Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Carlos Oswald

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 16.05.2019
18.10.1882 Itália / Toscana / Florença
14.02.1971 Brasil / Rio de Janeiro / Petrópolis

[Um Bosque], 1908
Carlos Oswald
Água-forte
30,00 cm x 24,00 cm

Carlos Oswald (Florença, Itália 1882 - Petrópolis, Rio de Janeiro, 1971). Gravador, pintor, vitralista, desenhista, decorador, professor, escritor. Gradua-se como físico-matemático em 1902, pelo Instituto Galileo Galilei, em Florença. No ano seguinte, ingressa na Accademia di Belle Arti di Firenze. Viaja para o Brasil pela primeira vez em 1906 e...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Carlos Oswald (Florença, Itália 1882 - Petrópolis, Rio de Janeiro, 1971). Gravador, pintor, vitralista, desenhista, decorador, professor, escritor. Gradua-se como físico-matemático em 1902, pelo Instituto Galileo Galilei, em Florença. No ano seguinte, ingressa na Accademia di Belle Arti di Firenze. Viaja para o Brasil pela primeira vez em 1906 e realiza no Rio de Janeiro a primeira exposição individual no país. Retorna à Europa em 1908, estuda gravura com o americano Carl Strauss (1873-1957) em Florença e viaja para Munique, onde aprende a técnica da água-forte. Em 1911, participa da decoração do pavilhão do Brasil, na Exposição Internacional de Turim. Faz a segunda viagem ao Rio de Janeiro em 1913 e realiza uma exposição com Eugênio Latour (1874-1942) na Escola Nacional de Belas Artes (Enba). É nomeado, no ano seguinte, professor de gravura e desenho no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, e efetivado em 1930. Nesse ano, faz o desenho final do Monumento ao Cristo Redentor. A obra é executada na França pelo escultor Paul Landowski (1875-1961) e instalada no Morro do Corcovado, Rio de Janeiro, em 1931. A partir de 1946, ministra curso de gravura na Fundação Getúlio Vargas - FGV. Publica, em 1957, a autobiografia Como Me Tornei Pintor.

Análise

Carlos Oswald tem uma produção bastante diversificada. Dedica-se à execução de paisagens e de naturezas-mortas, mas, como aponta o historiador da arte Quirino Campofiorito (1902-1993), os temas religiosos se impõem em sua pintura, sempre comprometidos com as características litúrgicas. Realiza ainda diversos trabalhos decorativos para o Palácio São Joaquim e Palácio Pedro Ernesto, no Rio de Janeiro.

Pioneiro da gravura em metal (água-forte e água-tinta) no Brasil, sua obra permite afirmar o caráter expressivo da técnica. Em gravuras como Boi à Tarde, 1908, Carregando Madeiras, 1909 ou Bois Descansando, 1910, é possível observar o diálogo com as obras de artistas italianos como Giuseppe de Nittis (1846-1884) e Giovanni Fattori (1825-1908). Para Oswald, a gravura é a mais espiritual das artes plásticas, por ter como base a linha e o ponto, cuja imaterialidade possibilita a expressão de estados de alma artísticos.

Carlos Oswald é o responsável pela formação de novas gerações de gravadores no Brasil, como Poty (1924-1998), Darel (1924), Fayga Ostrower (1920-2001), Renina Katz (1926), Henrique Oswald (1918-1965) e Orlando DaSilva (1923).

Obras 6

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Retrato

Óleo sobre tela

Exposições 130

Abrir módulo

Feiras de arte 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 13

Abrir módulo
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
  • CAMPOFIORITO, Quirino. História da pintura brasileira no século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1983.
  • CARLOS Oswald. Texto de Orlando DaSilva. Apresentação de Alcidio Mafra de Souza. Rio de Janeiro: MNBA, 1982.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • DUQUE, Gonzaga. Contemporâneos: pintores e esculptores. Rio de Janeiro: Tipografia Benedicto de Souza, 1929.
  • FREIRE, Laudelino. Um século de pintura: apontamentos para a história da pintura no Brasil de 1816-1916. Rio de Janeiro: Fontana, 1983.
  • GRAVURA Brasileira. São Paulo: Cosac & Naify; Itaú Cultural, 2000.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. 500 anos da pintura brasileira. [S.l.]: Log On Informática, 1999. 1 CD-ROM.
  • MONTEIRO, Maria Isabel Oswald. Carlos Oswald (1882-1971): pintor da luz e dos reflexos. Rio de Janeiro: Casa Jorge Editorial, 2000.
  • REIS JÚNIOR, José Maria dos. História da pintura no Brasil. Prefácio Oswaldo Teixeira. São Paulo: Leia, 1944.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198).
  • ZANINI, Walter (org.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Fundação Djalma Guimarães: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. v. 1.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: