Artigo da seção pessoas Paulo Laurentiz

Paulo Laurentiz

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento dePaulo Laurentiz: 1953 | Data de morte 1991

Biografia
Paulo Tadeu Laurentiz (São Paulo, São Paulo, 1953 - São Paulo, São Paulo, 1991). Artista, publicitário e professor universitário. Gradua-se em artes plásticas pela Fundação Álvares Penteado (Faap/SP) e, em seguida, em publicidade e propaganda pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM/SP). Faz mestrado e doutorado na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) em comunicação e semiótica.

Como artista, participa de exposições no Brasil e no exterior. Dentre suas exposições individuais destacam-se Sacadas, fotomontagens (1982), no Museu da Imagem e do Som em São Paulo (MIS/SP); HorizontownHorizontao (1986), instalação realizada no Centro Cultural São Paulo (CCSP); e Instalações Elétricas (1988), também no MIS/SP. A partir de 1988, é professor do Instituto de Artes, no Departamento de Multimeios da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Entre 1988 e 1990, participa com trabalhos em fac-símile de eventos internacionais como Intercities, City Portraits e Impromptu. Em 1988, participa do evento No Time (1990), realizado na Unicamp; Diversões Eletrônicas e A Trama do Gosto, trabalhos em SSTV (Slow Scan Television) na Fundação Bienal em São Paulo.  No ano seguinte integra a mostra Fax Arte realizada da Faculdade Santa Marcelina (FASM/SP) que reuniu parte dos trabalhos do projeto “Laboratório de Arte e Telecomunicação” do Instituto de Arte da Unicamp. A exposição apresenta trabalhos artísticos em fac-símile produzidos para ou durante os eventos Fax Arte I e II, Ars Eletrônica, City Portrait, L’oeuvre du Louvre. Entre os participantes da mostra estão artistas como Regina Silveira (1939), Gilbertto Prado (1954), Artur Matuck (1949), Milton Sogabe (1953), entre outros.

Participa da 21a Bienal de São Paulo em 1991 com o grupo Asterisco ponto Asterisco (*.*), mesmo ano em que publica sua tese de doutorado, A Holarquia do Pensamento Artístico.

A utilização de meios como o slow-scan (modem que transforma imagem em som e vice-versa), fax, xerox e recursos não digitais estabelecem comunicação entre os integrantes de várias propostas artísticas.

Comentário Crítico
De modo geral, o campo da arte e tecnologia é permeado por colocações sobre a interação do público com a obra e seus encaminhamentos. É um desafio falar sobre esta vertente, pois suas demandas vão além da interação público-obra, e desenvolvem-se em vários pontos de atuação. A obra de Paulo Laurentiz encontra-se no centro desta questão. O artista é um articulador de acontecimentos na área de arte e tecnologia e um dos primeiros a teorizar sobre esse assunto no Brasil. Tem grande parte de seus trabalhos realizados na  década de 1980, marcada por manifestações tecnológicas em eventos universitários.

continuar a leitura do texto Continuar a leitura do texto...

Outras informações de Paulo Laurentiz:

  • Habilidades
    • Artista visual
    • Publicitário
    • professor universitário

Exposições (9)

Fontes de pesquisa (12)

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • PAULO Laurentiz. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa7733/paulo-laurentiz>. Acesso em: 19 de Jul. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7
abrir pesquisa
;