Artigo da seção pessoas Renée Wells

Renée Wells

Artigo da seção pessoas
Dança  
Data de nascimento deRenée Wells: 25-08-1925 Local de nascimento: (Argentina / Buenos Aires / Buenos Aires) | Data de morte 2007 Local de morte: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Amália Renée de Tosowells (Buenos Aires, 1925 – Rio de Janeiro, 2007). Bailarina, coreógrafa, escritora e professora. Com apenas 8 anos de idade, ingressa na Escola Nacional de Danças da República Argentina. Os primeiros resultados vêm aos 16 anos, quando é aceita no corpo de baile do Teatro Colón de Buenos Aires, no qual permanece de 1941 a 1944. Em 1945, atua como professora da Escola de Danças dessa mesma instituição. 

Em 1961, por indicação da mestra Tatiana Leskova (1922), obtém bolsa de estudos para especializar-se em dança clássica e moderna no New York City Ballet. Em 1965, cursa dança moderna no Instituto Coreográfico da Academia Real da Suécia, a convite de seu diretor, Bengt Häger (1916-2011). Por meio do trabalho da coreógrafa chilena Malucha Solaris (1920-2005), conhece os princípios de movimento de Rudolf Laban (1879-1958), que baliza o método de ensino, que adota mais tarde, voltado para crianças.

Muda-se para São Paulo a convite da atriz Bibi Ferreira (1922), que lhe apresenta o autor teatral Silveira Sampaio (1914-1964). Juntos, eles montam o balé Brasil, de Pedro a Pedro, espetáculo que permanece em cartaz durante um ano na capital paulista. Ao fim da temporada, volta para Argentina. René retorna ao país em 1951, desta vez para o Rio de Janeiro, onde dança e coreografa para o Teatro Glória e a TV Record. Entre 1954 a 1980, ministra aulas na Escola de Danças do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde cria o pioneiro curso de Metodologia do Ballet. Em 1977, publica o livro O Corpo se Expressa e Dança, inaugurando um segmento de publicações sobre ensino da dança direcionado a crianças no Brasil.

Em 1977, muda-se para Florianópolis a convite da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde leciona dança para crianças e universitários. Cria o Grupo de Dança da UFSC e, mais tarde, o Grupo Móbile, nos quais aplica os princípios de Rudolf Laban. Em 1979, inaugura sua própria escola, a Prodance, em Florianópolis.

Em 1985, junto com Marta Mansinho, funda a Associação dos Profissionais de Dança do Estado de Santa Catarina (Aprodança), entidade com várias ações em prol da dança local. Na capital catarinense, reacende sua paixão pela escultura, desenvolvida nos tempos de conservatório na Argentina. Seu grande mestre é o ceramista catarinense Luiz Canabarro, professor na Universidade do Estado de Santa Catarina (Uesc). Suas esculturas em bronze e cerâmica são exibidas em diversas galerias. 

Em 2005, recebe a Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa, premiação instituída pelo governo de Santa Catarina para homenagear aqueles que prestam relevantes serviços em prol do patrimônio artístico e cultural do estado. 

Pedagoga incansável, Renné Wells contribui para o desenvolvimento da dança no Rio de Janeiro e em Florianópolis. Durante o tempo em que leciona no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, observa que, ao fim do curso de nove anos, os alunos sentem dificuldades para se adaptar às necessidades dos locais em que lecionam, em especial as instituições que escapam aos padrões da escola de bailados e exigem outras estratégias de ensino. 

Após anos atrelados ao vocabulário do balé, segundo Wells, é necessário buscar outras formas de aprendizado. Diante disso, cria e ministra, de 1954 a 1980, o curso de Metodologia do Ballet. Seu método influencia artistas de diferentes opções estéticas, como Eliana Caminada, ex-bailarina do Theatro Municipal, e Mariana Muniz, dançarina contemporânea.

Ao mudar-se para Florianópolis, em 1977, inicia um pioneiro trabalho pedagógico na Universidade do Estado de Santa Catarina, com alunos do Colégio de Aplicação da UFSC. Wells também forma o Grupo de Dança da UFSC, formado por universitários. Com o amadurecimento desses trabalhos, seleciona os alunos mais atuantes e interessados e, em 1979, forma com eles o Grupo Móbile. Neste grupo, utiliza princípios semelhantes aos descritos em sua obra O Corpo se Expressa e Dança: elementos rítmicos com referências ao trabalho de Rudolf Laban e práticas de improvisação corporais espaciais, distantes do método disciplinado e rígido do balé recebido em sua formação inicial. 

Ao lançar esse livro voltado para a faixa etária pré-escolar, Renée constrói um método que orienta professores para o ensino e aprendizado da dança. Além disso, a obra preenche uma lacuna no seguimento de publicações brasileiras sobre ensino de dança para crianças. Segundo a autora, o aprendizado em dança não pode encerrar-se na imitação de passos. Esse procedimento faz com que se perca a força motivadora da dança. O método criado por Renée propõe iniciar o aluno pela descoberta do corpo e do movimento de forma lúdica e criativa: “A improvisação visa criar movimentos fora dos já estabelecidos, através de diversas motivações” e “deveria fazer com que os jovens alunos sentissem prazer em se expressar através do corpo”2.

Nesse sentido, a pedagogia desenvolvida por Renée, uma das primeiras professoras a trabalhar com a ideia de improvisação, lança um novo olhar para o ensino e o aprendizado de dança no país.

Notas

1. Com duas edições, sendo a segunda no ano de 1983 (Rio de Janeiro: F. Alves), acompanhada de um CD com músicas para os exercícios de improvisação propostos.

2.  WELLS, Renée. O corpo se expressa e dança. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983, p.219

Outras informações de Renée Wells:

  • Outros nomes
    • Amália Renée de Tosowells
    • Renée F. de Tosowells
  • Habilidades
    • Coreógrafo
    • professor de dança
    • Bailarino
    • Escultor

Fontes de pesquisa (9)

  • BREHSAN, Nastaja Roussenq. A formação do bailarino contemporâneo em Florianópolis. Monografia (Trabalho de Conclusão do Curso em Educação Artística) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.  
  • FARO, Antonio José. A dança no Brasil e seus construtores. Rio de Janeiro: Fundacen, 1988.
  • FLORES, Maria Bernadete; LEHMKUHL, Luciene; COLLAÇO, Vera. A Casa do Baile: estética e modernidade em Santa Catarina. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2006.
  • MEYER, Sandra. Novos tempos para a dança em Florianópolis nos anos 1970: a contribuição de Bila Coimbra e Renée Wells. In: MEYER, Sandra; PEREIRA, Roberto; NORA, Sigrid (Orgs.). História em movimento: biografias e registros em dança. Caxias do Sul: Lorigraf, 2008. 
  • MEYER, Sandra; TORRES, Vera: XAVIER, Jussara (Orgs.). Histórias da dança. Florianópolis: Editora Udesc, 2012. (Coleção Dança Cênica, 2).
  • NUNES, Sandra Meyer. A dança cênica em Florianópolis. Florianópolis: Fundação Franklin Cascaes, 1994. (Cadernos de Cultura)
  • WELLS, Renée. Entrevista concedida a Phelipe Janningem no apartamento da bailarina. Florianópolis, 4 abr. 2007.
  • WELLS, Renée. Entrevista concedida a Sandra Meyer na Escola Prodance. Florianópolis, 30 maio 1993.
  • WELLS, Renée. O corpo se expressa e dança. 2. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • RENÉE Wells. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa482551/renee-wells>. Acesso em: 08 de Ago. 2020. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7