Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Wega Nery

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
10.03.1912 Brasil / Mato Grosso do Sul / Corumbá
21.05.2007 Brasil / São Paulo / Guarujá
Reprodução fotográfica João L. Musa/Itaú Cultural

Solidões do Mar, 1967
Wega Nery
Oléo sobre tela, c.i.d.
170,00 cm x 180,00 cm

Wega Nery Gomes Pinto (Corumbá MT 1912 - Guarujá SP 2007). Pintora, desenhista, poeta e professora. Nos anos 1930, publica poemas na revista O Malho (Parnaso Feminino), como "Vera Nunes". De 1946 a 1949, estuda desenho e pintura na Escola de Belas Artes, em São Paulo. Na década de 1950, tem aulas com Joaquim da Rocha Ferreira (1900-1965) e Yoshi...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Wega Nery Gomes Pinto (Corumbá MT 1912 - Guarujá SP 2007). Pintora, desenhista, poeta e professora. Nos anos 1930, publica poemas na revista O Malho (Parnaso Feminino), como "Vera Nunes". De 1946 a 1949, estuda desenho e pintura na Escola de Belas Artes, em São Paulo. Na década de 1950, tem aulas com Joaquim da Rocha Ferreira (1900-1965) e Yoshiya Takaoka (1909-1978), com quem participa do Grupo Guanabara (1950-1959). Em 1953, freqüenta o Atelier-Abstração, de Samson Flexor (1907-1971), e produz as primeiras pinturas abstratas, de tendência geométrica. Em 1955, expõe desenhos no Museu de Arte de São Paulo (Masp). Participa de várias edições da Bienal Internacional de São Paulo, é premiada como melhor desenhista nacional em 1957 e recebe sala especial em 1963, 1973 e 1989. Ainda em 1963, leciona desenho e pintura na Sociedade Cívica Feminina de Santos, São Paulo. Na mesma década, cria as primeiras "paisagens imaginárias", que pintará até fins de 1980. Expõe obras em diversos Panorama da Arte Atual Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP), a partir do primeiro, em 1969. Em 1975, o crítico de arte Geraldo Ferraz (1905-1979), companheiro da pintora, lança Wega Liberta em Arte: 1954-1974. Em 1993, a Pinacoteca do Estado de São Paulo (Pesp) realiza uma individual da artista e, no ano seguinte, uma retrospectiva é mostrada no Centro Cultural São Paulo (CCSP).

Comentário crítico
Quando é conferida a Wega Nery sala especial na 7ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1963, ela opta por mostrar pinturas. Em Paisagem Lunar (1963), Campo de Papoulas (1963) e Paisagem Verde, entre outras, estão presentes as características que permearão todo o trabalho da artista daí em diante: são pinturas gestuais, expressivas, que obedecem tanto a algo ocasional, como a uma composição previamente articulada. Pinceladas vigorosas, que atravessam horizontalmente a tela, são entrecortadas por outras verticais. Muitas vezes entrevêem-se referentes possíveis, como barcos e casas, ou elementos da natureza - um rio, o mar revolto, a lua -; também objetos dos títulos das obras.

Em fins da década de 1960 e 1970, os títulos das pinturas passam a sugerir elementos fantásticos, como as chamadas "Paisagens Imaginárias".

A obra da artista pode ser vista na chave expressionista abstrata, informal ou, ainda, abstrato-lírica - termos importantes para o debate da abstração nos anos 1960, por meio dos quais a crítica opõe artistas de tendência geométrica aos de orientação gestual. No trabalho destes últimos, entendia-se que a expressão efetivava-se por meio do gesto e, por isso, era valorizada a criação individual. No entanto, para Nery, a presença da gestualidade não descarta por completo a existência de um projeto.

Obras 24

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

A Ponte

Óleo sobre tela
Reprodução Fotográfica Romulo Fialdini

Arpoador

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica Romulo Fialdini

Barquinhos

Óleo sobre tela

Exposições 129

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 12

Abrir módulo
  • AMARAL, Aracy (org.). Arte construtiva no Brasil - Constructive art in Brazil. Tradução Izabel Murat Burbridge. São Paulo: Companhia Gráfica Melhoramentos: DBA Artes Gráficas, 1998. (Coleção Adolpho Leirner).
  • ANTES e agora: 8 pintores. Apresentação de Ivo Zanini e Constantino Cury. São Paulo: Espaço Cultural Cásper Líbero, 1986.
  • ARAÚJO, Emanoel (ed.). Wega Nery: reflexos do real invisível. São Paulo: MWM-IFK, 1987. (Coleção MWM-IFK).
  • Aos 95 anos, morre a pintora Wega Nery. O Estado de S. Paulo, 22 maio 2007. Metrópole, C5. O Estado de S. Paulo
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • COCCHIARALE, Fernando; GEIGER, Anna Bella. Abstracionismo geométrico e informal: a vanguarda brasileira nos anos cinquenta. Rio de Janeiro: Funarte, Instituto Nacional de Artes Plásticas, 1987.
  • FERRAZ, Geraldo. Wega liberta em arte: 1954-1974. São Paulo: Edição do autor, 1975.
  • GESTO E EXPRESSÃO: o abstracionismo informal nas coleções JPMorgan Chase e MAM. Museu de Arte Moderna de São Paulo. 21 maio a 20 jun, 2004. Curadoria: Luiz Camillo Osório e Maria Alice Milliet.
  • O TRAJETO abstrato de Wega Nery: críticas e depoimentos. Apresentação de Lisbeth Rebollo Gonçalves. São Paulo: MAC/USP, 1994.
  • WEGA Nery: paisagens imaginárias. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1986.
  • WEGA liberta em arte: 1954-1974. São Paulo. 77 p., il., p&b. color.
  • WEGA. Apresentação de Aline Figueiredo. Campo Grande: Associação Matogrossense de Artes, 1969.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: