Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Zeno Wilde

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
15.11.1947 Brasil / Mato Grosso do Sul / Aquidauana
10.12.1998 Brasil / São Paulo / São Paulo
Zeno Wilde Mendonça (Aquidauana MS 1947 - São Paulo SP 1998). Autor. Dramaturgo conhecido pelas incursões junto aos temas ligados à marginalidade. Após formar-se pela Escola de Arte Dramática (EAD), lança em 1980 seu primeiro e mais popular texto: Blue Jeans, abordando a vida de garotos de programa, texto encenado em várias montagens pelas capit...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Zeno Wilde Mendonça (Aquidauana MS 1947 - São Paulo SP 1998). Autor. Dramaturgo conhecido pelas incursões junto aos temas ligados à marginalidade. Após formar-se pela Escola de Arte Dramática (EAD), lança em 1980 seu primeiro e mais popular texto: Blue Jeans, abordando a vida de garotos de programa, texto encenado em várias montagens pelas capitais brasileiras e numa versão musical, realizada em 1991, pelo diretor Wolf Maya. Em 1984, cria O Meu Guri, sobre o tema proposto por Chico Buarque. Sua preocupação com os marginalizados volta em 1986, num espetáculo dirigido por Fauzi Arap, denominado Uma Lição Longe Demais, sobre os conflitos entre uma professora e seus alunos na periferia de São Paulo. O desempenho comovente de Gabriela Rabello torna a realização extremamente comunicativa com o público. Impacto artístico que se traduz em alguns expressivos prêmios. O crítico Alberto Guzik fala sobre a peça: "Escrita com secura e objetividade, dotada de diálogos afiados, levando para o palco personagens observados com cuidado e desenhados de modo consistente, Uma Lição supera o nível do drama e atinge em muitas passagens o cume da tragédia".1

Anjos da Guarda, de 1987, e Quem Te Fez Saber Que Estavas Nu, de 1989, são novas incursões sobre este universo de marginalizados que tanto fascina o autor. A jornalista Marici Salomão escreve: "Anjos de Guarda é um soco em um ato e 60 minutos. Uma jovem psicóloga da Febem, Nira, entra num casarão abandonado na periferia de São Paulo onde se esconde o menor fugitivo Gabriel, de 17 anos por quem está apaixonada. Foi guiada por Fumaça, menor com passagem na polícia e colega de Gabriel. Bem-intencionada, ingênua e amante, a moça acredita que pode convencer Gabriel a se render. Gabriel confessa ter sido protegido, já na saída da instituição, por um traficante que lhe garantirá a subsistência nas ruas. Uma enorme tensão pontua o espetáculo do início ao fim. A peça transcorre em tempo real, sob total suspense, na transição do dia para a noite".2 O ambiente da prostituição masculina ressurge em 1992, através de Olhos Cor de Mel, de James Dean, encenada por ele próprio. Mesmo ano em que cria, sobre a vida de Assis Valente, um interessante musical que mescla a vida e a obra do compositor carioca: Salve o Prazer!

Nos anos subseqüentes surgem novas criações, destinadas a pequenos elencos e novamente centradas sobre personagens à margem da sociedade: Uma Canção Desesperada e Exagerei no Rímel, ambas de 1993, e Zero de Conduta, em 1994. Dois anos após, debruça-se sobre a obra Baal, de Bertolt Brecht, produzindo uma versão livre e adaptada ao clima brasileiro. Inspirado pela vida e obra de Pasolini, cineasta italiano, escreve e encena Pasolini - A Segunda Morte de Pedro e Paulo, em 1996, mesmo ano em que ganha o Prêmio Estímulo de Dramartugia, por Verona - Ruptura e Sonho, sua última peça.

Para a televisão colabora no texto das novelas As Pupilas do Sr. Reitor, em 1995; Razão de Viver, em 1996, e Mandacaru, em 1997.

Sobre o dramaturgo, pronuncia-se o autor e diretor Fauzi Arap:.
"Zeno era um trabalhador do teatro. Era um belo dramaturgo, que estudava muito. E o último espetáculo dele, Pasolini, foi a sua melhor direção. Algumas peças devem permanecer. Outras devem ainda ser descobertas, como Salve o Prazer, um musical sobre Assis Valente".3

Alberto Guzik analisa: "Dramaturgo que levou excluídos, miseráveis, malditos e marginais para a cena, o aquidauanense Zeno Wilde deixou uma obra que dialoga com a de seu contemporâneo, o santista Plínio Marcos. Embora tivessem impulsos distintos, que caracterizavam e definiam seus universos teatrais - Wilde lançou seu olhar principalmente para crianças e adolescentes de rua, Marcos para prostitutas, mendigos, presidiários, biscateiros... -, os dois partilharam temas, um lirismo desencantado, a indignação".4

Notas
1. GUZIK, Alberto. Anjos da Guarda Pede Mais Ação. São Paulo, O Estado de S. Paulo, Caderno 2, 9 de novembro de 2001.

2. SALOMÃO, Marici. Um Soco em um Ato e 60 minutos. São Paulo, O Estado de S. Paulo, Caderno 2, 6 de outubro de 2001.

3. ARAP, Fauzi. Depoimento sobre Zeno Wilde. In: SÁ, Nelson de . Zeno Wilde. Folha de S.Paulo, São Paulo, 12 dez. 1998. p. 3-4.

4. GUZIK, Alberto. Anjos da Guarda Pede Mais Ação. São Paulo, O Estado de S. Paulo, Caderno 2, 9 de novembro de 2001.

Espetáculos 28

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 6

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Zeno Wilde (ficha curricular) In: ___________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • Camas Redondas, Casais Quadrados. São Paulo: Teatro Itália, 1978. 1 programa de espetáculo realizado no Teatro Itália. Não catalogado
  • Planilha enviada pela pesquisadora Julia Alves Carvalhal. Não Catalogado
  • Programa do Espetáculo - A Diva do Barato - 1977. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Boca Molhada de Paixão Calada - 1984. Não catalogado
  • SÁ, Nelson de . Zeno Wilde. Folha de S.Paulo, São Paulo, 12 dez. 1998. p. 3-4.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: