Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Amadeu Amaral

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 14.03.2017
06.11.1875 Brasil / São Paulo / Capivari
24.10.1929 Brasil / São Paulo / São Paulo
Amadeu Ataliba Amaral Arruda Leite Penteado (Montemor, atual Capivari, SP 1875 - São Paulo SP 1929). Ensaísta, lingüista, poeta, romancista, jornalista e professor. Filho do fazendeiro e jornalista João de Arruda Leite Penteado (? - 1900), dono da Gazeta de Capivari, e de Maria Carolina de Arruda Leite Penteado. Com 11 anos, muda-se para São Pau...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Amadeu Ataliba Amaral Arruda Leite Penteado (Montemor, atual Capivari, SP 1875 - São Paulo SP 1929). Ensaísta, lingüista, poeta, romancista, jornalista e professor. Filho do fazendeiro e jornalista João de Arruda Leite Penteado (? - 1900), dono da Gazeta de Capivari, e de Maria Carolina de Arruda Leite Penteado. Com 11 anos, muda-se para São Paulo acompanhado de seu irmão mais novo, João Arruda, com o objetivo de conseguir emprego e continuar os estudos. Cinco anos depois, seu pai segue o destino dos dois filhos, muda-se com o restante da família para São Paulo e abre o jornal Lavoura e Comércio, no qual Amadeu e seus irmãos passam a trabalhar. Publica seus primeiros sonetos no jornal paulistano A Platéia, com o pseudônimo de Max Til, em 1892. Amadeu casa-se, em 1899, e tem quatro filhos, sendo o mais jovem o escritor Amadeu Amaral Júnior (1910 - 1944). No ano do casamento, publica seu primeiro livro de poesias, Urzes. O prestígio como escritor leva-o a ocupar a cadeira número 33 da Academia Paulista de Letras, na qual desempenha um importante papel tanto em sua fundação, em 1909, quanto em sua reorganização, em 1929. Em 1919, ingressa na Academia Brasileira de Letras - ABL, no lugar deixado pelo poeta Olavo Bilac (1865 - 1918), e ocupa a cadeira número 15. No ano seguinte, publica seu primeiro romance, A Pulseira de Ferro, e o livro O Dialeto Caipira, um dos precursores da dialetologia no Brasil. Colabora com diversos jornais, como o Correio Paulistano, O Comércio de São Paulo, O Estado de S. Paulo, Gazeta de Notícias e O Diário da Noite, em toda sua carreira profissional.

Fontes de pesquisa 7

Abrir módulo
  • ARANTES, Altino. Amadeu Amaral. São Paulo: Academia Paulista de Letras, s.d.
  • BRANDÃO, Adelino. Amadeu Amaral e o folclore brasileiro. São Paulo: Ministério da Educação e Cultura: Secretaria de Cultura, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, 1977.
  • DUARTE, Paulo. Amadeu Amaral. São Paulo: Hucitec, 1976.
  • DUARTE, Paulo. Estudo. In: AMARAL, Amadeu. Tradições populares. São Paulo: Instituto Progresso Editorial S. A., 1948.
  • LEITE, Manoel Cerqueira. A crítica funcional III: Amadeu Amaral - biografia, bibliografia, antologia poética. São Paulo: Alfa-Ômega, 1973.
  • LEITE, Manoel Cerqueira. Introdução, seleção e notas. In: AMARAL, Amadeu. Poesias. São Paulo: Editora Assunção Limitada, 1946.
  • SOUSA, Alberto. Amadeu Amaral: urzes, névoa, espumas... São Paulo: O São Paulo Imparcial, 1918.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: