Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Benedito Lima de Toledo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 08.10.2020
1934 Brasil / São Paulo / São Paulo
31.07.2019 Brasil / São Paulo / São Paulo
Benedito Lima de Toledo (São Paulo, São Paulo, 1934). Arquiteto, historiador e professor. Forma-se na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP) em 1961. Durante a graduação, preside o Centro de Estudos Folclóricos (CEF), do Grêmio da Faculdade (Gfau). Começa a dar aulas na mesma instituição em 1962, tornando-se ...

Texto

Abrir módulo

Benedito Lima de Toledo (São Paulo, São Paulo, 1934). Arquiteto, historiador e professor. Forma-se na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU/USP) em 1961. Durante a graduação, preside o Centro de Estudos Folclóricos (CEF), do Grêmio da Faculdade (Gfau). Começa a dar aulas na mesma instituição em 1962, tornando-se professor-titular em 1988. Em 1965, conclui o curso de pós-graduação Restauro e Conservação de Obras de Arte, da FAU/USP, apresentando uma monografia sobre o Caminho do Mar, publicada no primeiro número da Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, de 1966. Em 1972, defende a tese de doutorado O Real Corpo de Engenheiros na Capitania de São Paulo, Destacando-se a Obra do Brigadeiro da Costa Ferreira, sob a orientação de Nestor Goulart Reis Filho (1931). Em 1985, defende a tese de livre-docência Victor Dubugras e as Atitudes de Inovação em seu Tempo. É autor de livros de história da arquitetura paulista, com destaque para Projeto Lorena, os Caminhos do Mar: Revitalização, Valorização e uso dos Bens Culturais (1975); São Paulo: Três Cidades em um Século (1981); Álbum Iconográfico da Avenida Paulista (1987); Anhangabaú (1989); Prestes Maia e as Origens do Urbanismo Moderno em São Paulo (1996); e Frei Galvão: Arquiteto (2007). Os livros sobre a Avenida Paulista, o Vale do Anhangabaú e o engenheiro Francisco Prestes Maia (1896-1965) são ilustrados com a sua coleção de cerca de 40 mil fotos, 25 mil slides e centenas de cartões-postais. Em 2000, assume a cadeira nº 39 da Academia Paulista de Letras. Aposenta-se em 2004, mas mantém-se ativo na pós-graduação. Além da docência, dedica-se à pesquisa.

 

Análise

Benedito Lima de Toledo ajuda a consolidar a formação em história da arquitetura e do urbanismo no Brasil, dedicando-se à carreira acadêmica. Formado em 1961, no ano seguinte ingressa na FAU/USP como professor do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto, onde desenvolve suas pesquisas. Em 1965, termina o primeiro curso de pós-graduação a ser oferecido pela FAU/USP, Restauro e Conservação de Obras de Arte. Tem aulas com Augusto da Silva Telles (1923), Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982) e Rodrigo Melo Franco de Andrade (1898-1969)

A pesquisa investiga, levanta e propõe a conservação e o restauro do Caminho do Mar. A estrada é uma das mais importantes na formação das cidades litorâneas e interioranas de São Paulo, Santos e a antiga Vila de Piratininga. Aberta por viajantes e tropeiros na Serra do Mar, é reformada pelo engenheiro militar português João da Costa Ferreira (1750-1822), durante a gestão do governador Bernardo José de Lorena (1756-1818). Por isso, fica conhecida como Calçada do Lorena. Por ocasião do Centenário da Independência do Brasil, Washington Luís (1869-1957), então governador de São Paulo, reforma outra vez o antigo caminho, pavimentando-o com concreto armado e construindo uma série de monumentos projetados pelo arquiteto Victor Dubugras (1868-1933). São eles: o Cruzeiro Quinhentista, o Pontilhão da Serra, o Belvedere Circular, o Padrão do Lorena, o Rancho da Maioridade e o Pouso de Paranapiacaba. Anos mais tarde, Toledo é contratado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) para realizar os levantamentos métrico-arquitetônico e fotográfico dessas obras, tombadas em 1972 e inscritas no livro de tombo em 1979. 

O trabalho abre outras duas linhas de pesquisa para o arquiteto. Uma, dedicada à ação dos engenheiros militares na arquitetura e na ordenação territorial do Brasil, objeto de sua tese de doutorado. Outra, dedicada à obra de Victor Dubugras, tema da tese de livre-docência. Esta última linha de pesquisa não tem continuidade. A primeira mantêm-se ao longo de sua carreira, como atesta a comunicação “A Ação dos Engenheiros Militares na Ordenação do Espaço Urbano no Brasil”, apresentada em 2000, no Colóquio A Construção do Brasil Urbano, realizado em Lisboa. 

Para Toledo, 

 

(...) da análise do extenso rol de serviços prestados por esses engenheiros militares, podemos constatar que as expedições demarcatórias, vindas ao Brasil com missão inicial de criar condições para o cumprimento dos tratados de limites, foram responsáveis pela vinda de contingente de profissionais cuja atividade, além de cartografia de excepcional qualidade, veio renovar o planejamento urbano, o traçado de estradas, a arquitetura e as técnicas construtivas em geral [1].

 

Afirmação comprovada por um conjunto de pesquisadores que destaca a importância do tema para a história da arquitetura e urbanismo em Portugal e no Brasil desde os anos 1980. Entre eles, Rafael Moreira, Nestor Goulart Reis Filho (1931) e Beatriz Piccolotto Siqueira Bueno.

Na tese sobre Victor Dubugras, Toledo destaca a importância documental dos cartões-postais para a história da cidade e da arquitetura, tema retomado nos livros Álbum Iconográfico da Avenida Paulista (1987), Anhangabaú (1989) e Prestes Maia e as Origens do Urbanismo Moderno em São Paulo (1996). Neles, aproveita grande parte de sua coleção iconográfica. Complementados com mapas da cidade, planos urbanísticos, plantas, cortes e elevações de edificações variadas, o material colecionado por Toledo é de extremo interesse para quem se dedica a conhecer São Paulo e sua arquitetura. 

Parte dele é explorado no livro São Paulo: Três Cidades em um Século (1981). Conformado por uma série de ensaios escritos originalmente para os jornais O Estado de S. Paulo e o Jornal da Tarde, cujo objetivo é mais documentar os “danos irreversíveis ao patrimônio cultural da cidade” e despertar uma consciência patrimonialista do que analisar as transformações em curso do ponto de vista das forças econômicas, políticas, sociais e culturais envolvidas na construção da cidade. O livro apresenta uma tese de grande aceitação entre pesquisadores de outras áreas. Segundo Toledo, “(...) a cidade de São Paulo é um palimpsesto – um imenso pergaminho cuja escrita é raspada de tempos em tempos, para receber outra nova, de qualidade literária inferior, no geral. Uma cidade reconstruída duas vezes sobre si mesma [no século XX]” [2].

Assim, a cidade colonial de barro é destruída paulatinamente desde 1872, quando as reformas urbanas promovidas por João Theodoro (1828-1878), presidente da província de São Paulo, impulsionam a construção de uma cidade eclética de tijolo de barro, marca do período cafeeiro. Esse modelo urbano se submete, a partir do segundo pós-guerra, à especulação imobiliária para se transformar numa cidade vertical de concreto armado. Em 2004, o livro é relançado com texto e projeto gráfico revisados, tornando sua leitura mais didática. Foram suprimidos ou condensados verbetes do livro original, organizados agora em três capítulos. Apresenta, também, um mapa localizando alguns dos logradouros e edifícios citados no livro.

 

Notas

1. TOLEDO, Benedito Lima de. A ação dos engenheiros militares na ordenação do espaço urbano no Brasil. Urbanismo 4 de origem portuguesa. Revista do Centro de Estudos de Urbanismo e de Arquitectura, Lisboa, n. 4, jul. 2001. Disponível em: http://revistas.ceurban.com/numero4/artigos/artigo_08.htm. Acesso em:  nov. 2011.

2. TOLEDO, Benedito Lima de. São Paulo: três cidades em um século. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1981, p. 67.

Fontes de pesquisa 16

Abrir módulo
  • Benedito Lima de Toledo falece aos 85 anos. Vitruvius, 31 jul. 2019. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br/jornal/news/read/3009. Acesso em: 04 ago. 2019.
  • Morre Benedito Lima de Toledo, arquiteto membro da Academia Paulista de Letras. Folha de S. Paulo, São Paulo, 31 jul. 2019. Ilustrada. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2019/07/morre-benedito-lima-de-toledo-arquiteto-membro-da-academia-paulista-de-letras.shtml. Acesso em: 04 ago. 2019.
  • NÓBREGA, Isabel Cristina. Jair Afonso Inácio, um pioneiro na preservação do patrimônio artístico brasileiro. 1997. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) - Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp, São Paulo, 1997.
  • SODRÉ, João Clark de Abreu. Arquitetura e viagens de formação pelo Brasil: 1938 –1962. Dissertação (Mestrado em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. A ação dos engenheiros militares na ordenação do espaço urbano no Brasil. Urbanismo 4 de origem portuguesa. Revista do Centro de Estudos de Urbanismo e de Arquitectura, Lisboa, n. 4, jul. 2001. Disponível em: http://revistas.ceurban.com/numero4/artigos/artigo_08.htm. Acesso em: nov. 2011.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Anhangabaú. São Paulo: Fiesp, 1989.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Currículo do sistema currículo Lattes. [Brasília], 02 fev. 2015. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/ 1116101797671415. Acesso em: 04 ago. 2019.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Frei Galvão. Arquiteto. Cotia: Ateliê Editorial, 2007.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. O caminho do mar. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 1, p. 37-51, 1966.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. O real corpo de engenheiros na capitania de São Paulo, destacando-se a obra do Brigadeiro da Costa Ferreira. 1972. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP, São Paulo, 1972.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Prestes Maia e as origens do urbanismo moderno em São Paulo. São Paulo: Empresa das Artes, 1996.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Projeto Lorena, os Caminhos do Mar: revitalização, valorização e uso dos bens culturais. São Bernardo do Campo: Prefeitura Municipal de São Bernardo, 1975.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. São Paulo: três cidades em um século. São Paulo: Cosac & Naify: Duas Cidades, 2004.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. São Paulo: três cidades em um século. São Paulo: Duas Cidades, 1981.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Victor Dubugras e as atitudes de inovação em seu tempo. 1985. Tese (Livre-Docência em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP, São Paulo, 1985.
  • TOLEDO, Benedito Lima de. Álbum iconográfico da Avenida Paulista. 2. ed. São Paulo: Ex Libris, 1987.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: