Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.



Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Anaisa Franco

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 21.12.2016
16.05.1981 Brasil / Minas Gerais / Uberlândia
Anaisa Franco Nascimento (Uberlândia, Minas Gerais, 1981). Artista multimídia, designer, escultora, desenhista. Formada em artes plásticas pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), em 2004, realiza, com bolsa Alban, o mestrado em arte digital e tecnologia pela Universidade de Plymouth (Inglaterra), em 2007. Faz residências artísticas em cen...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Anaisa Franco Nascimento (Uberlândia, Minas Gerais, 1981). Artista multimídia, designer, escultora, desenhista. Formada em artes plásticas pela Fundação Armando Alvares Penteado (Faap), em 2004, realiza, com bolsa Alban, o mestrado em arte digital e tecnologia pela Universidade de Plymouth (Inglaterra), em 2007. Faz residências artísticas em centros de arte e Media Labs desde 2006. Entre elas, destacam-se as do Medialab Prado, do Media Centre d´Art i Disseny (Mecad) e do Hangar,  todas na Espanha; a do Museu da Imagem e do Som de São Paulo, Brasil, e a do TAV Taipei Artist Village em Taiwan.

Trabalha e expõe em países da América, Ásia e Europa, participando de exposições coletivas desde 2002, com obras que exploram a relação entre arte e tecnologia. Entre elas, a 5th Seoul International Media Art Bienalle, em Seul, Coréia do Sul; a Sonarmática, no Centre de Cultura Contemporània de Barcelona (CCCB), Espanha; o Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), em São Paulo, Brasil; a Fusion Folks em Taipei, Taiwan, e a Slow no Plymouth Art Centre, Inglaterra; entre outras.

A primeira mostra individual ocorre em 2011, na galeria Adora Calvo, em Salamanca, Espanha, seguida de outras como Onirical Reflections (2013) na Charlot Gallery em Paris, França, e Psicossomáticos (2016) no Paço das Artes de São Paulo, Brasil. Inicia, em 2016, o mestrado no Southern California Institute of Architecture (SCI-Arc), em Los Angeles, Estados Unidos.

Análise
Aproximando arte e robótica, o trabalho de Anaisa Franco é realizado em interface com engenheiros, arquitetos, designers, músicos, atores, fotógrafos e videomakers – visíveis em suas esculturas animadas, nas quais projeta mecanismos com movimento e interatividade. É o caso de Controlled Dream Machine (2006), em que pernas iluminadas eletricamente relacionam-se à projeção de uma vídeo animação construída com base em desenhos feitos à mão.

Mescla linguagens analógicas e digitais e constrói sistemas híbridos, combinando a forma do corpo humano à tecnologia. Em Connected Memmories (2007) duas esculturas cibernéticas em forma de cabeça, ligadas a um computador com tela, simulam um diálogo que pode ser interrompido pelos espectadores com envio de arquivos de áudio ou texto via bluetooth. As cabeças reproduzem essas interferências, criando uma espécie de memória coletiva. Em Expanded Eye (2007), explora questões da psicologia. Uma escultura em forma de olho gigante, é equipada com uma câmera que capta a imagem dos olhos dos espectadores e projeta-os no fundo da escultura, multiplicando-os de acordo com o número de piscadas dadas pelos observadores.

Na arte pública interativa temos The Heart of the City (2015) exposta em Sydney, Austrália. Espécie de escultura-poltrona, sua luz pulsa de acordo com a batida cardíaca de quem se senta nela, capturando-a graças a um sensor instalado sobre a escultura. Também Wave of Rainbow (2012), corredor de tubos coloridos preenchidos com água que interage com quem passa por sobre uma ponte à beira de um lago em Hangzhou, China.

Exposições 6

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 5

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: