Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Francisco Acquarone

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 29.06.2021
1898 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
06.03.1954 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Reprodução Fotográfica Autoria Desconhecida

Resto de Bandeira, 1941
Francisco Acquarone
c.i.e.
100,00 cm x 80,00 cm
Acervo: informação não encontrada

Francisco Acquarone (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1898 - idem 1954). Historiador, pintor, desenhista, caricaturista, ilustrador, professor, crítico, escritor, jornalista. Cursa a Escola Nacional de Belas Artes (Enba), onde é aluno dos pintores Baptista da Costa (1865-1926), Modesto Brocos (1852-1936), Rodolfo Chambelland (1879-1967) e Rodolfo...

Texto

Abrir módulo

Francisco Acquarone (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1898 - idem 1954). Historiador, pintor, desenhista, caricaturista, ilustrador, professor, crítico, escritor, jornalista. Cursa a Escola Nacional de Belas Artes (Enba), onde é aluno dos pintores Baptista da Costa (1865-1926), Modesto Brocos (1852-1936), Rodolfo Chambelland (1879-1967) e Rodolfo Amoedo (1857-1941). Dedica-se à pintura, desenho, caricatura e ilustração. Trabalha como jornalista e ilustrador do periódico Dom Quixote, a partir de 1918. Posteriormente, colabora com retratos e ilustrações a bico-de-pena e crayon para periódicos como O Jornal, A Noite e Dom Casmurro, revista de cultura voltada para a divulgação das artes plásticas. Participa dos Salões de Belas Artes, entre 1926 e 1941, com paisagens, retratos, pinturas históricas e de gênero. Torna-se conhecido principalmente por sua atuação como historiador da arte e publica títulos como Mestres da Pintura no Brasil, s.d., em parceria com Queirós Vieira; História da Arte no Brasil, em 1939; Obras-Primas de Rodolfo Amoedo, Mestre da Pintura Brasileira, em 1941; e Primores da Pintura no Brasil (1942), entre outros.

Análise

Como pintor, Francisco Acquarone interessa-se por paisagens e cenas populares e históricas, e participa dos Salões de Belas Artes, entre 1926 e 1941. Torna-se conhecido principalmente por sua atuação como historiador da arte, publicando vários títulos, como História da Arte no Brasil, 1939, Mestres da Pintura no Brasil, s.d., e Primores da Pintura no Brasil, 1942, entre outros. Suas publicações revelam o objetivo de tornar o conhecimento da arte acessível ao grande público, em edições com ilustrações coloridas, de página inteira, com biografias breves e comentários sobre obras escolhidas. No livro Primores da Pintura no Brasil, pode-se perceber a sensibilidade do autor em relação à pintura brasileira do século XIX: ele recupera os escritos do crítico Gonzaga Duque e valoriza a produção de artistas como Arthur Timótheo da Costa e Rodolfo Amoedo, a quem dedica uma publicação em especial (Obras-Primas de Rodolfo Amoedo, Mestre da Pintura Brasileira, 1941), com elogios a seu desenho impecável e colorido harmonioso.

Obras 1

Abrir módulo

Exposições 10

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 8

Abrir módulo
  • ACQUARONE, Francisco; VIEIRA, Adão de Queiroz. Primores da pintura no Brasil. 2.ed. [Rio de Janeiro]: [s.n.], 1942. v. 1.
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997.
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Rio de Janeiro: Spala, 1992. 2v.
  • BRAGA, Theodoro. Artistas pintores no Brasil. São Paulo: São Paulo Editora, 1942.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • RUBENS, Carlos. Pequena história das artes plásticas no Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1941. (Brasiliana. Série 5ª: biblioteca pedagógica brasileira, 198).

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: