Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Darcy Penteado

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 16.07.2021
1926 Brasil / São Paulo / São Roque
03.12.1987 Brasil / São Paulo / São Roque
Registro fotográfico Julio Agostinelli

Retrato de Darcy Penteado, 1959
Julio Agostinelli, Darcy Penteado
Acervo Idart/Centro Cultural São Paulo

Darcy Penteado (São Roque SP 1926 - idem 1987). Cenógrafo e figurinista. Artista plástico, desenhista, gravador e literato, dedica-se durante os anos 50 a trabalhos na área de indumentária e cenografia, trabalhando com diretores representativos do período.

Texto

Abrir módulo

Biografia

Darcy Penteado (São Roque SP 1926 - idem 1987). Cenógrafo e figurinista. Artista plástico, desenhista, gravador e literato, dedica-se durante os anos 50 a trabalhos na área de indumentária e cenografia, trabalhando com diretores representativos do período.

Após os 10 anos, muda-se para São Paulo, para concluir seus estudos. Distingue-se pelos desenhos que realiza, levando-o a trabalhar em agências de publicidade, de desenho industrial e como figurinista de magazines. Faz retratos e, tornando-se conhecido, destaca-se no meio profissional.

Em 1952, Darcy estréia no Teatro Brasileiro de Comédia, TBC, confeccionando as máscaras para Antígone, de Sófocles, direção de Adolfo Celi. No mesmo ano, está em A Calça, de Carl Sternheim; e Iolanda, de Curt Goetz, com direção de Antunes Filho, em 1954, duas montagens do grupo de Lotte Sievers. Realiza a cenografia de É Proibido Suicidar-se na Primavera, para a Companhia Nicette Bruno, arrebatando o Prêmio Governador do Estado. Ainda em 1954 cenografa Os Dous ou O Inglês Maquinista, de Martins Pena, direção de Luís de Lima, para a Escola de Arte Dramática, EAD. Para o Balé do IV Centenário cria os cenários e figurinos para Sonata da Angústia, com música de Bártok, em 1954. Em 1955, idealiza os figurinos de Santa Marta Fabril S. A., de Abílio Pereira de Almeida, para o TBC. Volta a trabalhar com Lotte Sievers, num texto de sua autoria, A Morte Foi Contratada, direção de Ruy Affonso, em 1956. No ano seguinte está em duas criações: Casal Vinte, de Miroel Silveira, e Esses Maridos, de George Axelrod, direção de Adolfo Celi e produção da Companhia Tônia-Celi-Autran, CTCA. Em 1958, confecciona os figurinos para Pedreira das Almas, de Jorge Andrade, dirigido por Alberto D'Aversa, no TBC. Desde 1955 vinha participando na televisão, como diretor de arte. Em 1960 faz os cenários e figurinos de Um Gosto de Mel, de Shellagh Delaney, direção de Benedito Corsi, novamente para o TBC. Em 1961, integra a produção de Armadilha para um Homem Só, de Robert Thomas, uma direção de Luís de Lima para o Teatro Maria Della Costa, TMDC.

Afastado do teatro durante algum tempo, Darcy retorna, em 1977, como o figurinista de Volpone, de Ben Johnson, direção de Antônio Abujamra. Envolve-se, na seqüência, com produções obscuras até lançar-se como autor em A Engrenagem, de 1978, direção de Odavlas Petti, assumindo abertamente a condição homossexual, assunto que será também explorado em sua primeira novela - A Meta -, editada no ano seguinte, período em que está francamente envolvido na luta contra a discriminação.

Obras 8

Abrir módulo

Exposições 47

Abrir módulo

Eventos relacionados 32

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 18

Abrir módulo
  • AYALA, Walmir. Dicionário de pintores brasileiros. Organização André Seffrin. 2. ed. rev. e ampl. Curitiba: Ed. UFPR, 1997. 000000
  • BELLA, J. J. de Barros. Caráter expressionista e dramático servido de requintado bom gosto. Folha da Manhã, São Paulo, 18 out. 1959.
  • BULCÃO, Athos. [Currículo]. Enviado pelo artista. Não catalogada
  • DARCY Penteado. Apresentação de Renato Magalhães Gouvêa. São Paulo: Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte, 1983.
  • DARCY Penteado: sessenta anos. Apresentação de Chico Lopes. São Paulo: Galeria de Arte André, 1986.
  • DARCY Penteado: sessenta anos. São Paulo: Galeria de Arte André, 1986. Apresentação de Chico Lopes.
  • DARCY Penteado: temas e variacões. Texto de Darcy Penteado. São Paulo: Galeria Alberto Bonfiglioli, 1985.
  • GUERINI, Elaine. Nicette Bruno & Paulo Goulart: tudo em família. São Paulo: Cultura - Fundação Padre Anchieta: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. 256 p. (Aplauso Perfil). 792.092 G932n
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989. R703.0981 P818d
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. 000000
  • LOUZADA, v.1-7;9. 000000
  • Planilha enviada pelo pesquisador Edélcio Mostaço. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Classe Média Televisão Quebrada - 1978. Não catalogado
  • SCHENBERG, Mario. Pensando a arte. São Paulo: Nova Stella, 1988.
  • VOLPONE. São Paulo: Auditório Augusta, 1977. 1 programa do espetáculo. Não catalogado

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: