Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Mario Russo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 05.05.2017
1917 Itália / Campânia / Nápoles
1996 Itália / Campânia / Nápoles
Mario Russo (Nápoles, Itália, 1917 - Nápoles, Itália, 1996). Arquiteto e urbanista. Forma-se na Escola Superior de Arquitetura de Nápoles em 1942. Como arquiteto urbanista, trabalha na Prefeitura de Nápoles e em projetos para a Società pel Risamento di Napoli, o Istituto Autonomo Casa Popolari di Napoli e o Ministero dei Lavori Publici. Como pro...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Mario Russo (Nápoles, Itália, 1917 - Nápoles, Itália, 1996). Arquiteto e urbanista. Forma-se na Escola Superior de Arquitetura de Nápoles em 1942. Como arquiteto urbanista, trabalha na Prefeitura de Nápoles e em projetos para a Società pel Risamento di Napoli, o Istituto Autonomo Casa Popolari di Napoli e o Ministero dei Lavori Publici. Como professor assistente, dá aulas em faculdades de arquitetura e de engenharia de Nápoles. Com a colaboração do pintor e professor Murilo Lagreca e indicação do arquiteto napolitano Domenico Andriello, Russo é convidado por João Alfredo Costa Lima, então diretor da Escola de Belas Artes de Pernambuco, a assumir as disciplinas de projeto. Muda-se para o Recife em março de 1949 e torna-se professor responsável pelas cadeiras de pequenas composições de arquitetura I e II, entre 1949 e 1950, perspectiva, sombras e esteretomia, em 1950, e grandes composições de arquitetura I e II, de 1951 a 1955. No mesmo ano abre seu escritório e é convidado pelo reitor da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, Joaquim Ignácio de Almeida Amazonas, a exercer o cargo de arquiteto-chefe do Escritório Técnico da Cidade Universitária do Recife. A construção da cidade universitária no antigo Engenho do Meio, local distante do centro, e a escolha de um arquiteto estrangeiro para sua direção geram polêmicas de grande repercussão na imprensa, e o arquiteto italiano recebe críticas profissionais e pessoais que o levam a pedir demissão do cargo em fevereiro de 1955 e se transferir para São Paulo no ano seguinte. Em 1956, presta concurso na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo - FAU/USP para a cadeira de pequenas composições de arquitetura I, apresentando a tese A Tradução Arquitetônica da Célula Habitativa, Sua Evolução e Previsões Lógicas. Apesar de não aprovado, permanece na cidade, dando aulas no curso de engenharia civil da Escola Politécnica como assistente da cadeira de arquitetura, construção e higiene da habitação e no Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro como professor de estética da arquitetura. Ainda em São Paulo funda e dirige a construtora Monetti-Russo. Em 1957, retorna a Nápoles e continua com suas atividades de arquiteto, urbanista e professor.

Fontes de pesquisa 5

Abrir módulo
  • ANELLI, Renato L. S. Interlocuções com a arquitetura italiana na constituição da arquitetura moderna em São Paulo. 2001. 195p. Livre Docência. Escola de Engenharia de São Carlos. Universidade de São Paulo. 2001.
  • CABRAL, Renata Campello. Mario Russo: um arquiteto racionalista italiano em Recife. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2006. 291p. il p&b.
  • COSTA, Alcilia Afonso de Albuquerque. Russo y Amorim: la influencia europea em el proceso de consolidación de la arquitectura moderna em Recife em los años 50. Actas del XI Seminario Apec, Barcelona, maio 2006. Disponível em: [http://www.apecbcn.org/Actas%20XI%20Seminario%202006.pdf]. Acesso em: 28 maio 2007.
  • SEGAWA, Hugo. Arquiteturas no Brasil, 1900-1990. 2.ed. São Paulo: Edusp, 1999.
  • ________. Mario Russo. Arquitetura e Urbanismo, jun./jul. 2001, pp. 94 - 99.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: