Artigo da seção pessoas Adir Sodré

Adir Sodré

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deAdir Sodré: 09-10-1962 Local de nascimento: (Brasil / Mato Grosso / Rondonópolis) | Data de morte 10-08-2020 Local de morte: (Brasil / Mato Grosso / Cuiabá)
Imagem representativa do artigo

Festa de São João , 1980 , Adir Sodré
Reprodução fotográfica José Colucci Júnior

Adir Sodré de Souza (Rondonópolis, Mato Grosso, 1962 – Cuiabá, Mato Grosso, 2020). Pintor e desenhista. Sua obra se destaca pelo colorido exuberante e pela  temática social de caráter irreverente.

Passa a infância no interior do Mato Grosso e muda-se para Cuiabá aos 15 anos. Em 1977, frequenta o Atelier Livre da Fundação Cultural de Mato Grosso, onde é orientado pelos pintores Humberto Espíndola (1943) e Dalva (1935). Nos dois anos seguintes, integra, com o pintor Gervane de Paula (1962) e outros artistas, um grupo que procura renovar a arte mato-grossense. Nessa época, participa de exposições coletivas organizadas pelo Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal do Mato Grosso (MACP/UFMT). Suas pinturas são um registro da vida cotidiana nos bairros populares de Cuiabá e da paisagem local.

Na década de 1980, Adir Sodré inclui em suas obras temáticas relacionadas aos povos indígenas, à cultura regional, à invasão causada pelo turismo em determinadas regiões do Brasil e ao consumismo, como exemplificado no quadro Dolores Descartável (1984).

O pintor participa, entre outras, das coletivas Como Vai Você, Geração 80?, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV/Parque Lage), no Rio de Janeiro, em 1983, e Modernidade, Arte Brasileira no Século XX, no Museu de Arte Moderna de Paris, em 1987. Em 1986, recebe o prêmio de artista revelação pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

O artista apropria-se de imagens históricas da cultura ocidental e mantém diálogo constante com a tradição da história da arte. Revela admiração pelo pintor francês Henri Matisse (1869-1954), empregando cores puras e elementos decorativos em obras nas quais o erotismo é muito presente, como em Falos e Flores (1986) ou Orgia das Frutas (1987). Em sua obra, é constante a repetição de flores, frutas, borboletas em imagens que revelam uma conotação sexual provocativa. 

Produz também retratos de personalidades, partindo da reprodução fiel da fisionomia, mas fazendo uso do humor. Faz referências, entre outros, aos pintores holandês Vincent van Gogh (1853-1890) e espanhol Diego Velázquez (1599-1660). Aproxima-se também do universo dos quadrinhos, como expresso em Almoço na Relva VII (1988). 

Adir Sodré expressa em sua obra traços de nossa cultura e natureza, com irreverência e um colorido marcante, e se afirma como um dos maiores pintores brasileiros de sua geração, cujo trabalho é reconhecido não apenas no Brasil, mas também no exterior.

Outras informações de Adir Sodré:

  • Outros nomes
    • Adir Sodré de Souza
    • Adair Sodré
  • Habilidades
    • Pintor
    • Desenhista

Obras de Adir Sodré: (15) obras disponíveis:

Título da obra: Flores

Artigo da seção obras
Temas da obra: Artes visuais  
Data de criaçãoFlores : 1996
Autores da obra:
Imagem representativa da obra
Legenda da imagem representativa:

Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Exposições (70)

Artigo sobre Arte na Rua

Artigo da seção eventos
Temas do artigo: Artes visuais  
Data de inícioArte na Rua: 1983  |  Data de término | 1983
Resumo do artigo Arte na Rua:

Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC/USP)

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (18)

  • ADIR Sodré, Dalva de Barros e Gervane de Paula: pinturas. Cuiabá: Espaço BEMAT, 1983.
  • ADIR Sodré, Gervane de Paula: pinturas/desenhos. Cuiabá: Museu de Arte e de Cultura Popular/UFMT, 1982.
  • ARTE NO CENTRO CAMPESTRE SESC, 7., 1982, São Paulo. O Brasil visto pelos pintores populares. São Paulo: Centro Campestre SESC "Brasílio Machado Neto", 1982.
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997.
  • FERREIRA, Eduardo. Adir Sodré: Entre o verbo, tintas e pincéis. Cidadão Cultura. [S.l.], 11 ago. 2020. Disponível em: https://www.cidadaocultura.com.br/adir-sodre-entre-verbo-tintas-pinceis/. Acesso em: 17 ago. 2020.
  • FERREIRA, Telma Cristina. Adir Sodré. Galeria Revista de Arte, São Paulo, n. 2, p. 56-58, 1986.
  • FIGUEIREDO, Aline. Arte aqui é mato. Versão em inglês Richard Spock. Cuiabá: UFMT, Museu de Arte e de Cultura Popular, 1990.
  • FIGUEIREDO, Aline. Artes plásticas no Centro-Oeste. Cuiabá: UFMT/MACP, 1979.
  • GENTE da terra. São Paulo: Paço das Artes, 1980.
  • KNAAK, Bianca. O popular por mãos eruditas: referências populares na arte brasileira contemporânea.1997. 175 f. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) - Instituto de Artes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1997.
  • KNAAK, Bianca. Visualidade queer e a pintura de Adir Sodré nos anos 1980. Contemporânea. Santa Maria. v. 2, n. 3, e4, p. 01-10, 2019. Disponível em: file:///C:/Users/987326569/Downloads/38044-188304-6-PB.pdf. Acesso em: 17 ago. 2020.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. p. 450.
  • Morre em Cuiabá o artista plástico Adir Sodré. G1 MT, Cuiabá, 10 ago. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/mt/mato-grosso/noticia/2020/08/10/morre-em-cuiaba-o-artista-plastico-adir-sodre.ghtml Acesso em: 16 ago. 2020.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • REFERÊNCIAS Pantaneiras na pintura de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul. São Paulo: Paço das Artes, 1988.
  • SODRÉ, Adir. Adir Sodré. São Paulo: Masp, 1986.
  • SODRÉ, Adir. Adir Sodré. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1988.
  • SODRÉ, Adir. Um Tiro no tédio: pinturas, Adir Sodré. Cuiabá: Happening Escritório de Arte, 1989.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ADIR Sodré. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa8510/adir-sodre>. Acesso em: 15 de Mai. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7