Artigo da seção pessoas Samuel Abrantes

Samuel Abrantes

Artigo da seção pessoas
Teatro  
Data de nascimento deSamuel Abrantes: 04-02-1961 Local de nascimento: (Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)

Biografia

Samuel Sampaio Abrantes (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1961). Figurinista e professor. Seus figurinos se destacam pela aberta teatralidade construída a partir de colagens, adereços exóticos e livres combinações pictóricas. Colaborador constante nas realizações empreendidas pelo encenador carioca Moacyr Góes.

Formado em letras - português e grego - pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, sua formação técnica se dá como criador de fantasias e alegorias de escolas de samba. Estréia como figurinista de teatro em Baal, de Bertolt Brecht, 1989, com a Companhia de Encenação Teatral - CET, de Moacyr Góes, com quem estabelece parceria ao longo de  toda a sua carreira. O segundo trabalho, que colabora para a sofisticação visual de A Escola de Bufões, de Michel de Ghelderode, 1990, lhe vale três prêmios - Shell, Molière e Sated. Em 1993, é novamente premiado - Shell e Mambembe - pelo figurino de Epifanias, adaptação de O Sonho, de August Strindeberg. Em 1994, recebe o Prêmio Sated pelo trabalho em Eduardo II, de Christopher Marlowe, e assina os figurinos de três espetáculos, entre eles, Alcassino e Nicoleta, de André Paes Leme. No ano seguinte, realiza Trilogia Tebana, de Sófocles; Abelardo e Heloísa, de Clara Góes; e Cabaré Youkali, com música de Kurt Weill. Em 1996, assina os figurinos de Tragédias Cariocas para Rir, espetáculo do Núcleo Carioca de Teatro, sob a direção de Luiz Arthur Nunes; e Gregório, de Clara Góes. Seguem-se Boca de Ouro, de Nelson Rodrigues, direção de Marco Antonio Braz; Cartas Portuguesas, de Mariana Alcoforado; Divinas Palavras, de Ramón Del Valle-Inclán, em 1997; Galvez, o Imperador do Acre, de Márcio Souza e Luiz Carlos Góes, 1998. Em Toda Nudez Será Castigada, de Nelson Rodrigues, com direção de Moacyr Góes, seus figurinos, segundo a crítica Barbara Heliodora, "desenham a trajetória de Geni passando do mais enfeitado para o mais simples, sempre com acerto".1 Em Os Sete Gatinhos, de Nelson Rodrigues, ainda em 1998, o figurinista consegue obter "uma vulgaridade composta".2 Seguem-se Um Gosto de Mel, de Shelagh Delaney, direção de Amir Haddad, e A Via Sacra dos Contrários - Bispo Jesus do Rosário, de Clara Góes, 1999. Em 2000, faz os figurinos de A Tempestade, de William Shakespeare, e Bonitinha, mas Ordinária, de Nelson Rodrigues. Realiza os figurinos de As Centenárias, espetáculo produzido e encenado por Marieta Severo e Andréa Beltrão, em 2007. Estreia como ator, em 2009, na peça Inês É Morta, de Felipe Barenco, com direção de Felipe Herzog.

Paralelamente ao trabalho em teatro, Samuel Abrantes atua continuamente em escolas de samba.

Conclui mestrado em antropologia da arte, em 1996, e doutorado em semiologia, em 2006. É professor adjunto e coordenador do Curso de Artes Cênicas da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro - EBA/UFRJ. Presta consultoria para o curso superior de moda e para o curso de graduação e pós-graduação em Carnaval da Universidade Veiga de Almeida - UVA.

Notas

1 HELIODORA, Barbara. Espetáculo promete, mas não alço vôo. O Globo, Rio de Janeiro, 9 maio 1998.

2 LUIZ, Macksen. Forte obsessão envelhecida. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20 nov. 1998.

Outras informações de Samuel Abrantes:

  • Outros nomes
    • Samuel Sampaio Abrantes
  • Habilidades
    • professor
    • figurinista

Espetáculos (35)

Todos os espetáculos

Fontes de pesquisa (7)

  • ABRANTES, Samuel. Rio de Janeiro: Funarte / Cedoc. Dossiê Personalidades Artes Cênicas.
  • ALBUQUERQUE, Johana. Samuel Abrantes. (ficha curricular) In: _________. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para a Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • ANUÁRIO de teatro 1994. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1996.
  • EICHBAUER, Hélio. [Currículo]. Enviado pelo artista em 24 de abril de 2011. Espetáculos: Escola de Bufões - 1990; Antígona - 1991; Anjo Negro - 1994.
  • Programa do Espetáculo - A Escola de Bufão - 1990
  • Programa do Espetáculo - As Centenárias - 2007.
  • Programa do Espetáculo - Epifanias -1993.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • SAMUEL Abrantes. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa350896/samuel-abrantes>. Acesso em: 11 de Abr. 2021. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7