Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Pedro Bandeira

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.09.2022
09.03.1942 Brasil / São Paulo / Santos
Reprodução fotográfica Marcus Leoni/Itaú Cultural

Pedro Bandeira, 2022

Pedro Bandeira de Luna Filho (Santos, São Paulo, 1942). Escritor, jornalista, ator. Sua obra literária, voltada para o público infantojuvenil, é adaptada a diferentes fases de letramento, contribuindo com a formação de leitores e tornando-se popular entre pais e educadores. É reconhecido pela série narrativa Os Karas, destinada a adolescentes.

Texto

Abrir módulo

Pedro Bandeira de Luna Filho (Santos, São Paulo, 1942). Escritor, jornalista, ator. Sua obra literária, voltada para o público infantojuvenil, é adaptada a diferentes fases de letramento, contribuindo com a formação de leitores e tornando-se popular entre pais e educadores. É reconhecido pela série narrativa Os Karas, destinada a adolescentes.

Em 1958, completa o ginásio no Instituto de Educação Canadá, em Santos, onde desenvolve o interesse pelas artes e pela filosofia. Dedica-se ao teatro amador, aproximando-se dos clássicos da dramaturgia e da literatura. Em 1961, muda-se para São Paulo. Conclui o bacharelado em publicidade na Universidade de São Paulo, em 1965. Ao mesmo tempo, atua no teatro, e contribui com a direção e produção de peças. Inicia o trabalho de jornalista, passando pelo jornal Última Hora e pela Editora Abril.

Encerra sua atuação no teatro em 1967, dedicando-se exclusivamente ao jornalismo. Além de reportagens, produz material infantil. Na década de 1970, aprofunda-se nos estudos da psicologia do desenvolvimento, cuja teoria permite que o autor identifique interesses e necessidades de jovens de diferentes faixas etárias. Com base nesse arcabouço teórico, Pedro Bandeira investe na produção de conteúdo ficcional. Em 1983, publica seu primeiro livro para crianças, O Dinossauro que Fazia Au-Au (1983).

O romance A Droga da Obediência (1984), dirige-se a leitores adolescentes e inaugura a série literária Os Karas, que perpassa toda sua carreira. A coleção apresenta cinco personagens que integram um grupo secreto de estudantes do Colégio Elite. Cada um deles possui uma qualidade: Miguel, o líder, é presidente do Grêmio estudantil; Chumbinho, o mais jovem de todos, tem perfil curioso; Magrí, a atleta do colégio, tem habilidades físicas; Crânio, o mais inteligente, é campeão de xadrez e recebe as melhores notas do colégio; e Calú, ator e humorista, é responsável pelos disfarces usados pelo grupo. A tipificação dos personagens é um recurso de que Bandeira se vale para se aproximar do público adolescente.

Em cada livro da série, Os Karas devem solucionar um mistério. Em A Droga da Obediência, o grupo investiga sequestros de estudantes, ao mesmo tempo que combate o Dr. QI, criador de uma droga capaz de controlar os impulsos humanos e a obediência. Como em outros livros do escritor, o jovem é colocado como protagonista. A narrativa remete a obras de aventura e ficção científica. O enredo de ação torna a escrita atrativa ao público-alvo. O conceito da droga da obediência e as consequências em que ela implica podem ser lidos como uma crítica ao regime militar brasileiro.

Ao comunicar-se com leitores adolescentes, o autor aborda dilemas existenciais e o desenvolvimento da sexualidade. O livro A Marca de Uma Lágrima (1985) narra o triângulo amoroso entre Isabel, seu primo Cristiano, e Rosana, melhor amiga de Isabel. Apesar de estar apaixonada por Cristiano, Isabel ajuda Rosana a conquistá-lo com poemas e cartas que redige em nome da amiga. Ao mesmo tempo, Isabel é testemunha do suicídio da diretora de sua escola. Entre os debates que o livro incita, encontram-se questões de autopercepção, dado que Isabel sente que sua aparência física é inadequada, e a sexualidade feminina, pois em certas passagens o narrador descreve os impulsos sexuais de Isabel em relação a Cristiano. O livro recebe o Troféu APCA na categoria Livro Juvenil.

A releitura dos clássicos literários é tema recorrente na obra de Pedro Bandeira. Em O Fantástico Mistério de Feiurinha (1986), o autor revisita os contos de fadas para descrever o que acontece com as princesas após o encontro com o príncipe encantado. Curiosamente, todas têm um destino parecido: estão grávidas e cuidam do marido, que torna-se preguiçoso e engorda após o casamento. Durante uma reunião de princesas de contos de fadas, elas tentam desvendar o mistério da Feiurinha, uma princesa desconhecida que nunca se casa pois não encontra o príncipe. O livro é vencedor do Prêmio Jabuti na categoria Literatura Infantil.

Na década de 1990, Pedro Bandeira torna-se um dos escritores mais admirados entre jovens, pais e educadores. Escreve livros para públicos de diversas idades, incluindo outros da série Os Karas.

Publica Alice no País da Mentira (2005), narrativa para o público infantil. Ao visitar o sótão da avó, Alice entra no espelho mágico e visita o País da Mentira, onde residem personagens estranhos, de pernas curtas e nariz longo. Após ser perseguida pela pior das Mentiras, a Mentira Cabeluda, Alice encontra o País da Verdade. Nesta região, conhece vários tipos de Verdades, incluindo aquela que deve ser evitada, a Verdade Absoluta. As nuances da escrita permitem que os leitores pensem no sentido das palavras. Por meio dos personagens, o autor dedica-se a explicar o vocabulário mais elaborado, como “calúnia”, “delação” e “difamação”. O livro contribui com o letramento infantil e mostra às crianças como pensar de forma crítica. Cumpre, portanto, uma função formadora.

Pedro Bandeira atualiza sua escrita para leitores de várias gerações. Em 2014, publica A Droga da Amizade, livro da série Os Karas. Inserida na era de dispositivos eletrônicos e redes sociais, a narrativa mostra o que acontece com os cinco personagens após se tornarem adultos. Eles descobrem que, embora fiquem mais velhos, a amizade e o espírito de aventura sempre prevalecem.

Dedicado à formação de leitores, Pedro Bandeira é um dos principais representantes da literatura infanto juvenil brasileira. Sua escrita inventiva e curiosa instrui jovens e adultos sobre a importância da leitura.

Obras 26

Abrir módulo

Espetáculos 4

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Pedro Bandeira - Série Cada voz (2022)
Em meio a memórias de suas experiências no teatro, no jornalismo e nas letras, Pedro Bandeira tem um olho no futuro: fala das crianças como a esperança de um país melhor e dedica a elas sua trajetória como escritor. Para o autor, a literatura infanto-juvenil é um fértil terreno de imaginação e uma ferramenta para formar leitores e provocar emoções.

Cada voz
A série “Cada voz” é um projeto da "Enciclopédia Itaú Cultural" com registros de depoimentos de artistas de diferentes áreas de expressão, como literatura, música, teatro e artes visuais. Conduzidos pelo fotógrafo Marcus Leoni, os vídeos capturam o pensamento dos artistas sobre seu processo de criação e sua visão sobre a própria trajetória. Os registros aproximam o público do artista, que permite a entrada no camarim, no ateliê ou na sala de escrita.

ITAÚ CULTURAL

Presidente: Alfredo Setubal
Diretor: Eduardo Saron
Gerente do Núcleo de Enciclopédia: Tânia Rodrigues
Produção de conteúdo: Pedro Guimarães
Núcleo de Audiovisual e Literatura
Gerente: André Furtado
Coordenação: Kety Nassar
Produção audiovisual: Amanda Lopes
Edição de conteúdo acessível: Richner Allan
Direção, edição e fotografia: Marcus Leoni
Montagem: Renata Willig
Interpretação em Libras: FFomin Acessibilidade e Libras (terceirizada)

O Itaú Cultural integra a Fundação Itaú para Educação e Cultura. Saiba mais em fundacaoitau.org.br.

Fontes de pesquisa 9

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: