Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Octávio Araújo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 08.02.2021
22.03.1926 Brasil / São Paulo / Terra Roxa
26.06.2015 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Nelson Toledo

[Violon d´Ingres], 1992
Octávio Araújo
Óleo sobre tela
46,00 cm x 61,00 cm

Octávio Ferreira de Araújo (Terra Roxa, São Paulo, 1926 - São Paulo, São Paulo, 2015). Gravador, pintor, desenhista, ilustrador, artista gráfico. Estuda pintura na Escola Profissional Masculina do Brás, em São Paulo, com Edmundo Migliaccio e José Barchitta, entre 1939 e 1943. Integra o Grupo dos 19, em 1947. Dois anos depois, viaja para Paris, o...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Octávio Ferreira de Araújo (Terra Roxa, São Paulo, 1926 - São Paulo, São Paulo, 2015). Gravador, pintor, desenhista, ilustrador, artista gráfico. Estuda pintura na Escola Profissional Masculina do Brás, em São Paulo, com Edmundo Migliaccio e José Barchitta, entre 1939 e 1943. Integra o Grupo dos 19, em 1947. Dois anos depois, viaja para Paris, onde estuda gravura na École National Supérieure des Beaux-Arts [Escola Nacional Superior de Belas Artes] e freqüenta o Gabinete de Estampas do Musée du Louvre [Museu do Louvre]. Retorna ao Brasil em 1951, e no ano seguinte passa a residir no Rio de Janeiro. Indicado pelo pintor Clóvis Graciano (1907-1988), trabalha como auxiliar de Candido Portinari (1903-1962). Com o prêmio de gravura do Salão Para Todos, realizado no Rio de Janeiro, em 1959, viaja para a China. Recebe em 1960 uma bolsa de estudos do Instituto Répin, em Leningrado, atual São Petersburgo, patrocinada pelo Ministério da Cultura da União Soviética (atual Rússia). Em 1961, frequenta o Instituto Poligráfico em Moscou. Permanece nessa cidade por oito anos, e trabalha como ilustrador de livros latinos-americanos, tradutor e dublador de documentários. É realizada em 1972 a mostra Octávio Araújo: 20 Anos Depois, no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateubriand (Masp), e, em 1979, é publicado o livro Octávio Ferreira de Araújo: 10 Anos de Pintura, de José Roberto Teixeira Leite.

Análise

Em suas pinturas e gravuras, Octávio Araújo revela seu interesse por obras de pintores flamengos, alemães e italianos dos séculos XV e XVI, por vezes inspirando-se diretamente em figuras retiradas dessas obras.

Alguns estudiosos percebem, nos trabalhos do artista, afinidade com o surrealismo, principalmente pela apresentação de uma atmosfera onírica. Segundo ele próprio, sua obra visa a despertar um clima original de mistério e magia no espectador. Nesse sentido, a figura da mulher é associada aos elementos da natureza. Araújo mescla, numa mesma composição, imagens muito diferentes, como as de animais, objetos, escadas ou ruínas, criando com elas cenas inesperadas.

Obras 37

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Nelson Toledo

[Sem Título]

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica Nelson Toledo

[Sem Título]

Óleo sobre tela
Reprodução fotográfica Nelson Toledo

[Sem Título]

Óleo sobre tela

Exposições 88

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Octávio Araújo - Enciclopédia Itaú Cultural
Para o artista plástico paulista Octávio Araújo, a pintura é uma consequência do desenho. “O que faz com que você expresse é o desenho. A cor é quase um complemento”, acredita. Seu processo de criação e produção é demorado, fruto de meditação e reflexão. “Não tenho nenhum remorso de ser lento. Tenho medo de entrar nessa corrida desenfreada, porque você não sabe, ninguém sabe para onde está indo”. A pintura de Araújo transita entre expressionismo, surrealismo e experimentações com abstracionismo, utilizando materiais como aquarela e guache. Ele rejeita, no entanto, todos esses rótulos e prefere manter sua liberdade de criação, sem se fixar em estilos pré-estabelecidos. Sua única preocupação é despertar um clima de mistério no espectador. Ao longo de seus mais de 50 anos de carreira, a tela em branco continua sendo um grande desafio: “A cada manhã que eu venho para cá, sinto um tremendo medo de começar a pintar.”

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Erika Mota (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

Fontes de pesquisa 9

Abrir módulo
  • 19 pintores. São Paulo: Tema Galeria de Arte, 1968. [10] p. SPtga 1968
  • ARAÚJO, Emanoel (org.). A Mão afro-brasileira: significado da contribuição artística e histórica. São Paulo, SP: Tenenge, 1988.
  • ARAÚJO, Octávio. Octávio Araujo: 20 anos depois. São Paulo, SP: MASP, 1972. [36] p., il. p&b, color.
  • ARTE no Brasil. São Paulo: Abril Cultural, 1982.
  • GRAVURA: arte brasileira do século XX. São Paulo: Itaú Cultural: Cosac & Naify, 2000.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Octavio Ferreira de Araujo: 10 anos de pintura. 2.ed. São Paulo: Klara Gourianova, 1979.
  • MUSEU DE ARTE MODERNA (SÃO PAULO, SP) (org.). Do modernismo à Bienal. São Paulo: MAM, 1982.
  • OS GRUPOS: a década de 40. São Paulo: Museu Lasar Segall, 1977. (Ciclo de Exposições de Pintura Brasileira Contemporânea).
  • Respeitado por críticos e colegas, Octávio Araújo morre aos 89 anos em SP. Diário do Grande ABC. Disponível em: http://www.dgabc.com.br/Noticia/1461037/respeitado-por-criticos-e-colegas-octavio-araujo-morre-aos-89-anos-em-sp. Acesso em: 29 jun. 2015.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: