Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Música

Tony Campello

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 02.11.2021
24.02.1936 Brasil / São Paulo / São Paulo
Sérgio Benelli Campello (São Paulo, São Paulo, 1936). Cantor e produtor. Irmão da cantora Celly Campello (1942-2003). Criado na cidade de Taubaté (SP), estuda piano e violão na infância e, em meados da década de 1950, integra conjuntos de baile no interior paulista, como o Ritmos Ok. Posteriormente, entra para o grupo liderado pelo acordeonista ...

Texto

Abrir módulo

Sérgio Benelli Campello (São Paulo, São Paulo, 1936). Cantor e produtor. Irmão da cantora Celly Campello (1942-2003). Criado na cidade de Taubaté (SP), estuda piano e violão na infância e, em meados da década de 1950, integra conjuntos de baile no interior paulista, como o Ritmos Ok. Posteriormente, entra para o grupo liderado pelo acordeonista Mário Gennari Filho (1929-1989). Em 1958, sob contrato da gravadora Odeon, é batizado com o nome artístico pelo qual ficaria conhecido e grava o rock-balada “Perdoa-me (Forgive me)” (Mário Gennari Filho/Celeste Novaes), num disco de 78 rpm com acompanhamento de Gennari Filho e seu conjunto. Na outra face do álbum, também fazendo sua estreia fonográfica, Celly Campello interpreta “Belo rapaz (Handsome boy)” (Mário Gennari Filho/Celeste Novaes). Os irmãos se tornam ídolos da juventude nacional, com gravadoras e canais de televisão apostando em suas carreiras. Em 1959, eles passam a comandar juntos o programa Celly e Tony em Hi-Fi, na TV Record paulista. Individualmente, lançam dezenas de compactos de sucesso. O cantor ganha por duas vezes o troféu Chico Viola, em 1962 e 1963. No cinema, participa dos filmes “Jeca Tatu” (Milton Amaral, 1959) e “Zé do Periquito” (Mazzaropi e Ismar Porto, 1960). Durante o auge da Jovem Guarda (1962-1965), é convidado frequente do programa televisivo homônimo, comandado por Roberto Carlos (1939), Wanderléia (1946) e Erasmo Carlos (1941).

Análise

Em fins da década de 1950, quando a bossa nova começa a ampliar suas fronteiras para além do Rio de Janeiro, o rock norte-americano já se apresenta como um fenômeno mundial, exportando ídolos como os cantores Bill Haley (1925-1981) e Elvis Presley (1935-1977). No Brasil, os irmãos Campello são os pioneiros do rock nacional na fase pré-Jovem Guarda, juntamente com outras figuras marcantes do momento, como os intérpretes Sérgio Murilo (1941-1992) e Carlos Gonzaga (1926).

Tony faz um rock menos rebelde, que explora o romantismo de maneira jovial. Em seu repertório, predominam as versões escritas por Fred Jorge para canções originais estrangeiras, a exemplo de dois dos maiores êxitos do cantor: Boogie do bebê (Johnny Parker/Joachim Relin) e Canário (Luboff/Keith/Bergman), ambos de 1963. Merece destaque também sua investida no cancioneiro italiano, com os álbuns Não te Esqueças de Mim (1962) e Tony Italiano (1964).

Apesar de nunca ter alcançado sucesso similar ao de sua irmã, Tony tem uma presença longeva na música brasileira, mesmo depois de passada a febre da Jovem Guarda, graças à sua atividade como produtor fonográfico. Trabalhando para as gravadoras RCA e Odeon, ele é o responsável pelo lançamento, entre outros, das duplas Deny & Dino, Léo Canhoto & Robertinho e dos cantores Sérgio Reis (1940), Suzy Darlen (1947-) e Luiz Fabiano (1943-2009). 

Espetáculos 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 7

Abrir módulo
  • DOLABELA, Marcelo. ABZ do rock brasileiro. São Paulo: Estrela do Sul, 1987.
  • ENCICLOPÉDIA da música brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed., rev. ampl. Organização Marcos Antônio Marcondes. São Paulo: Art Editora, 1998.
  • FERREIRA, Mauro. Chico César oscila entre o amor e a guerra em disco pautado por fartura musical. 17 set. 2019. G1. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/musica/blog/mauro-ferreira/post/2019/09/17/chico-cesar-oscila-entre-o-amor-e-a-guerra-em-disco-pautado-por-fartura-instrumental.ghtml.
  • FRASER, Etty. Etty Fraser. São Paulo: [s.n.], s.d. Entrevista concedida a Rosy Farias, pesquisadora da Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. Não Catalogado
  • FRÓES, Marcelo. Jovem Guarda - Em ritmo de aventura. São Paulo: Editora 34, 2005.
  • PUGLIALLI, Ricardo. Almanaque da Jovem Guarda. São Paulo: Ediouro, 2006.
  • QUATRO num Quarto. São Paulo: Teatro Oficina Uzyna Uzona, [1962]. 1 programa do espetáculo realizado no Teatro Oficina.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: