Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Dança

Ismael Ivo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 09.04.2021
1955 Brasil / São Paulo / São Paulo
08.04.2021 Brasil / São Paulo / São Paulo
Registro fotográfico Marcus Leoni

Ismael Ivo, 2019

Ismael Ivo (São Paulo, São Paulo, 1955 - idem, 2021). Bailarino, coreógrafo, diretor e curador. Intérprete e criador expressionista, Ismael é reconhecido pela atuação em diversas áreas da dança, ao lado de notáveis grupos e em eventos internacionais. Como coreógrafo, cria espetáculos para cativar e comover o público. Como intérprete, apoia-se em...

Texto

Abrir módulo

Ismael Ivo (São Paulo, São Paulo, 1955 - idem, 2021). Bailarino, coreógrafo, diretor e curador. Intérprete e criador expressionista, Ismael é reconhecido pela atuação em diversas áreas da dança, ao lado de notáveis grupos e em eventos internacionais. Como coreógrafo, cria espetáculos para cativar e comover o público. Como intérprete, apoia-se em sua técnica mista e presença cênica para o convencimento. Como diretor e curador, foca na sedução e na comunicação com suas plateias. 

Em meio a múltiplas atividades, Ismael Ivo se define como um bailarino que vem da rua, revelando a origem humilde no bairro paulistano da Vila Ema e o momento de descoberta do desejo de se expressar por meio da dança.

Sua primeira referência no estudo da dança é a bailarina e professora Ruth Rachou (1927). A ela somam-se influências diversas, como os coreógrafos Klauss Vianna (1928-1992) e Renée Gumiel (1913-2006). Ambos abrem espaço para a pesquisa de Ivo, que discute a teatralidade da cena e a teatralização do corpo do intérprete.

Em consonância com a dança moderna da época e na fronteira entre as linguagens artísticas, seu trabalho se desenvolve durante a passagem pelo principal espaço de experimentação de bailarinos modernos em São Paulo, o Teatro de Dança Galpão, que funciona entre 1974 e 1981.

Em 1978, o encontro com o coreógrafo estadunidense Alvin Ailey (1931-1989) projeta a carreira internacional de Ismael Ivo. Ele se muda para os Estados Unidos para integrar a companhia júnior do coreógrafo, com quem dança, e também para desenvolver trabalhos individuais. 

Em 1984, uma apresentação solo do bailarino é resenhada no jornal The New York Times. A crítica destaca a força da presença cênica do intérprete, além de pontuar o trabalho expressivo do frenesi, do medo e da exaltação. Neste e também em seus trabalhos posteriores, essas sensações se expressam pelo gestual, frequentemente expansivo, beirando o exagero, e pela máscara, recursos que refletem a intensidade daquilo que retratam.

Grandes emoções permanecem constantes no trabalho de dança e criação de Ismael, resgatadas sobretudo da memória do artista. É o caso, por exemplo, de Delirium of a Childhood, de 1989, em que, a partir de lembranças da infância, o coreógrafo cria uma cena em que aparece como versão infantil de si mesmo, brincando com um boneco próximo a uma bacia prateada. Na cena, ele também comparece como adulto que reflete sobre seu passado e ainda como os demais envolvidos em sua experiência.

Depois de Nova Iorque, muda-se para Viena, na Áustria, onde funda o ImPulsTanz, em 1984, junto do produtor e diretor Karl Regensburger (1954). Na Europa, cresce a proximidade com a dança expressionista e vertentes da dança-teatro, dentre as quais se insere sua produção.

Influenciado por artistas e colaboradores de múltiplas linguagens, encontra no bailarino e diretor teatral Johann Kresnik (1939-2019) um parceiro de pesquisa e trabalho. Em 1993, criam Francis Bacon, uma obra de dança-teatro para três bailarinos. O cenário do espetáculo usa uma grande parede metálica, cujas partes se transformam em mesas e camas cirúrgicas. Nesse ambiente, Ismael investiga o universo retratado nas obras do pintor irlandês, a partir de temas e personagens de seus quadros. O coreógrafo trabalha com uma sequência de pinturas que se identificam com a estética visceral de sua dança. O impacto é provocado pela violência dos movimentos criados pelo dançarino, que busca desenvolver dessa forma sua proposta de provocar grandes emoções.

A carreira de coreógrafo ganha nova projeção depois do encontro com a bailarina e coreógrafa Márcia Haydée (1937). Ismael trabalha em proximidade com a dançarina ao longo de cinco anos (de 1999 a 2004), como partner em obras conjuntas e assinando criações para outros grandes grupos pelo mundo.

Na Europa, consagra-se como diretor e curador, notadamente na Bienal de Veneza, e na direção da companhia de dança do Teatro Nacional Alemão. Como curador, seu trabalho se caracteriza pela antropofagia cultural: assimilação de referências e apresentação de distintas formas de fazer e pensar a dança, com foco declarado na comunicação com o público.

Em 2017, volta ao Brasil e assume a direção do Balé da Cidade de São Paulo (BCSP). A consideração pela plateia se reflete em seu trabalho de gestão, sempre preocupado em atrair um público maior e mais diversificado, com atenção às questões de classe social e de inclusão racial e de minorias. Essa preocupação se manifesta na construção estética das obras do diretor e coreógrafo, que apresentam grande elaboração visual e temas musicais conhecidos do grande público. Em 2018, o BCSP apresenta os espetáculos Um Jeito de Corpo (2018), com músicas de Caetano Veloso (1942), e Sagração da Primavera, com a trilha do compositor russo Stravinsky (1882-1971). Esta apresentação também conta com chuva de pétalas de rosas ao longo do espetáculo e móveis que alteram constantemente o espaço da cena. Esses artifícios de cena são uma marca de sua gestão da companhia, que procura seduzir o espectador e despertar o interesse do público pela obra.

Internacionalmente reconhecido, Ismael Ivo tem uma carreira de projeção. Com assinatura expressiva e expressionista em seu trabalho de criador, preocupa-se em construir suas obras com base em memórias e experiências pessoais. Como diretor e curador, é notável a preocupação com o interesse do público pelas obras, com especial atenção à comunicação com o espectador, observável nas muitas instituições por que passa.

Espetáculos 7

Abrir módulo

Espetáculos de dança 2

Abrir módulo

Mídias (1)

Abrir módulo
Ismael Ivo - Série Cada Voz (2020)
O bailarino Ismael Ivo conta sobre a emoção que sente ao dançar e apresenta o palco como local de expressão de ideias, sentimentos e de importante posicionamento político para ele, desde jovem, quando ainda iniciava no teatro.

A primeira memória de movimentação corporal é o giro: inebriante até a perda do equilíbrio que resulta em êxtase. Anos mais tarde, essa sensação ganha outras formas de compreensão no estudo da dança.

Também ressalta a capacidade de improvisação dos corpos brasileiros e a coragem de arriscar movimentos em comparação com outros bailarinos.

A Enciclopédia Itaú Cultural produz a série Cada Voz, em que personalidades da arte e cultura brasileiras são entrevistadas pelo fotógrafo Marcus Leoni. A série incorpora aspectos de suas trajetórias profissionais e pessoais, trazendo ao público um olhar próximo e sensível dos artistas.

Créditos
Presidente: Milú Villela
Diretor-superintendente: Eduardo Saron
Superintendente administrativo: Sérgio Miyazaki
Núcleo de Enciclopédia
Gerente: Tânia Rodrigues
Coordenação: Glaucy Tudda
Produção de conteúdo: Camila Nader
Núcleo de Audiovisual e Literatura
Gerente: Claudiney Ferreira
Coordenação: Kety Nassar
Produção audiovisual: Letícia Santos
Edição de conteúdo acessível: Richner Allan
Direção, edição e fotografia: Marcus Leoni
Assistência e montagem: Renata Willig
Assistência de fotografia: Martha Salomão

Fontes de pesquisa 12

Abrir módulo
  • ANDERSON, Jack. Dance: Brazilian, Korean Choreographers. The New York Times, 8 nov 1984.
  • BOGÉA, Inês. Caminhos Cruzados: Teatro de Dança Galpão, 1974-1981. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2014.
  • ISMAEL Ivo, bailarino e coreógrafo, morre aos 66 anos após diagnóstico de Covid-19. G1, São Paulo, 9 abr. 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2021/04/09/morre-aos-66-anos-o-bailarino-e-coreografo-ismael-ivo.ghtml. Acesso em: 9 abr. 2021.
  • IVO, Ismael. Entrevista concedida a Inês Bogéa, diretora da São Paulo Companhia de Dança. Consultada no Acervo de Memória da São Paulo Companhia de Dança, Governo do Estado de São Paulo.
  • IVO, Ismael. Site oficial do artista. Disponível em: http://www.ismael-ivo.com. Acesso em: 12 set. 2019
  • NAVAS, Cássia. Francis Bacon. Companhia Ismael Ivo. Plataforma Internacional Estado Da Dança, Governo Do Estado De São Paulo, 2012. Disponível em: http://cassianavas.com.br/wp-content/uploads/pdf/plataforma_francis_bacon.pdf. Acesso em: 12 set. 2019
  • ODENTHAL, Johannes. Um Sonho Existencial: O Trabalho Artístico de Ismael Ivo. Figuras da Dança 2012. São Paulo Companhia de Dança, Governo do Estado de São Paulo, 2012.
  • Programa do espetáculo - Delírio de Infância - 2007. Não catalogado
  • ROCHELLE, Henrique. A primavera como palco. Da Quarta Parede. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.daquartaparede.com/post/sagracao-bcsp. Acesso em: 12 set. 2019
  • ROCHELLE, Henrique. Uma forma e uma fórmula de sedução. Da Quarta Parede. São Paulo, 2018. Disponível em: https://www.daquartaparede.com/post/bcsp-caetano. Acesso em: 12 set. 2019
  • SÃO PAULO Companhia de Dança. Ismael Ivo. Série Figuras da Dança. Governo do Estado de São Paulo, 2012.
  • TV CULTURA. Ismael Ivo. Programa Roda Viva, São Paulo, 19 nov. 2018. Disponível em: https://youtu.be/4YClxEADZJE. Acesso em: 12 set. 2019

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: