Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Armando Costa

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
05.05.1933 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
09.04.1984 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Armando Costa (Rio de Janeiro RJ 1933 - idem 1984). Autor, diretor e animador. Marca a linha do Grupo Opinião não apenas como co-autor de alguns de seus espetáculos mais importantes, mas também por sua atuação no teatro de resistência, que exerce por meio da coerência ideológica e da crítica em defesa dos interesses populares.

Texto

Abrir módulo

Biografia

Armando Costa (Rio de Janeiro RJ 1933 - idem 1984). Autor, diretor e animador. Marca a linha do Grupo Opinião não apenas como co-autor de alguns de seus espetáculos mais importantes, mas também por sua atuação no teatro de resistência, que exerce por meio da coerência ideológica e da crítica em defesa dos interesses populares.

No início dos anos 60, é um dos fundadores do Centro Popular de Cultura da UNE - CPC, e tem participação ativa no seu setor de dramaturgia, sendo co-autor de textos como Auto dos 99 por Cento, de 1962, e A Besta Torta do Pajeú, de 1963, ambas de vários autores. Depois do golpe militar, participa da fundação do Teatro Opinião, do qual é sócio e onde exerce variadas funções, a principal delas como co-autor, geralmente com Oduvaldo Vianna Filho, Paulo Pontes e Ferreira Gullar, dos textos que o grupo encena: o show Opinião, 1964, espetáculo inaugural do grupo; o roteiro de Se Correr o Bicho Pega, Se Ficar o Bicho Come, 1966, que tem texto final de Oduvaldo Vianna Filho (Vianinha) e Ferreira Gullar; A Saída, Onde Fica a Saída?, 1968; Brasil & Cia., 1969; e o show Brasil Pede Passagem, que ele dirige ao lado de João das Neves. Dirige também Meia Volta Vou Ver, de Oduvaldo Vianna Filho, 1967, e o show Teleco-Tecoop. 2. É co-autor com Vianinha da peça Alegro Desbum, encenada por José Renato em 1973.

A partir da sua saída do Opinião, Armando Costa passa a concentrar-se no trabalho de roteirista de televisão, colocando sua assinatura em algumas realizações que marcam época, tais como a série da década de 70 A Grande Família, em parceria com Vianinha, que a Globo readapta nos anos 2000. É também ativo roteirista cinematográfico, efetivando parcerias constantes com Leopoldo Serran e trabalhando constantemente com diretores como Pedro Carlos Rovai, Hugo Carvana e Antônio Calmon. É nessas duas atividades que deixa marcos mais importantes do que no teatro, onde permanece atuante em participações eventuais - como a autoria dos shows de Jô Soares, Viva o Gordo e Abaixo o Regime, 1980, Brasil, da Censura à Abertura, 1981, e Um Gordoidão no País da Inflação, 1985.

Armando Costa é também cartunista, poeta, letrista e músico.

Eventos relacionados 21

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 4

Abrir módulo
  • COSTA, Armando. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Personalidades Artes Cênicas.
  • MICHALSKI, Yan. Armando Costa. In: ___________. PEQUENA Enciclopédia do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material inédito, elaborado em projeto para o CNPq. Rio de Janeiro, 1989.
  • Programa do Espetáculo - Feira do Adultério - 1976. Não catalogado
  • TBC apresenta Arena-Opinião. São Paulo: TBC, 1965. 1 programa do espetáculo realizado no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC). Não catalogado

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: