Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Andréa Del Fuego

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
15.04.1975 Brasil / São Paulo / São Paulo
BiografiaAndréa Fátima dos Santos (São Paulo SP 1975). Contista, romancista e cronista. No início de sua carreira, em 1998, Andréa é convidada a escrever crônicas e a responder dúvidas sexuais de leitores na revista da rádio 89 FM. O editor da publicação, contudo, pede que a escritora invente um pseudônimo como colunista. Por sugestão de sua sog...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Andréa Fátima dos Santos (São Paulo SP 1975). Contista, romancista e cronista. No início de sua carreira, em 1998, Andréa é convidada a escrever crônicas e a responder dúvidas sexuais de leitores na revista da rádio 89 FM. O editor da publicação, contudo, pede que a escritora invente um pseudônimo como colunista. Por sugestão de sua sogra, a autora adota o nome Andréa del Fuego não apenas na coluna mas em toda sua carreira. Integrante de uma geração de escritores que se utilizam da internet como ferramenta de divulgação, Andréa mantém sites e blogs literários desde 2000. Participa de diversas antologias como Os Cem Menores Contos Brasileiros (2004), organizada pelo contista Marcelino Freire (1967), e Geração Zero-Zero (2011), organizada pelo contista Nelson de Oliveira (1966). Lança sua primeira obra individual, o livro de contos Minto Enquanto Posso, em 2004. Entre 2005 e 2008, publica minicontos no site Escritoras Suicidas. Escreve também livros juvenis, como Sociedade da Caveira de Cristal. Em 2010, publica seu primeiro livro infantil, intitulado Irmãs de Pelúcia, com ilustrações do escritor infantojuvenil Jean-Claude Alphen (1965). Andréa torna-se, no mesmo ano, colaboradora do programa Entrelinhas, da TV Cultura, apresentando reportagens sobre grandes nomes da literatura. Recebe o Prêmio Literário José Saramago em 2011, por seu romance Os Malaquias.

Comentário Crítico
Um dos temas constantes na obra de Andréa del Fuego é o erotismo. Isso é evidenciado em muitos contos da trilogia formada pelos livros Minto Enquanto Posso (2004), Nego Tudo (2005) e Engano Seu (2007). Os narradores de seus minicontos adotam preferencialmente um ponto de vista feminino, ambientam-se majoritariamente em espaços urbanos e caracterizam-se por uma linguagem concisa e direta. Muitos desses minicontos parecem fragmentos de uma narração maior, mas que não se materializam efetivamente e o leitor pode apenas supor. O caráter enxuto dessa produção, tanto na linguagem quanto na brevidade dos textos, colabora assim para a construção de pequenos quadros, "instantâneos" de narrativa.

O trabalho de criação para os textos publicados na revista eletrônica Escritoras Suicidas, de 2005 a 2008, reafirma a habilidade de Andréa para o texto sintético, ao mesmo tempo que se afirma como importante espaço para o exercício da escrita e experimentação, já que a elaboração das narrativas se dá por sugestão de tema indicado pelas editoras da publicação. A criação de textos a partir de um tema central, sugerido ou escolhido pela autora, se dá em outros trabalhos, como no livro digital O Implicante (2007), dividido em 18 pequenos contos baseados na trilha sonora do filme Blade Runner, composta pelo músico grego Vangelis (1943).

No romance Os Malaquias (2010), Andréa aproxima-se do realismo fantástico, revelando certa influência do contista Murilo Rubião (1916 - 1991) e do romancista colombiano Gabriel García Márquez (1927). O caráter fantástico da obra colabora para a construção de um enredo no qual elementos ficcionais e autobiográficos se misturam, compondo a trajetória da família Malaquias, inspirada em vivências da autora, seus irmãos - marcados pela perda trágica dos pais ainda na infância - e o avô.

Eventos multiculturais 1

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: