Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Manfredo de Souzanetto

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 03.08.2021
01.06.1947 Brasil / Minas Gerais / Jacinto
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Olhe bem as Montanhas I, 1974
Manfredo de Souzanetto
Ecoline sobre cartão
Coleção Gilberto Chateaubriand - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Manfredo Alves de Souzanetto (Jacinto, Minas Gerais, 1947). Pintor, desenhista, escultor. Começa a estudar desenho aos 16 anos. Em 1967, muda-se para Belo Horizonte e ingressa na Escola Guignard em 1969. Estuda arquitetura na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) de 1972 a 1975. Em 1974, expõe no 5° Salão de Arte Universitária, em Belo Hor...

Texto

Abrir módulo

Manfredo Alves de Souzanetto (Jacinto, Minas Gerais, 1947). Pintor, desenhista, escultor. Começa a estudar desenho aos 16 anos. Em 1967, muda-se para Belo Horizonte e ingressa na Escola Guignard em 1969. Estuda arquitetura na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) de 1972 a 1975. Em 1974, expõe no 5° Salão de Arte Universitária, em Belo Horizonte, e recebe como prêmio uma bolsa para estudar na França. Mora em Paris entre 1975 e 1979 e freqüenta a École Nationale Louis Lumière, onde estuda fotografia, e a École Nationale Supérieure des Beaux Arts. Em Paris, descobre a pintura abstrata americana, o construtivismo russo e tem contato com o trabalho do grupo Support-Superface. Retorna ao Brasil em 1980 e reside no Rio de Janeiro. No ano seguinte, ingressa na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde conclui o curso de gravura. Nessa década, começa a trabalhar com telas e madeiras recortadas em formas geométricas, nas quais aplica pigmentos obtidos de amostras de terra coletadas em Minas Gerais. Em 1985, é contemplado com o prêmio de viagem ao exterior no 8° Salão Nacional de Artes Plásticas, promovido pela Fundação Nacional de Arte (Funarte), no Rio de Janeiro. Durante seis meses, entre 1999 e 2000, é artista residente na École Nationale Supérieure d'Art Décoratif de Limoges-Aubusson, na França.

Análise
Os trabalhos sobre papel realizados por Manfredo de Souzanetto, entre 1972 e 1976, possuem um caráter predominantemente geométrico. O artista tem como inspiração a paisagem de Minas Gerais e emprega freqüentemente a terra mineira como pigmento. Já durante a década de 1980, pinta telas que são fixadas sobre estruturas geométricas, geralmente triangulares: o suporte é fragmentado e reconstruído e o artista explora os jogos entre os vazios e os planos de formas e cor. Como nota o crítico Agnaldo Farias (1955), suas obras são sempre evocações de paisagens. Emprega cores rebaixadas e pinceladas vibrantes e usa tintas que impregnam o suporte. Grande parte das cores utilizadas é fabricada pelo artista a partir de pigmentos naturais, como vários tipos de terras de Minas Gerais. Nessas obras, como as Forquilhas, revela alguma influência do movimento neoconcreto e aproxima-se da produção de Lygia Clark (1920-1980) e Hélio Oiticica (1937-1980). Sua produção relaciona-se ainda com as premissas do Support-Surface, surgido na França durante a década de 1970.

Como nota o crítico Marcus de Lontra Costa, toda a trajetória de Manfredo de Souzanetto se desenvolve em direção ao objeto tridimensional. Sua produção da década de 1980 apresenta uma grande ambigüidade e situa-se entre a pintura e a escultura. A partir dessa época, também emerge em sua obra uma dimensão orgânica, que passa a ocupar um lugar cada vez mais determinante. Produz objetos de materiais diversos, pinturas-relevo  e cria formas arrendondadas e angulosas, de grande sensualidade, que remetem a arabescos, elementos vegetais ou formas do corpo humano. Em algumas obras utiliza a cerâmica, que permite associações entre o liso e o poroso, e densidade e leveza.

Obras 13

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Sérgio Guerini/Itaú Cultural

11/94

Pigmento de terra e resina acrílica sobre tela de juta colada em madeira
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

25/88

Pigmentos de terra e acrílica sobre tela, madeira e cobre
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

3/87

Pigmentos com resina acrílica sobre algodão, lápis de cor
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

38

Pigmento de terra e resina acrílica sobre linho
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

42

Pigmento de terra e resina acrílica sobre linho

Exposições 129

Abrir módulo

Palestras 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 12

Abrir módulo
  • DESENHOS e gravuras de José Alberto, Manfredo, Arlindo. Vitória: Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, 1978.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • MANFREDO de Souzanetto. Manfredo de Souzanetto. Montbéliard: Centre Regional d'Art Contemporain, 1998. 48 p.
  • MANFREDO de Souzanetto. Rio de Janeiro: Galeria Cesar Aché, 1982.
  • MANFREDO de Souzanetto. Texto de Marcus de Lontra Costa. São Paulo: Galeria São Paulo, 1989.
  • MANFREDO de Souzanetto. Texto de Reynaldo Roels Júnior. Rio de Janeiro: Montesanti Galleria, 1987.
  • MANFREDO de Souzanetto: pinturas. Apresentação de Marcus de Lontra Costa. Texto de Paulo Herkenhoff. Brasília: Espacial Capital - Arte Contemporânea, 1986.
  • MANFREDO: desenhos. São Paulo: Galeria VASP/Brigadeiro, 1977.
  • MOSTRA do acervo. São Paulo: Sudameris Galleria, 1996. p.16.
  • Manfredo de Souzanetto: Esculturas. Bravo! Online. Seção Exposições. Disponível em http://bravonline.locaweb.com.br/noticias.php?id=1354. Acesso em 01 dez. 2005.
  • O DESENHO moderno no Brasil: Coleção Gilberto Chateaubriand. São Paulo: Galeria de Arte do Sesi, 1993.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: