Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Glauco

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.09.2017
10.03.1957 Brasil / Paraná / Jandaia do Sul
12.03.2010 Brasil / São Paulo / São Paulo

Extra! Extra! Mais Liberdade de Imprensa!, 1977
Glauco

Glauco Vilas Boas (Jandaia do Sul, Paraná, 1957 - Osasco, São Paulo, 2010). Cartunista, chargista, e quadrinista. Autodidata, começa a desenhar na adolescência, fazendo caricaturas dos professores e colegas. No início da década de 1970, muda-se para Ribeirão Preto, São Paulo, com o objetivo de estudar engenharia. Conhece o jornalista José Hamilt...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Glauco Vilas Boas (Jandaia do Sul, Paraná, 1957 - Osasco, São Paulo, 2010). Cartunista, chargista, e quadrinista. Autodidata, começa a desenhar na adolescência, fazendo caricaturas dos professores e colegas. No início da década de 1970, muda-se para Ribeirão Preto, São Paulo, com o objetivo de estudar engenharia. Conhece o jornalista José Hamilton Ribeiro (1935) – diretor do jornal Diário da Manhã –, que publica seu primeiro trabalho em 1976. Entra em contato com a obra dos cartunistas Henfil (1944 -1988) e Ziraldo (1932). No ano seguinte, é premiado no Salão Internacional de Humor de Piracicaba e começa a publicar suas tiras nos suplementos Acontece e Folhetim do jornal Folha de S.Paulo.

Em 1981, edita de forma independente o livro Minorias do Glauco, em que surgem as personagens Geraldão e Dona Marta. Pela editora Circo, publica a seleção de cartuns Abobrinhas da Brasilônia (1985), e as revistas Geraldão, Geraldão Segunda Dentição e Geraldão 90 cm, entre 1987 e 1994. Entre as personagens presentes nos periódicos estão o Casal Neuras, Doy Jorge, Van Grogue, Vicente Tarente e Zé do Apocalipse. Nesse mesmo período, colabora com a revista Chiclete com Banana ao lado dos cartunistas Angeli (1956), então editor, e Laerte (1951). Com eles cria a série Los Três Amigos, apresentada na mesma publicação e reunida, posteriormente, em dois volumes no início da década de 1990.

Na mesma década, participa da concepção e roteirização dos programas TV Pirata e TV Colosso, na Rede Globo. A colaboração vai até 1997. Em 2000, cria para estação UOL Humor, as personagens Ficadinha e Netão. Publica, pela editora Devir, as compilações Política Zero – A Crise nas Charges da Folha de S.Paulo (2005) e Seis Mãos Bobas (2006).

Como líder religioso, funda a Igreja Céu de Maria, dedicada ao estudo do Daime. Coordena os rituais de consagração e compõe mais de cinquenta hinos. Dedica-se a vida espiritual, mas continua com a produção humorística. Cria o Cacique Jaraguá, Capitão Bolachinha e Faquinha.

Análise da trajetória
O desenho de Glauco é caligráfico: restringe-se a traços simples e repetitivos, deixando sempre à mostra seu estilo nos movimentos da mão. A maioria de suas personagens são tipos noturnos de uma São Paulo de 1980. Modernos, roqueiros, junkies e hippies são alguns deles como o Casal Neuras (1984), Doy Jorge (198?), Zé do Apocalipse (198?) e Edmar Bregman (198?). Todos se baseiam em pessoas com quem o cartunista convive. O Casal Neuras é inspirado em seu primeiro casamento. Doy Jorge e Zé do Apocalipse são homenagens irônicas a alguns amigos próximos.

Ainda na década de 1970, Glauco entra em contato com alguns colaboradores do semanário O Pasquim, e conhece Henfil e Ziraldo. O encontro com esses cartunistas – donos de traços igualmente caligráficos – certamente o motivam e influenciam. Glauco mantém-se fiel ao papel e ao nanquim, utilizando recursos digitais nas tiras e charges apenas no momento de as colorir.

Entre os personagens que revelam neuroses e fragilidades dos habitantes das grandes cidades, Geraldão (1981) assume papel principal. Sujeito comum, como sugere seu nome, Geraldão é um adolescente de 30 anos, desempregado, compulsivo, solteirão, virgem e cheio de vícios. Mora com a mãe e namora uma boneca inflável, chamada Sônia Braga. Ansioso, tem seu ritmo frenético acentuado por múltiplos braços, pernas e acessórios (copos, garrafas, canecas e cigarros), que a linha nervosa do artista ajuda a reforçar. Nas primeiras aparições, traja um short sem elástico, que um de seus braços segura. Posteriormente, aparece pelado. A personagem tem publicação individual regular, a revista Geraldão, e as derivadas: Geraldão Segunda Dentição e Geraldão 90 cm. Apresentam, além da personagem título, Dona Marta (1981) e Vicente Tarente (198?), dois carentes de meia-idade, também inspirados em pessoas próximas.

Em 2000, a convite da estação UOL de Humor, cria Netão – primeira personagem para internet, espécie de Geraldão virtual – e Ficadinha, uma adolescente descompromissada e volátil. Diante de tipos distantes dos quais trabalhara até então, Glauco dedica-se a investigar esse novo universo.

Obras 4

Abrir módulo

Exposições 5

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 10

Abrir módulo
  • 4º SALÃO INTERNACIONAL DE HUMOR - 1977. Site oficial do Salão Internacional de Humor de Piracicaba. Disponível em: < http://salaodehumor.piracicaba.sp.gov.br/humor/1977.html >. Acesso em: 1 ago. 2011.
  • ANGELI; GLAUCO; LAERTE. Los três amigos v.1. 4.ed. São Paulo: Ensaio, 1994.
  • ANGELI; GLAUCO; LAERTE. Los três amigos v.2. 3. ed. São Paulo: Ensaio, 1994.
  • ANGELI; GLAUCO; LAERTE. Seis mãos bobas. 1. ed. São Paulo: Devir, 2006.
  • BOAS, Glauco Vilas. Abobrinhas da Brasilônia,1.ed.São Paulo: Circo Editorial, 1985.
  • BOAS, Glauco Vilas. Política Zero - A crise nas charges da Folha de S. Paulo. 1. ed. São Paulo: Devir, 2005.
  • FOLHA DE S. PAULO (Org.). Gibi do Glauco. Caderno Especial. Folha de S. Paulo, São Paulo, 16 mar. 2010.
  • Glauco Vilas Boas. Site oficial do artista. São Paulo, (199?). Disponível em: < http://www2.uol.com.br/glauco/index.shtml >. Acesso em: 1 ago. 2011.
  • MEMÓRIA GLOBO. Entretenimento - Humor - TV Pirata. Disponível em: < http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-257951,00.html >. Acesso em: 1 ago. 2011.
  • MEMÓRIA GLOBO. Entretenimento - Infanto-Juvenil - TV Colosso. Disponível em: < http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-253273,00.html >. Acesso em: 1 ago. 2011.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: