Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Teatro

Lilian Lemmertz

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 24.08.2021
15.06.1937 Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre
05.06.1986 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Lilian Lemmertz Dias (Porto Alegre RS 1937 - Rio de Janeiro RJ 1986). Atriz. Intérprete de origem gaúcha, introspectiva e refinada, detentora de especial talento para as nuances e pormenores expressivos, transitando com leveza e espírito entre a comédia e o drama.

Texto

Abrir módulo

Biografia
Lilian Lemmertz Dias (Porto Alegre RS 1937 - Rio de Janeiro RJ 1986). Atriz. Intérprete de origem gaúcha, introspectiva e refinada, detentora de especial talento para as nuances e pormenores expressivos, transitando com leveza e espírito entre a comédia e o drama.

Ainda no curso colegial, inicia-se no teatro estudantil através de um convite de Antônio Abujamra para integrar o elenco de À Margem da Vida, de Tennessee Williams com o Teatro Universitário de Porto Alegre, em 1953, tornando-se a revelação do ano o Prêmio Negrinho do Pastoreio. No ano seguinte, segue nesse elenco em O Pai, de August Strindberg, sob a direção de Linneu Dias, então professor da Escola de Teatro Universitário do Rio Grande do Sul, e que, dois anos depois, se tornará seu marido.

Lilian entra para a universidade, para cursar línguas neolatinas, e, em 1961, juntamente com Paulo José, Antônio Abujamra e Linneu, funda o grupo Os Comediantes da Cidade. Estreiam A Bilha Quebrada, de Kleist, no festival de estudantes de Paschoal Carlos Magno, onde ela é eleita a melhor atriz e Linneu o melhor diretor. Vistos por Cacilda Becker, esta os convida para seguirem carreira em São Paulo.

Sob a direção de Hermilo Borba Filho, Lilian estréia profissionalmente na companhia de Cacilda Becker em Onde Canta o Sabiá, de Gastão Tojeiro, como a protagonista, em 1963. O sucesso é fulminante, levando-a a um trabalho atrás do outro, com destaque para A Noite do Iguana, de Tennessee Williams, direção de Walmor Chagas, e Toda Donzela Tem Um Pai Que É Uma Fera, de Gláucio Gill, dirigido por Benedito Corsi, ambos em 1964. Ela, todavia, decide voltar para o Sul, interrompendo a carreira. Plano logo desfeito com novo convite de Cacilda Becker para integrar o elenco de Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?, de Edward Albee, sob a direção de Maurice Vaneau, sucesso absoluto em 1967, pelo qual leva o Prêmio Saci de melhor atriz coadjuvante. Atua em dois filmes: As Cariocas, em 1966, e As Amorosas, em 1968, ambos de Walter Hugo Khouri, diretor que a elege sua atriz preferida e com quem realiza diversas outras películas.

Volta aos palcos, ao lado de Juca de Oliveira, em Dois na Gangorra, de William Gibson, com direção de Osmar Rodrigues Cruz, em 1968, e é premiada com o Molière de melhor atriz. No ano seguinte, é a Ofélia, de Hamlet, de William Shakespeare, com direção de Flávio Rangel, e faz uma substituição na antológica encenação de O Balcão, de Jean Genet, concepção de Victor Garcia.

Seguem-se trabalhos em filmes e telenovelas e, em 1972, É Hoje!..., de Lawrence Holofcener, em que é novamente dirigida por Osmar Rodrigues Cruz; e Roda Cor de Roda, de Leilah Assumpção, com direção de Antônio Abujamra, em 1975. Em 1977, sob a direção de Antunes Filho, interpreta o Wladimir de Esperando Godot, ao lado de Eva Wilma, numa encenação coroada de sucesso, apenas com mulheres. Em 1978, é novamente premiada, agora com o APCA de melhor atriz, em Caixa de Sombras, de Michael Cristofer, uma direção de Emílio Di Biasi. Em 1979, participa de Tiro ao Alvo, de Flávio Márcio. Volta a chamar a atenção no desempenho da suave mãe de A Patética, proibida peça de João Ribeiro Chaves Neto, pelo diretor Celso Nunes, em 1980.

Precocemente morta aos 48 anos, Lilian deixa uma lacuna no meio artístico, registrada pelo crítico Alberto Guzik: "A morte de Lilian Lemmertz priva o teatro, o cinema e a televisão de uma intérprete excepcional, no auge da maturidade. Sua memória passa a integrar uma galeria especial de personagens cênicas, habitada por Cacilda Becker e Glauce Rocha, também falecidas prematuramente, quando senhoras plenas dos segredos do palco".1

Notas
1. GUZIK, Alberto. Recorte de jornal sem data e identificação.

Obras 1

Abrir módulo

Espetáculos 20

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 13

Abrir módulo
  • ALBUQUERQUE, Johana. Lilian Lemmertz (ficha curricular). In: _______. ENCICLOPÉDIA do Teatro Brasileiro Contemporâneo. Material elaborado em projeto de pesquisa para Fundação VITAE. São Paulo, 2000.
  • CARLOS, Manoel. Prazeres secretos com a refinada Lilian Lemmertz. Jornal da Tarde, São Paulo.
  • CARVALHO, Tania. Ney Latorraca: uma celebração. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2004. (Aplauso Especial). 792.092 L358c
  • CENTRO CULTURAL SÃO PAULO. Divisão de Pesquisas. Cronologia das artes em São Paulo 1975-1995: Artes cênicas - Teatro. São Paulo: Centro Cultural São Paulo, 1996. (Cronologia das artes em São Paulo, 3).
  • FONSECA, Rodrigo. Biografia de Lilian Lemmertz disseca o estilo da atriz de 'Baila comigo', celebrizada nos palcos nos anos 60. 13/10/2010. Disponível em: [http://oglobo.globo.com/cultura/mat/2010/10/12/biografia-de-lilian-lemmertz-disseca-estilo-da-atriz-de-baila-comigo-celebrizada-nos-palcos-nos-anos-60-922767590.asp]. Acesso em: 02/06/2011. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Caixa de Sombras - 1978. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Entre Quatro Paredes - 1974. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Esperando Godot - 1977. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Pequenos Burgueses - 1964. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Quem Tem Medo de Virginia Woolf? - 1965. Não catalogado
  • Programa do Espetáculo - Roda Cor de Roda - 1975. Não catalogado
  • RAMOS, Fernão Pessoa; MIRANDA, Luiz Felipe (Orgs). Enciclopédia do cinema brasileiro. São Paulo: Senac, 2000. R791.430981 E56
  • TODA DONZELA Tem Um Pai que É Uma Fera. São Paulo: Teatro Oficina Uzyna Uzona, [1964]. 1 programa do espetáculo realizado no Teatro Oficina.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: