Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Dança

Lya Bastian Meyer

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 25.10.2019
23.01.1911 Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre
25.11.2005 Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre
Eliane Clotilde Bastian Meyer Schimitz (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1911 – Idem, 2005). Bailarina, professora e coreógrafa. Inicia a formação artística no Instituto de Cultura Física 1, dirigido pelas professoras Mina Black e Nenê Dreher. A estreia como bailarina realiza-se em Hora da Arte (1928), produção do instituto, no Theatro São Pedro...

Texto

Abrir módulo

Eliane Clotilde Bastian Meyer Schimitz (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1911 – Idem, 2005). Bailarina, professora e coreógrafa. Inicia a formação artística no Instituto de Cultura Física 1, dirigido pelas professoras Mina Black e Nenê Dreher. A estreia como bailarina realiza-se em Hora da Arte (1928), produção do instituto, no Theatro São Pedro. Em 1929, apresenta-se em Festa Artística, também pelo instituto. Em 1931, vai a Berlim estudar balé com a professora russa Eugenia Platonowna Eduardowa (1882-1960). Ao retornar, no mesmo ano, destaca-se na nova produção do instituto, Soirée Artística de Bailados. No programa, há peças de balé e de danças características, como a gopac (dança do sul da Rússia), interpretada por ela. Abre a noite dançando O Cisne, com música do compositor francês Camille Saint-Saëns (1835-1921). Ainda em 1931, abre a Escola de Bailados Clássicos, primeira formação em balé do Rio Grande do Sul. Nesse ano, apresenta no Theatro São Pedro a primeira produção independente: Serata de Arte Coreográfico-Sinfônica. Em 1938, retorna à Alemanha para aperfeiçoar-se na técnica clássica e moderna, na Meister-Stätten für Tanz, onde estuda com críticos de arte e diretores de ópera. No mesmo período, faz apresentações solo em Berlim, com as seguintes obras de sua autoria: Torero, Dança Ritual del Fuego e Batuque, esta última com música de Radamés Gnatalli (1906-1988). Na década de 1940, cria e dirige a Escola Oficial de Dança do Theatro São Pedro até seu fechamento, em 1958. Meyer forma várias gerações de profissionais, como Salma Chemale e Lenita Ruschel Pereira, responsáveis por duas das mais importantes escolas de balé do Rio Grande do Sul, ainda em atividade. Forma também Eneida Dreher; Emilio Martins; Morgada Cunha; Nilva Pinto (1934); e Maria Julia da Rocha, entre outros.

 

Análise

Precursora do ensino e das produções de balé no Rio Grande do Sul, Lya Meyer afirma-se como criadora de obras originais e repositora de obras consagradas. É responsável pela primeira montagem de um balé de repertório no Rio Grande do Sul, Coppélia, do coreógrafo e músico francês Arthur Saint-Léon (1821-1870). O espetáculo é levado ao palco em 1933, com música do compositor francês Léo Delibes (1836-1891). Dentre suas 16 produções coreográficas estão El Amor Brujo, escrita em 1915 pelo compositor espanhol Manuel de Falla (1876-1946). O balé é encenado em 1937 e conta com a participação do primeiro bailarino profissional alemão Ludwig Egenlauf, convidado a se apresentar nas produções gaúchas. Nessa montagem, Lya Meyer vive o papel da cigana Candelas. Em 1943, preocupada em popularizar a dança clássica, traz pela primeira vez aos palcos uma remontagem de Les Sylphides (1907), do bailarino e coreógrafo russo Michel Fokine (1880-1942). Em 1948, coreografa e protagoniza o balé Joana D´Arc, com música do compositor francês George Bizet (1838-1875). Nele, apresenta traços da dança expressionista alemã na interpretação da heroína. Sua grande influência é a bailarina e coreógrafa alemã Mary Wigman (1886-1973), a quem assiste em apresentações quando estuda em Berlim. Sua última montagem, em 1958, é Petrouschka (1911), de Michel Fokine.

 

 

Nota

1. Centro de formação em ginástica do Rio Grande do Sul, que trabalha com aulas de dança com o método do  músico e pedagogo austro-suíço Émile Jaques Dalcroze (1865-1950). O instituto é responsável pelas primeiras produções locais de dança, no Theatro São Pedro.

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • CUNHA, Morgada; FRANCK, Cecy. Dança: nossos artífices. Porto Alegre: Movimento, 2004.
  • CÔRTE REAL, Antônio. O bailado culto por amadores em Porto Alegre. In: CÔRTE REAL, Antônio. Subsídios para a história da música no Rio Grande do Sul. 2 ed. Porto Alegre: Movimento, 1984. p. 183-212
  • DAMASCENO, Athos; CESAR, Guilhermino; CARO, Herbert; MORITZ, Paulo António. O Teatro São Pedro na vida cultural do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Departamento de Assuntos Culturais da SEC, 1975.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: