Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.

Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Miró da Muribeca

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 01.08.2022
06.08.1960 Brasil / Pernambuco / Jaboatão dos Guararapes
31.07.2022 Brasil / Pernambuco / Recife
João Flávio Cordeiro da Silva (Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, 1960 - Recife, 2022). Poeta. Importante nome da literatura marginal, Miró da Muribeca tem a periferia de Recife e o cotidiano da população subalternizada como mote principal de suas obras, desenhando um retrato da capital pernambucana através de suas vivências.

Texto

Abrir módulo

João Flávio Cordeiro da Silva (Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, 1960 - Recife, 2022). Poeta. Importante nome da literatura marginal, Miró da Muribeca tem a periferia de Recife e o cotidiano da população subalternizada como mote principal de suas obras, desenhando um retrato da capital pernambucana através de suas vivências.

Miró, nome inspirado no jogador de futebol Mirobaldo, atuante na década de 1970, assume o local onde nasceu para complementar o pseudônimo pelo qual ficaria conhecido, a comunidade de Muribeca, no município pernambucano de Jaboatão dos Guararapes. Seu primeiro poema “Quatro horas e um minuto”, que compõe seu livro de estreia Quem descobriu o azul anil? (1985), é escrito após presenciar uma abordagem policial a um grupo de jovens no centro de Recife. Esse cotidiano da população negra e subalternizada da capital pernambucana será o tema principal da produção do poeta, que afirma que quem lê sua produção não precisa buscar no dicionário, já que ela está presente na frente de todos, na avenida. Trata-se de uma poesia de pés descalços, como suas inspirações.

Além da escrita, Miró também utiliza da poesia para suas performances, seja em teatros, eventos literários ou nas ruas, vendendo seus livros, o poeta aprimora sua potencialidade cênica na interpretação de seus próprios textos.

Miró da Muribeca trabalha dando ritmo poético à capital pernambucana, tornando-se um cronista de sua população enquanto denuncia as condições às quais a mesma está submetida.

Obras 13

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: