São Paulo:FAAP, 2010.
  • ARTE suporte computador. Organização Solange Lisboa e Antonio Ruete. São Paulo: Casa das Rosas, 1997.
  • FIGUEIREDO, Aline. Arte aqui é mato. Versão em inglês Richard Spock. Cuiabá: UFMT, Museu de Arte e de Cultura Popular, 1990. 709.8172 F4751ar
  • FONTELES, Bené. A ressacralização da arte. Cur. Jacob Klintowitz. São Paulo: Sesc São Paulo, 1999.
  • FONTELES, Bené. Antes arte do que tarde: Bené Fonteles. Fortaleza: Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará, 1990.
  • FONTELES, Bené. Arte sobre papel: xerografias, colagens e outdoors. São Paulo: Galeria Suzanna Sassoun, 1982.
  • FONTELES, Bené. Palavras e obras (1998 a 2004). São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2004.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: