Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Música

Paulo Sérgio de Macedo

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 23.12.2020
1944 Brasil / Espírito Santo / Alegre
1980 Brasil / São Paulo / São Paulo
Paulo Sérgio de Macedo (Alegre, Espírito Santo, 1944 – São Paulo, São Paulo, 1980). Cantor e compositor. Canta em festas infantis, depois de ganhar um concurso de cantores mirins, promovido por um circo de sua cidade natal. Aos 12 anos, muda-se para o Rio de Janeiro, onde trabalha como vendedor, guardador de carros e alfaiate.

Texto

Abrir módulo

Paulo Sérgio de Macedo (Alegre, Espírito Santo, 1944 – São Paulo, São Paulo, 1980). Cantor e compositor. Canta em festas infantis, depois de ganhar um concurso de cantores mirins, promovido por um circo de sua cidade natal. Aos 12 anos, muda-se para o Rio de Janeiro, onde trabalha como vendedor, guardador de carros e alfaiate.

Em 1966, acompanha, como violonista, o amigo Eustáquio Sena (19?-2007) no programa de calouros do apresentador Abelardo Barbosa, o Chacrinha (1917-1988). Participa do filme Na onda do Iê Iê Iê (1966), de Aurélio Teixeira (1926-1973), interpretando a música “Sentimental Demais” [Jair Amorim (1915-1993), Evaldo Gouveia (1930)].

Em 1967, grava um compacto pela MP Gaetani, com “Benzinho”, versão de “Dear Someone” [Cy Coben (1919-2006)], e o rock “Lagartinha” [Rossini Pinto (1937-1985), Paulo Brunner]. Funda, com Renato Gaetani (ca. 1930) a gravadora Caravelle, pela qual lança, em 1968, o segundo compacto com “Última Canção” [Carlos Roberto (ca. 1930)] e “Sorri meu Bem” (com Maurileno Rodrigues). Lança o primeiro LP, Paulo Sérgio – Volume 1 (1981), emplacando as canções, “No Dia em Que Parti”, “Para o Diabo os Conselhos de Vocês”, de Neneco e Carlos Imperial (1935-1992), “Sorri, meu bem”, “Quando a Saudade Apertar”, “Não Quero Mais Você” e “Não Me Trate como um Cão”, de Renato Corrêa (1944).

Em 1972, é contratado pela gravadora Copacabana e vende a Caravelle. Pela Copacabana, lança mais 10 álbuns, incluindo dois em espanhol. Dos últimos LPs, destacam-se as canções “Amor Tem que Ser Amor (Cassiano Costa e Manoel Nenzinho), “Apenas uma Palavra (Nenéo), “Eu Te Amo Eu Te Venero (parceria com Carlos Roberto).

Por seis anos, integra o elenco do quadro Os Galãs Cantam e Dançam aos Domingos, do programa Silvio Santos, atuando com os cantores Antônio Marcos (1945-1992) e Wanderley Cardoso (1945), e, algumas vezes, como apresentador. 

 

Análise

Paulo Sérgio começa a carreira influenciado pelo estilo sentimental de artistas como Nelson Gonçalves (1919-1998), Altemar Dutra (1940-1983), e cantores da jovem guarda, como Roberto Carlos (1941) e Jerry Adriani (1947). Combina os dois estilos, fazendo uma música sentimental e dramática, com arranjos e instrumentos do rock e do iê iê iê.

É um dos precursores do estilo balada romântica, denominado brega, ao lado de Odair José (1948), Waldick Soriano (1933-2008), Lindomar Castilho (1940) e Agnaldo Timóteo (1936). Cantores populares nos anos 1970, com grande vendagem de discos, arranjos pouco sofisticados, letras fáceis e temas amorosos. As letras são produzidas sob censura durante a Ditadura Militar.

Como seu timbre vocal aproxima-se do de Roberto Carlos, e seu principal compositor chamar-se Carlos Roberto, sofre constantes acusações de plágio. Seu primeiro LP Paulo Sérgio – Volume 1 alcança a marca de 300 mil cópias, excepcional para a época. Lançado por uma gravadora independente e gravado em apenas 4 canais de áudio, é o terceiro mais vendido do ano de 1981. Várias canções são sucesso nas rádios e em programas de TV. “Última Canção” torna-se uma das músicas mais tocadas do país. 

Em 1973, regrava a guarânia “Índia”, dos compositores paraguaios Manuel Ortiz Guerrero (1894-1933) e José Asunción Flores (1904-1972), sucesso na voz de Cascatinha e Inhana. Lança também uma versão de Raul Sampaio (1928) de “La Bohème”, do cantor francês Charles Aznavour (1924).

A maioria de suas canções são românticas, mas há outras temáticas, como a autobiográfica “Alfaiate” e a toada “Nordeste 1920 (Terra Prometida)” (César, Tony Damito).

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • ARAÚJO, Paulo César. Eu não sou cachorro não: música popular cafona e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2002.
  • CABRERA, Antonio Carlos. Almanaque da música brega. São Paulo: Matrix, 2007.
  • PAULO SERGIO DE MACEDO. Site Oficial do artista. Disponível em: http://www.paulosergiodemacedo.com. Acesso em: 12 out. 2011

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: