Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Renato Machado

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
03.02.1967 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Renato Bandeira de Gouvêa Machado (Rio de Janeiro RJ 1967). Iluminador. Acompanha o trabalho de diversas companhias de teatro, como o grupo Sobrevento, a Companhia Teatro Autônomo e a Cia. PeQuod de Teatro de Animação, com iluminações cujo estilo se molda ao tema e à linguagem do espetáculo.

Texto

Abrir módulo

Biografia
Renato Bandeira de Gouvêa Machado (Rio de Janeiro RJ 1967). Iluminador. Acompanha o trabalho de diversas companhias de teatro, como o grupo Sobrevento, a Companhia Teatro Autônomo e a Cia. PeQuod de Teatro de Animação, com iluminações cujo estilo se molda ao tema e à linguagem do espetáculo.

Renato Machado faz sua formação técnica como assistente de Aurélio De Simoni. Inicia a carreira no grupo Sobrevento, dedicado ao teatro de animação, para o qual ilumina Mozart Moments, 1991; Beckett, 1992; O Theatro de Brinquedo, 1993; Ubu, de Alfred Jarry, 1996; e Cadê o Meu Herói?, de Horácio Tignanelli, 1998.

Em 1992, faz seu primeiro trabalho com o diretor Jefferson Miranda, em Mann na Praia, da Companhia Teatro Autônomo, cujos espetáculos passa a iluminar. O Cemitério dos Vivos, 1993, e A Incrível História do Homem que Bebia Xixi, 1994, ambos de João Batista, marcam o início de seu vínculo, respectivamente, com a Companhia Ensaio Aberto e com a Companhia Dramática de Comédia, para as quais faz uma série de trabalhos.

A iluminação do espetáculo Tempo de Infância, 1996, dirigido por Alice Koenow, lhe vale o Prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem.

Em 1999, inicia sua parceria com a Companhia PeQuod, iluminando Sangue Bom, de Miguel Vellinho, que merece, da crítica Lúcia Cerrone, do Jornal do Brasil, o seguinte comentário: "Com ambientação perfeita e rica em detalhes luxuosos que caracterizam o gótico nos filmes de terror, o espetáculo tem grande força ainda na iluminação de Renato Machado, que cria pequenos focos para cenas mais intimistas, chegando quase ao close e ampliando raios e trovões no palco inteiro, ao sabor da estética Roger Corman para os filmes de Boris Karloff".¹

Em 2000, faz Pequenos Trabalhos para Velhos Palhaços, de Matei Visniec, direção de André Paes Leme, com quem trabalha também no ano seguinte em Engraçadinha Seus Amores e Seus Pecados - dos 12 aos 18 Anos, de Nelson Rodrigues.

Faz diversas turnês no exterior, tanto com espetáculos de dança - com companhias como Vacilou Dançou, Paula Nestorov, Companhia Aérea de Dança, Companhia Tanz Haus - quanto de ópera e teatro. Com o Grupo de Rua de Niterói, participa do Spring Dance Festival, na Holanda, do Tanz Festival, em Berlim, do Kunst Festival, em Bruxelas, e do Festival Internacional de Dança Contemporânea da Polônia, além de apresentações em Portugal, Japão, Bélgica, Áustria, Coréia e França. Acompanha o grupo Sobrevento, que apresenta seu repertório em turnê que inclui Espanha, Irlanda, Escócia e Argentina.

De 1994 a 2002, Renato Machado recebe 13 indicações para prêmio de iluminação. Em 2002, recebe o Prêmio Shell de Teatro por Tereza d'Ávila, a Santa Descalça, de Fidélis Fraga. Em 2004, recebe o Prêmio Shell de Teatro por Filme Noir, da Companhia PeQuod, e a avaliação positiva da crítica Barbara Heliodora do jornal O Globo: "Renato Machado também acerta ao iluminar a cena inteira apenas com luz de velas que criam uma atmosfera ao mesmo tempo original e déjà-vu, cheia de referências pop do cinema ou dos quadrinhos".²

Em 2005, ilumina o espetáculo A Falta que Nos Move ou Todas As Histórias São Ficção, com direção de Christiane Jatahy, com quem trabalha também em Leitor por Horas, de José Sanchis Sinisterra, 2006. Na crítica a esse espetáculo, Barbara Heliodora enaltece "a luz de Renato Machado, excepcional, com constantes momentos de escuridão completa durante a leitura, o que evoca o universo da cega".³

No mesmo ano, estréia Savina, de Stéphane Brodt e Ana Teixeira; O Pequenino Grão de Areia, de João Falcão; O Cabaré dos Quase-Vivos, do grupo Sobrevento; e Projeto K, de Walter Daguerre. Em 2007, faz a iluminação de Últimos Remorsos Antes do Esquecimento, de Jean-Luc Lagarce, com a companhia Os Dezequilibrados.

Notas
1. CERRONE, Lúcia. Sempre muito bom, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1 dez. 1999.

2. HELIODORA, Barbara. Nosferatu, um pouco de nós: bom resultado ao questionar a maldade inerente ao ser humano, O Globo, Rio de Janeiro, 10 jan. 2004.

3. HELIODORA, Barbara. Leitor por horas: encenação de qualidade no CCBB tem ótima tradução de Geraldo Carneiro, O Globo, Rio de Janeiro, 26 jan. 2006.

Espetáculos 75

Abrir módulo

Espetáculos de dança 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 8

Abrir módulo
  • CERRONE, Lucia. Sempre Muito Bom, Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1 dez 1999.
  • HELIODORA, Barbara. Cia Pequod faz espetáculo de alta qualidade no Sergio Porto, O Globo, Rio de Janeiro, 25 nov. 2006.
  • HELIODORA, Barbara. Leitor por horas: encenação de qualidade no CCBB tem ótima tradução de Geraldo Carneiro, O Globo, Rio de Janeiro, 26 jan. 2006.
  • HELIODORA, Barbara. Nosferatu, um pouco de nós: bom resultado ao questionar a maldade inerente ao ser humano, O Globo, Rio de Janeiro, 10 jan. 2004.
  • MACHADO, Renato. Currículo enviado pelo iluminador.
  • Planilha enviada pelo pesquisador Márcio Freitas. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - Leitor Por Horas - 2006. Não catalogado
  • VISÃO CARIOCA. Rio de Janeiro.Disponível em: . Acesso em : 5 de maio de 2011. Não catalogado

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: