Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Dança

Lia Sampaio

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 11.01.2021
06.04.1949 Brasil / Amazonas / Manaus
Maria do Céu de Souza Sampaio (Salvador, Bahia, 1949). Professora, dançarina e pesquisadora. É cocriadora do método Música e Movimento. Tem grande atuação no ensino superior e na comunidade no Amazonas, numa perspectiva de integração entre a arte, seu estudo e o contexto social em que se insere.

Texto

Abrir módulo

Maria do Céu de Souza Sampaio (Salvador, Bahia, 1949). Professora, dançarina e pesquisadora. É cocriadora do método Música e Movimento. Tem grande atuação no ensino superior e na comunidade no Amazonas, numa perspectiva de integração entre a arte, seu estudo e o contexto social em que se insere.

Formada em acordeão pelo Conservatório Carlos Gomes, Lia Sampaio atua como professora desde 1964. Durante sua passagem pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), no início dos anos 1970, passa a agregar a dança à sua prática artística e pedagógica.

Na UFBA, participa do Grupo Experimental de Dança Contemporânea, dirigido pelo coreógrafo Clyde Morgan (1940), sendo dançarina e solista do grupo entre 1971 e 1973. Da experiência com Morgan traz o entendimento de que a dança não se separa de seu espaço e contexto, e da importância da integração da comunidade com a universidade.

Esse processo contribui com a criação do método Música e Movimento. Com referência ao movimento educacional e cultural Hora da Criança, criado em 1943 pelo educador Adroaldo Ribeiro Costa (1917-1984), em Salvador, o método é concebido em parceria com a professora Marineide Marinho Maciel da Costa (1950).

A proposta do Música e Movimento é difundir atividades como música, canto coral, artes plásticas, teatro e dança, por meio da qualificação de professores do ensino básico. Por iniciativa da Organização Mundial para Educação Pré-Escolar, viaja pelo Brasil apresentando o método e qualificando professores.

Em 1981, é contratada como colaboradora pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), ligada ao Centro de Artes da Universidade. Na instituição, faz parte da criação do curso de educação artística e de um projeto de extensão no formato de um grupo de dança, o Núcleo Universitário de Dança Contemporânea (Nudac).

Composto de alunos e servidores da Ufam, o Nudac forma um grupo heterogêneo, que viaja representando a universidade em diversos países da América Latina, ao participar de festivais universitários, notavelmente como convidado da abertura de diversas edições do Festival de La Confraternidad Amazônica, na Colômbia.

Quando deixa a Ufam, parte do elenco do Nudac acompanha a professora na formação da Companhia de Dança Lia Sampaio, que mantém a proposta da heterogeneidade, do trabalho baseado na improvisação orientada pelas capacidades de cada corpo, e da preocupação com a reflexão temática e prática da integração da sociedade e do contexto social na produção artística.

Esse tipo de trabalho e sua metodologia podem ser vistos em obras como Brasil Dança Brasil (1995). Com uma abordagem pautada por temas da vida e da experiência cotidiana, o trabalho ilustra um ciclo de vida e morte, que discute o que é viver a época presente, mas com a sabedoria do passado.

A obra tem compositores brasileiros em sua trilha sonora. A questão da experiência pessoal também se reflete na prática coreográfica: um laboratório que mistura as referências pessoais do corpo em movimento com os treinamentos em diversas técnicas modernas e contemporâneas a que os intérpretes são expostos.

Após passagem pela Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc), em 2000 entra para a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), onde faz parte da implantação do curso de graduação em dança, participando da organização do currículo e atuando como professora e coordenadora, e, posteriormente, como coordenadora de pós-graduação/especialização em dança educação.

Entre 2002 e 2007, participa da organização e aplicação do Proformar, programa do Governo do Estado do Amazonas que cria sistemas presenciais e online de formação e qualificação, para atender à exigência da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação de formação em nível superior de todos os professores. O programa atinge os 62 municípios do estado, formando mais de 15 mil professores.

O desenvolvimento da proposta de dança passa por questões fundamentais do trabalho de Lia Sampaio, considerando não só a formação de bailarinos, mas a prática da dança como processo de reconhecimento do corpo e de suas potências expressivas, artísticas e sociais.

O trabalho com o Proformar é a base para sua pesquisa de mestrado, realizada na UFBA entre 2008 e 2010, resultando também na publicação de um livro, que continua e aprofunda um tópico já mencionado na publicação anterior da professora, O Delicioso Ofício de Ensinar a Dançar (2014), que evidencia sua metodologia e história.

Em 2019, retorna à Seduc, onde é titular da Coordenação de Arte e Cultura, mantendo a  dança como prática social educativa em ações voltadas para alunos da rede de ensino formal.

Baseado na dança como instrumento de expressão pessoal, reflexão social, e enquanto potência pedagógica, o trabalho de Lia Sampaio desenvolve possibilidades práticas de associação entre arte e educação, pautadas na expressividade por meio do corpo. Suas ações vão desde a educação infantil até a pós-graduação universitária, com foco na integração entre a arte, a sociedade e a iniciativa governamental.

Fontes de pesquisa 11

Abrir módulo
  • BRASIL Dança Brasil estreia na quinta. Arte Final, [s.l.], 25 out. 1995.
  • LEONG, Leila. Lia escreve sobre música e movimento. A Crítica, Manaus, 10 dez. 2008.
  • OTÁVIO, Luiz. Professora amazonense transforma tese de mestrado em um livro. Portal Emtempo, Manaus, 16 dez. 2015. Disponível em: https://d.emtempo.com.br/sem-categoria/49524/professora-amazonense-transforma-tese-de-mestrado-em-um-livro. Acesso em: 14 jul. 2020.
  • SAMPAIO, Lia. A dança na escuta do corpo do ribeirinho: O Proformar valorizando os profissionais da educação na Amazônia. Manaus: UEA Edições, 2015.
  • SAMPAIO, Lia. Amazônia Mulher: Lia Sampaio. [Entrevista cedida à] Amazon Sat. Amazon Sat, Manaus, 2014. Disponível em: https://youtu.be/IHTGy2SnlY0. Acesso em: 14 jul. 2020.
  • SAMPAIO, Lia. Eu e minha dança. Revista Eletrônica Aboré, v. 1, 2006. Disponível em: https://www.yumpu.com/pt/document/read/23075842/eu-e-a-minha-danca-prof-lia-sampaio-revistasueaedubr-uea. Acesso em: 14 jul. 2020.
  • SAMPAIO, Lia. Eu na UFAM. [Entrevista cedida à] TV Ufam. TV Ufam, Manaus, 2017. Disponível em: https://youtu.be/sCDY1pyIcYg. Acesso em: 14 jul. 2020.
  • SAMPAIO, Lia. Lia Sampaio. [Entrevista concedida a] Henrique Rochelle, crítico de dança. São Paulo/Manaus, 2020.
  • SAMPAIO, Lia. Lia Sampaio: Música e Movimento na Amazônia. [Entrevista cedida à] Amazon Sat. Amazon Sat, Manaus, 2012. Disponível em: https://youtu.be/ffDcQNudKvc. Acesso em: 14 jul. 2020.
  • SAMPAIO, Lia. Maria do Céu de Souza Sampaio. Currículo do sistema currículo Lattes da pesquisadora. [Brasília], 29 ago. 2020. Disponível em: http://lattes.cnpq.br/1155681500582423. Acesso em: 11 jan. 2021.
  • SAMPAIO, Lia; COSTA, Marineide Marinho Maciel. Música e Movimento. 2. ed. Salvador: ABCgráfica, 1979.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: