Artigo da seção pessoas Roseana Murray

Roseana Murray

Artigo da seção pessoas
Literatura  
Data de nascimento deRoseana Murray: 27-12-1950 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Roseana Kligerman Murray (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1950). Escritora. Em seus poemas, aborda, com delicadeza e inventividade, temas que envolvem natureza, relações familiares e intimismo. Destaca-se por usar uma linguagem poética que, embora acessível ao público jovem, não é simplória nem pueril.

Filha dos imigrantes poloneses Lejbus Kligerman e Bertha Gutman Kligerman, que chegam ao Brasil antes da Segunda Guerra Mundial, Roseana passa a infância no bairro do Grajaú, no Rio de Janeiro. Depois, fixa residência em Saquarema. Em 1973, gradua-se em Literatura e Língua Francesa pela Université Nancy.

Desde sua estreia literária, com Fardo de Carinho (1980), chama a atenção das crianças, embora declare que, no início da carreira, não tinha em mente dedicar-se a esse público. Além da simplicidade temática e da melodia de seus versos, questões atemporais e comuns a todos os seres humanos também agradam pessoas de outras idades.

A poesia de Roseana trabalha com o vocabulário cotidiano de maneira original, fruto de sua pesquisa sobre a ludicidade das palavras. Essa busca pela composição poética que estabelece conexão com a emoção do leitor se evidencia em sua obra desde a estreia. Em Fardo de Carinho, por exemplo, a autora brinca com a palavra "fardo", que tem conotação de peso e desconforto, relacionando-a com "carinho", que suscita as sensações de leveza e aconchego.

Seus livros têm repercussão no Brasil e no exterior – desde 1994, a autora faz parte da lista de honra do International Board on Books for Young People (IBBY), organismo internacional que documenta os melhores escritores de literatura infantojuvenil do mundo.

Alguns livros de Roseana têm poemas autônomos, embora tematicamente relacionados, como Classificados Poéticos (1984), Artes e Ofícios (1990) e Receitas de Olhar (1997). Em outras obras, eles se organizam sequencialmente em uma narrativa, como Felicidade (1995).

Roseana trabalha com intertextualidades de tema e de gênero, elaborando poemas que recuperam experiências discursivas diversas: em Classificados Poéticos, por exemplo, inspira-se na linguagem dos classificados de jornal, retomando e subvertendo as fórmulas desse gênero: “Precisa-se de uma bola de cristal / que mostre um futuro grávido de paz: / Que a paz brilhe no escuro / com o brilho especial que algumas / palavras possuem”1.

De modo semelhante, Receitas de Olhar (1997) apresenta poesias que remetem aos “modos de preparo” das receitas culinárias. Cada poema é uma receita para lidar com situações diversas, que vão de como plantar uma árvore a “acordar” palavras, de arrumar gavetas a andar sem rumo. As receitas combinam sentidos denotativos e figurados que, a partir de atividades cotidianas, levam a reflexões sobre a vida, os sentimentos e as atitudes humanas.

Em Felicidade (1995), uma das obras mais conhecidas de seu público, Roseana fala de amor, casamento e família, temas recorrentes quando se pensa no conceito de felicidade da sociedade contemporânea e ocidental. A narrativa é composta por versos sem rimas que se aproximam da prosa. Com eles, convida o leitor a refletir sobre o eterno e o efêmero em um núcleo familiar e sobre a possibilidade que todo ser humano tem de escolher seus caminhos em busca do que acredita ser sua felicidade. A poesia é complementada pelas ilustrações de Marilda Castanha (1964), feitas a partir de colagens que remetem às lembranças descritas nos versos (calendários, lembretes, novelos). O livro representa bem a conjunção entre texto e imagem, fundamental na literatura infantojuvenil.

Os livros de Roseana criam conexões com os leitores por identificação emocional e experiencial: "Meus livros são bem simples. Falam de emoções, sentimentos, esses rios que correm dentro do ser humano", afirma. Trata-se de conexões que se constroem de maneira autêntica: ela fala de temas próprios da infância sem recorrer à linguagem artificial ou diminuta. Não finge ser criança, é uma adulta que conhece o universo infantil e dialoga com ele de maneira simples e inteligente.

Recebe o prêmio O Melhor de Poesia, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), em 1986 (por Fruta no Ponto), em 1990 (por Artes e Ofícios) e em 1997 (por Receitas de Olhar). Por Artes e Ofícios também recebe, em 1990, o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e, em 2002,  o Prêmio Academia Brasileira de Letras por Jardins (2001), em parceria com Roger Mello.

A autora se mantém perto de seus leitores e de suas emoções lançando livros como Suspiros de Luz (2018), escrito em formato de haicais. Nele, como diz Luiz Antônio Aguiar, ela faz jus à sua essência, criando, com delicadeza, poemas impressionistas, "momentos mínimos eternizados em poderosas imagens poéticas"2.

Entre os poucos autores de poesia para crianças no Brasil, e com o trabalho meticuloso e árduo do fazer literário, Roseana obtém e preserva sucesso em sua produção, que dialoga com leitores por meio de elementos simples e criativos, e de situações criadas ao redor deles.

Notas

1. MURRAY, Roseana. Classificados Poéticos. 5. ed. Belo Horizonte: Editora Miguilim, 1990, p. 38. 

2. AGUIAR, Luiz Antonio. Suspiros de Luz. Blog da autora. Disponível em: http://roseanamurray.com/site/index.php/2019/04/16/luiz-antonio-aguiar/. Acesso em: 8 jun. 2019.

Outras informações de Roseana Murray:

  • Outros nomes
    • Roseana Klingerman Murray
  • Habilidades
    • Poeta
    • Escritora

Espetáculos (1)

Eventos relacionados (1)

Fontes de pesquisa (7)

  • AGUIAR, Luiz Antonio. Suspiros de Luz. Blog da autora. Disponível em: http://roseanamurray.com/site/index.php/2019/04/16/luiz-antonio-aguiar/ Acesso em: 8 jun. 2019
  • AGUIAR, Vera Teixeira de. O fardo poético de Roseana Murray. In: RECHOU, Blanca Ana Roig; LÓPEZ, Mª Isabel Soto; RODRÍGUEZ, Marta Neira (Eds.). As mulleres como axentes literarias na LIX do Século XXI. Vigo: Edicións Xerais,  2018. Disponível em: http://roseanamurray.com/site/index.php/2018/12/18/vera-teixeira-de-aguiar/
  • BIBLIOGRAFIA Brasileira de Literatura Infantil e Juvenil – v. 6, 1995. Seção de Bibliografia e Documentação da Biblioteca Infanto-Juvenil Monteiro Lobato. Departamento de Bibliotecas Infanto-Juvenis. Secretaria Municipal de Cultura, São Paulo, 1998. 
  • BORDINI, Maria da Glória. Poesia infantil. São Paulo: Ática, 1986.
  • COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico da literatura infantil e juvenil brasileira: séculos XIX e XX. 4. ed. São Paulo: Edusp, 1995. Acesso em: 8 jun. 2019
  • LAJOLO, Marisa; ZILBERMANN, Regina. Um Brasil para crianças: para conhecer a literatura infantil brasileira: histórias, autores e textos. São Paulo: Global, 1986.
  • MURRAY, Roseana. Site oficial da autora. Disponível em: http://roseanamurray.com/site/ Acesso em: 8 jun. 2019

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • ROSEANA Murray. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa3948/roseana-murray>. Acesso em: 16 de Dez. 2019. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7