Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Cinema

Salomão Scliar

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 14.02.2017
1925 Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre
1991 Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Vento Norte [cartaz], 1951
Desenho
61,00 cm x 96,00 cm

Salomão Scliar (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1925 – Idem, 1991). Cineasta, fotógrafo, produtor e roteirista. Nascido numa família gaúcha ligada às artes, em 1943, muda-se para o Rio de Janeiro. Integra a redação da revista Diretrizes, onde trabalha seu irmão, o pintor Carlos Scliar (1920-2001). Estabelece longa carreira no fotojornalismo, em...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Salomão Scliar (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1925 – Idem, 1991). Cineasta, fotógrafo, produtor e roteirista. Nascido numa família gaúcha ligada às artes, em 1943, muda-se para o Rio de Janeiro. Integra a redação da revista Diretrizes, onde trabalha seu irmão, o pintor Carlos Scliar (1920-2001). Estabelece longa carreira no fotojornalismo, em revistas como O Cruzeiro, Manchete, Senhor e Realidade. Realiza reportagens fotográficas em vários estados do Brasil e no exterior.

Dirige, em 1945, o curta-metragem documental Homens do Mar, sobre pescadores, tema que, anos depois, inspira o seu único longa-metragem, Vento Norte (1951). Trabalha como assistente de câmera em O Cavalo 13 (1946), de Luiz Alípio de Barros (1893-1981) e Inocência (1948), de Fernando de Barros (1915-2002) e Luiz de Barros. Também é operador de câmera em Caminhos do Sul (1949), de Fernando de Barros.

Intelectual, amante do jazz, da fotografia, da pintura e do cinema, participa da fundação do Clube de Cinema de Porto Alegre, em 1948. No início da década de 1950, funda a Horizonte Filmes, com a intenção de montar um estúdio e iniciar uma série de filmes gaúchos. Sem conseguir realizar o estúdio, filma Vento Norte em locações na praia de Torres, Rio Grande do Sul, em 45 dias. Além de criar a ideia original – transformada em argumento pelo escritor Josué Guimarães (1921-1986) – Salomão escreve o roteiro final, fotografa, dirige e coproduz esse primeiro longa sonoro realizado no Rio Grande do Sul. Planeja um segundo longa de ficção, Terra de Sangue, que não sai do papel. Realiza documentários para cinema e TV, até a década de 1960.

Análise

Salomão Scliar  destaca-se pelo apuro visual em suas fotografias e filmes, como atestam as cenas de conjunto e as sequências marítimas, em Vento Norte. Suas reportagens fotográficas tratam frequentemente de temas sociais – o mundo do trabalho, a pobreza, o contraste entre o Brasil rural e o urbano – também tematizados em seu filme. Parte da crítica enxerga na obra elementos do neorealismo italiano, por abordar as dificuldades e os conflitos de trabalhadores e pela participação de pescadores autênticos como intérpretes.

A professora Mariarosaria Fabris, por sua vez, compara o diálogo do filme com Que viva México! (1932), Sergei Eisenstein (1898-1948), “principalmente no castigo infligido a um de seus personagens (enterrado na areia até o pescoço)”1.

Para o cineasta e professor Glênio Póvoas, autor de dissertação sobre Vento Norte, o filme ainda deslumbra devido à “luminosidade da fotografia, a cuidada composição dos enquadramentos – e a um certo caráter documental que lhe confere valor de peça antropológica.”

Nota

1 FABRIS, Mariarosaria. A questão realista no cinema brasileiro: aportes neo-realistas. Alceu, Rio de Janeiro, v. 1, 2007. p. 82-94.

Obras 1

Abrir módulo
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Exposições 2

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 8

Abrir módulo
  • BUNDT, Roger Luiz da Cunha. A Regionalidade do Cinema Gaúcho. Disponível em: < http://encipecom.metodista.br/mediawiki/images/7/73/GT3-_10-_A_regionalidade-Roger.pdf >. Acesso em: 21 maio 2012.
  • FABRIS, Mariarosaria. A questão realista no cinema brasileiro: aportes neo-realistas. Alceu, Rio de Janeiro, v. 1, 2007. p. 82-94
  • LUNARDELLI, Fatimarlei. Quando éramos jovens: história do Clube de Cinema de Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. Universidade UFRGS: Secretaria Municipal de Cultura, 2000.
  • MAIA, Yolandino. Vento norte – um filme gaúcho. Momento feminino, Rio de Janeiro, n.82 , mar.1951. p. 11
  • PÓVOAS, Glênio. Encantamento do filme Vento norte atravessa meio século. Sessões do Imaginário, Porto Alegre, n. 6, jul., 2001. p. 20-24
  • PÓVOAS, Glênio. História e analise do filme Vento Norte. Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), São Paulo, 1998.
  • RAMOS, Fernão; MIRANDA, Luis Felipe. Enciclopédia de cinema brasileiro. São Paulo: Editora SENAC, 2ª Edição, 2004.
  • SILVA NETO, Antônio Leão da. Dicionário de filmes brasileiros. São Paulo: Edição do Autor, 2002.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: