Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Cinema

Nelly Martins

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 02.02.2021
10.08.1936
28.01.2021
Nelly Biato Gnattali (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1936 – idem, 2021). Atriz, cantora e pianista. Destaca-se pela carreira no rádio, no cinema e na televisão, e pela preservação da obra do compositor Radamés Gnattali (1906-1988).

Texto

Abrir módulo

Nelly Biato Gnattali (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1936 – idem, 2021). Atriz, cantora e pianista. Destaca-se pela carreira no rádio, no cinema e na televisão, e pela preservação da obra do compositor Radamés Gnattali (1906-1988).

Estuda piano na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Já graduada, participa como pianista e vence o concurso Calouros em Desfile, apresentado pelo compositor Ary Barroso (1903-1964), na Rádio Tupi, em 1952.

Em 1956, é contratada pela rádio e TV Tupi e começa a trabalhar como cantora e a usar o pseudônimo Nelly Martins. No mesmo ano, é eleita artista revelação do rádio, e, em 1959, rainha dos músicos. Grava seis discos de 78 rotações entre 1956 a 1962, pela gravadora Continental.

Na televisão, apresenta programas como Noites Cariocas, da TV Rio, e trabalha em novelas, como O Céu É de Todos (1965), da TV Excelsior. 

Entre as décadas de 1950 e 1960, atua como atriz no cinema, fazendo papéis em comédias musicais, como em Garota Enxuta (1959), direção de J. B. Tanko (1906-1993), em que representa uma jovem que deseja cantar em um programa de TV patrocinado pela fábrica de automóveis de seu pai. Também faz personagens de moças ingênuas, como Selminha, no drama O Beijo (1964), do diretor Flávio Tambellini (1927-1976).

Com Radamés Gnattali grava o EP Radamés Gnattali e Nelly Martins – Piano duo (1968), pela gravadora Codil, com 12 faixas. De 1969 a 1979, apresenta-se com Radamés em concertos, programas de rádio e televisão. Ainda na década de 1970, forma-se em fisioterapia. Nelly deixa a carreira artística em 1980, e gradua-se em medicina pela Universidade Gama Filho.

Com o falecimento de Radamés em 1988, Nelly dedica-se a preservar e divulgar sua obra e passa a ser uma das responsáveis pelo inventário de partituras da plataforma digital sobre o compositor, organizada pelo sobrinho do músico, o arranjador e compositor Roberto Gnattali (1948).

Transitando em diferentes áreas, Nelly Biato Gnattali marca sua trajetória entre a atuação na TV e no cinema, a dedicação à música e à preservação da obra musical de Radamés Gnattali no Brasil

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: