Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Yolanda Penteado

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.03.2017
1903 Brasil / São Paulo / Leme
1983 América do Norte / Estados Unidos / Califórnia / Stanford Lake
Yolanda de Ataliba Nogueira Penteado (Leme, São Paulo, 1903 - Stanford, Estados Unidos 1983). Fazendeira, mecenas. Yolanda Penteado nasce em 1903 na Fazenda Empyreo, no interior do Estado de São Paulo. Aos 7 anos muda-se para a capital paulista com a família. Aos 16, conhece Assis Chateaubriand (1892 - 1968), um jovem jornalista de 27 anos, com ...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Yolanda de Ataliba Nogueira Penteado (Leme, São Paulo, 1903 - Stanford, Estados Unidos 1983). Fazendeira, mecenas. Yolanda Penteado nasce em 1903 na Fazenda Empyreo, no interior do Estado de São Paulo. Aos 7 anos muda-se para a capital paulista com a família. Aos 16, conhece Assis Chateaubriand (1892 - 1968), um jovem jornalista de 27 anos, com quem estabelece uma amizade duradoura. Em 1921 casa-se com Jayme Silva Telles, de quem se separa em 1934. O casamento com Ciccillo Matarazzo (1898 - 1977), em 1947, dá início a seu envolvimento com as artes plásticas, gosto que compartilha com Assis Chateaubriand, que nesse ano inaugura o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp, em área na sede de seus Diários Associados. Numa temporada em Davos, na Suíça, para recuperação da saúde de seu marido, ele e Yolanda conhecem o pintor Alberto Magnelli (1888 - 1971), que os assessora na aquisição da coleção de arte que iria formar o acervo inicial do Museu de Arte Moderna de São Paulo - MAM/SP, fundado pelo casal em 1948. Na Itália adquirem o Auto-Retrato, de Modigliani (1884 - 1920), e O Cavalo, de Marino Marini (1901 - 1980).

Inspirada nos moldes da Bienal de Veneza, a 1ª Bienal Internacional de São Paulo é inaugurada em 20 de outubro de 1951, organizada por Ciccillo e Yolanda. O espaço da bienal é projetado pelos arquitetos Luís Saia e Eduardo Kneese de Mello (1906 - 1994), e erguido no Pavilhão Belvedere, alto do parque Trianon, na avenida Paulista, onde hoje fica o Masp. São expostas 1.800 obras de 23 países, mais o Brasil. A Bienal Internacional de São Paulo é a primeira grande exposição fora do eixo Estados Unidos - Europa.

O casal Yolanda e Ciccillo comanda a organização da 2ª Bienal, que é parte das comemorações do IV Centenário de São Paulo. O evento ocorre no Pavilhão das Nações, atual Pavilhão Manoel da Nóbrega, no parque Ibirapuera, recém-inaugurado por conta do IV Centenário, com projeto de Oscar Niemeyer (1907 - 2012) e Burle Marx (1909 - 1994). A exposição é aberta em 12 de dezembro de 1953 e conta com 33 países participantes. O grande destaque é a tela Guernica, de Pablo Picasso  (1881 - 1973), que pela primeira vez sai do Museum of Modern Art of New York - MoMA [Museu de Arte Moderna de Nova York], para onde havia sido enviada pelo próprio artista. Para tanto, foram marcantes os esforços de Yolanda junto ao pintor, que estava decidido a não autorizar o envio dessa obra ao Brasil. Ainda dentro das comemorações do IV Centenário, organiza o Festival Internacional de Cinema de São Paulo, realizado entre 12 e 26 de fevereiro de 1954, o primeiro do gênero no Brasil.

Yolanda ajuda na organização da 5ª Bienal, em 1959, com destaque para 30 telas de Vincent van Gogh (1853 - 1890). Em 1961, desliga-se da bienal e se separa de Ciccillo, com quem viveu por 14 anos. Em 1962 a Bienal Internacional de São Paulo se dissocia do MAM/SP, com a criação da Fundação Bienal, e o patrimônio do museu é transferido para a Universidade de São Paulo - USP, dando origem ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP. Em 1975 Yolanda escreve sua biografia, intitulada Tudo Cor-de-Rosa, com prefácio de Sérgio Buarque de Holanda (1902 - 1982).

Fontes de pesquisa 2

Abrir módulo
  • BIVAR, Antonio. Yolanda. São Paulo: A Girafa, 2004.
  • PENTEADO, Yolanda. Tudo cor-de-rosa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1976.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: