Artigo da seção pessoas Carlos Bastos

Carlos Bastos

Artigo da seção pessoas
Artes visuais  
Data de nascimento deCarlos Bastos: 12-10-1925 Local de nascimento: (Brasil / Bahia / Salvador) | Data de morte 12-03-2004 Local de morte: (Brasil / Bahia / Salvador)
Imagem representativa do artigo

Procissão do Senhor Bom Jesus dos Navegantes (painel) , 1973 , Carlos Bastos
Reprodução fotográfica autoria desconhecida

Biografia

Carlos Frederico Bastos (Salvador BA 1925 - idem 2004). Pintor, ilustrador, cenógrafo. Inicia sua formação artística na Escola de Belas-Artes da Universidade da Bahia, onde ingressa em 1944 e assiste às aulas de João Mendonça Filho, Raymundo Aguiar e Alberto Valença. Nesse ano, participa, ao lado de Mario Cravo Júnior e de Genaro, da 1ª Mostra de Arte Moderna da Bahia. Muda-se para o Rio de Janeiro, em 1946, e conclui os estudos na Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Estuda também na Sociedade Brasileira de Belas Artes e na Fundação Getúlio Vargas - FGV, aluno de Santa Rosa, Iberê Camargo e Carlos Oswald. Paralelamente, faz cursos particulares com Candido Portinari e aulas de cenografia com Martim Gonçalves. Em 1947, de volta a Salvador, organiza sua primeira individual na Biblioteca Pública. Nesse mesmo ano, realiza especialização na Arts Students League, Nova York. Vai para Paris, em 1949, onde faz cursos de pintura mural e afresco na École Nationale Supérieure des Beaux-Arts e aulas de desenho na Académie de la Grande Chaumière. De volta ao Brasil, em 1951, participa do 1º Salão de Arte Moderna, 1952, e do Salão Preto e Branco, 1954, entre outros. Após novo período em Paris, de 1957 a 1958, monta seu ateliê no Solar da Jaqueira em Salvador, fixando-se na cidade. Em 1962, um acidente o mantém por longo período em cadeira de rodas. Edita Santos e Anjos da Bahia, com prefácio de Jorge Amado, em 1965, momento em que uma paralisia leva-o a novo período em cadeira de rodas. Ilustra diversos livros nas décadas de 1970 e 1980.

Análise

O cenário da obra de Carlos Bastos é a Bahia, que ele representa com franca postura realista. Valendo-se de desenho minucioso e forte colorido, suas telas explicitam compromisso com o registro da região e sua cultura. Nesse sentido, sua produção dialoga com a de outros artistas atuantes na Bahia como Carybé, Genaro, Mario Cravo Júnior e Jenner Augusto. Os retratos ocupam lugar destacado na década de 1940 (Auto-Retrato, 1943, Retrato de Wallace Michael, 1948, e Mulher com Gato, 1948), permanecendo filão importante na obra madura (Retrato de Nair e Genaro, 1961, e Retrato de Maria Emília, 1971). As festas - outro eixo temático bastante explorado - fornecem novas possibilidades para a expressão da cor e da vida local (A Procissão, 1947, Festa Cívica, 1958, Procissão do Senhor Bom Jesus dos Navegantes, 1973/1975, e Festa de São Pedro em Praia do Forte, 1995). Também as figuras populares, negros, meninos abandonados, jogadores etc. são frequentemente convocados a compor telas de cores exuberantes e/ou extensos painéis. O universo religioso, católico e afro-brasileiro, ocupa lugar destacado no interior desse leque temático.

Se a pintura é uma das grandes expressões de Bastos, seu nome está ligado aos murais e painéis que realiza para edifícios públicos que almejam figurar a alma mística do povo, seus símbolos e crenças. Ainda que atento à dimensão social, sua preocupação maior são formas, corpos, linhas e cores, o que leva diversos críticos a sublinharem a "sensualidade" dessas obras. Nos termos de Roger Bastide: "O que impressiona o espectador, antes de mais nada, é a sensualidade que não é como no expressionismo alemão, por exemplo, uma revolta contra a moral burguesa, mas que é espontânea, natural. Sensualidade da cor, que o leva a não temer o decorativismo".

Outras informações de Carlos Bastos:

Obras de Carlos Bastos: (28) obras disponíveis:

Todas as obras de Carlos Bastos:

Exposições (192)

Todas as exposições

Fontes de pesquisa (22)

  • AYALA, Walmir (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1980. v.4: Q a Z. (Dicionários especializados, 5).
  • BASTOS, Carlos. 40 anos de pintura: 1945-1985. Apresentação Sylvia Meneses de Athayde. Salvador: Núcleo de Artes do Desenbanco, 1985. B327 1985
  • BASTOS, Carlos. 40 anos de pintura: 1945-1985. Apresentação Sylvia Meneses de Athayde; texto Roger Bastide, Antônio Celestino, José Valladares, Carlos Eduardo da Rocha, Jorge Amado; comentário Odorico Tavares. Salvador: Núcleo de Artes do Desenbanco, 1985. [42 p.], il. p.b. color.
  • BASTOS, Carlos. Carlos Bastos: pinturas recentes. São Paulo: Gerot Galeria de Arte, 1983. il. color., foto p.b
  • BASTOS, Carlos. Exposição comemorativa dos 60 anos de Carlos Bastos. Salvador: Galeria O Cavalete, 1985. [24] p., il. color.
  • BASTOS, Carlos. Pinturas. Comentário Carlos Eduardo da Rocha, Jorge Amado, Odorico Tavares; apresentação Carlos Eduardo da Rocha; comentário Roger Bastide, Silvia Athayde. Salvador: Prova do Artista, 1994. [8 p.], il. p.b. color.
  • BASTOS, Carlos. Carlos Bastos: pinturas recentes. São Paulo: Gerot Galeria de Arte, 1983. B327 1983
  • BASTOS, Carlos. Exposição comemorativa dos 60 anos de Carlos Bastos. Salvador: Galeria O Cavalete, 1985. B327e 1985
  • BASTOS, Carlos. Pinturas. Salvador: Prova do Artista, 1994. B327p 1994
  • CARLOS Bastos. Prefácio Antonio Carlos Magalhães. Salvador: [s.n.], 2000. 759.98104 B327
  • CARLOS Bastos. Prefácio Antonio Carlos Magalhães; texto Ramiro Gonçalves, Quirino da Silva, Reynivaldo Brito, Italo Campofiorito, José Valladares, Odorico Tavares, José Pedreira, Augusto Frederico Schmidt, Roberto Pontual, Matilde Matos, Clarival do Prado Valladares, Antônio Celestino, Claudius Portugal, José Geraldo Vieira. Salvador: [s.n.], 2000. 228 p., il.
  • CARLOS Bastos: desenhos. Texto Ramiro Gonçalves, Henrique Pongetti, Quirino Campofiorito, Augusto Frederico Schmidt, José Valladares, Collin Scott, José Pedreira, Jayme Maurício, Clarival do Prado Valladares, Odorico Tavares, José Geraldo Vieira, Carlos Eduardo da Rocha, Quirino da Silva, Roberto Pontual, Di Cavalcanti, Conceição Nunes Brook, Antônio Celestino, Reynivaldo Brito, Juarez Paraíso, Matilde A. de Matos, Myriam Fraga, Claudius Portugal, Jorge Amado. Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado : COPENE, 2001. 120 p., il. (Casa de Palavras.Desenhos, 4).
  • CARLOS Bastos: desenhos. Texto Ramiro Gonçalves, Henrique Pongetti. Salvador: Fundação Casa de Jorge Amado : COPENE, 2001. 741.092 B327d
  • CAVALCANTI, Carlos (org.). Dicionário brasileiro de artistas plásticos. Brasília: MEC / INL, 1973. v.1: A a C. (Dicionários especializados, 5). R703.0981 C376d
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988. R759.981 L533d
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • NÚCLEO de Artes: primórdios da arte moderna na Bahia. Salvador: Núcleo de Artes do Desenbanco, 1982. BAnad 1982
  • NÚCLEO de Artes: primórdios da arte moderna na Bahia. Salvador: Núcleo de Artes, 1982. , il. p&b color.
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987. 709.8104 Cg492pr
  • PONTUAL, Roberto. Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Edições Jornal do Brasil, 1987.
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2. 709.81 H673
  • ZANINI, Walter (Coord.). História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Fundação Djalma Guimarães, 1983. v.2.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • CARLOS Bastos. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa4191/carlos-bastos>. Acesso em: 15 de Out. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7