Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Antonio Lizarraga

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 08.12.2017
18.11.1924 Argentina / Buenos Aires / Buenos Aires
15.11.2009 Brasil / São Paulo / São Paulo
Reprodução fotográfica Bio Zenha

Oito Leituras de um Quadrado, 1986
Antonio Lizarraga
Pigmento com resina acrílica sobre tela
50,00 cm x 50,00 cm

Antonio Gundemaro Lizarraga (Buenos Aires, Argentina 1924 - São Paulo, São Paulo, 2009). Pintor, escultor, artista gráfico e designer. Muda-se para o Brasil em 1959, fixa residência em São Paulo e inicia carreira como ilustrador do Suplemento Literário do jornal O Estado de S. Paulo, atividade que exerce até 1967. Seus desenhos desse período se ...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Antonio Gundemaro Lizarraga (Buenos Aires, Argentina 1924 - São Paulo, São Paulo, 2009). Pintor, escultor, artista gráfico e designer. Muda-se para o Brasil em 1959, fixa residência em São Paulo e inicia carreira como ilustrador do Suplemento Literário do jornal O Estado de S. Paulo, atividade que exerce até 1967. Seus desenhos desse período se situam entre a figuração e a abstração. Atua como designer em projetos gráficos para editoras e objetos para indústrias. A partir da década de 1970, dedica-se a outros meios expressivos como a gravura, a escultura e a pintura, e também cria interferências no espaço urbano e instalações. Em 1983, sofre um acidente vascular cerebral e, impossibilitado de realizar diretamente suas obras, passa a trabalhar com assistentes. É pesquisador do CNPq entre 1987 e 1999. São lançados livros sobre sua produção: Antonio Lizárraga: Uma Poética da Radicalidade, de Annateresa Fabris, em 2000, e Antonio Lizárraga: Quadrados em Quadrados, de Maria José Spiteri, em 2004.

Análise

A partir de 1959, Antonio Lizarraga trabalha como ilustrador do suplemento literário do jornal O Estado de S. Paulo, atuando também em publicações de várias editoras. Nessa época, sua produção é abstrata, com formas predominantemente orgânicas.  Posteriormente, sua obra passa a apresentar afinidade com a arte construtiva. Como nota a historiadora da arte Annateresa Fabris, em meados da década de 1960, o artista cria formas densas em seus desenhos, que fazem alusão a esculturas. Na década seguinte, realiza várias intervenções urbanas, explorando materiais industriais, como o concreto. A temática da metrópole está presente em muitas obras do período.
 
No início da década de 1980, realiza gravuras em metal, buscando a sensação de tridimensionalidade, de acordo com a definição que o artista dá de seu trabalho, a de "escultor do plano". Sofre um acidente vascular cerebral, em 1983, ficando praticamente sem movimentos. Dois anos depois, volta a dedicar-se às artes visuais, passando a trabalhar com o auxílio de assistentes. Em 1985, é exposta parte de sua produção como ilustrador, na qual pode ser percebida a sensibilidade clara e precisa com relação ao espaço gráfico.
 
Como aponta Annateresa Fabris, ao apresentar diferentes possibilidades para a relação entre forma e cor no plano, Lizarraga recoloca em questão algumas das indagações centrais às vertentes construtivas, propondo uma problematização, por vezes impregnada de sensualidade e de um sentido lúdico, da relação entre espaço e matéria.

Obras 23

Abrir módulo
Reprodução fotográfica Isabella Matheus

Blitzkrieg

Serigrafia colorida

Exposições 161

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 17

Abrir módulo
  • ARTE Xerox Brasil. Apresentação de Jorge da Cunha Lima; textos de Maria Cecília França Lourenço, Hudinilson Jr., Rosita Gouveia; curadoria de Hudinilson Jr. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 1984.
  • BIENAL BRASIL SÉCULO XX, 1994, São Paulo, SP. Bienal Brasil Século XX: catálogo. Curadoria Nelson Aguilar, José Roberto Teixeira Leite, Annateresa Fabris, Tadeu Chiarelli, Maria Alice Milliet, Walter Zanini, Cacilda Teixeira da Costa, Agnaldo Farias. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1994.
  • CHIARELLI, Tadeu. Arte internacional brasileira. São Paulo: Lemos, 1999.
  • DICIONÁRIO brasileiro de artistas plásticos. Organização Carlos Cavalcanti e Walmir Ayala. Brasília: Instituto Nacional do Livro, 1973-1980. 4v. (Dicionários especializados, 5).
  • FABRIS, Annateresa. Antonio Lizárraga: uma poética da racionalidade. Belo Horizonte: C/Arte, 2000. (História & Arte).
  • GONÇALVES, Lisbeth Rebollo. Tendências construtivas no acervo do MAC USP: construção, medida e proporção. Curadoria Daisy V. M. Peccinini de Alvarado. Rio de Janeiro: Centro Cultural Banco do Brasil, 1996. Exposição realizada no período de 01 ago. a 29 set. 1996.
  • GULLAR, Ferreira (et. al). 150 anos de pintura no Brasil: 1820-1970. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • HIRZSMAN, Maria. Morre o artista Antonio Lizárraga. O Estado de S. Paulo. São Paulo, 16 de novembro 2009. Caderno Vida&, p. A13.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. 500 anos da pintura brasileira. [S.l.]: Log On Informática, 1999. 1 CD-ROM.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro: Artlivre, 1988.
  • LIZÁRRAGA, Antônio. Desenhando a cor. São Paulo: Valu Oria Galeria de Arte, 1996.
  • LIZÁRRAGA, Antônio. Deslocamentos gráficos. Curadoria Taisa Helena P. Palhares, Thiago Honório. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2006.
  • LIZÁRRAGA, Antônio. Lizarraga: formas: relevos, esculturas, pinturas. São Paulo: Galeria de Arte Paulo Vasconcelos, 1988.
  • MAMMÍ, Lorenzo. Antonio Lizárraga. Guia das Artes, São Paulo: Casa Editorial Paulista, v. 3, n. 11, p. 67, 1988.
  • PROJETO Arte Atual Brasil: Senses: um olhar sensível sobre a arte atual. Curadoria Paulo Klein. São Paulo: Renato Magalhães Gouvêa Escritório de Arte, 1994.
  • SARUÉ, Hans Sulman-Grudzinski, Tikashi Fukushima e Gisela Eichbaum: Neyde Bonfiglioli, Masumi Tsuchimoto, Lizarraga, Gerty. São Paulo: Galeria de Arte Alberto Bonfiglioli, 1969.
  • SPITERI, Maria José. Antonio Lizárraga: quadrados em quadrados. São Paulo: Edusp : Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: