Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Lindolf Bell

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 12.04.2017
02.11.1938 Brasil / Santa Catarina / Timbó
10.12.1998 Brasil / Santa Catarina / Blumenau
Lindolf Bell (Timbó SC 1938 - Blumenau SC 1998). Publica seu primeiro livro de poesia, Os Póstumos e as Profecias, em 1962. Na época, cursa Dramaturgia na Escola de Arte Dramática, em São Paulo SP. Em 1963 participa na Expressão de Novos Poetas, com poemas-murais, na biblioteca paulistana Mário de Andrade, e publicou Os ciclos. É integrante do M...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Lindolf Bell (Timbó SC 1938 - Blumenau SC 1998). Publica seu primeiro livro de poesia, Os Póstumos e as Profecias, em 1962. Na época, cursa Dramaturgia na Escola de Arte Dramática, em São Paulo SP. Em 1963 participa na Expressão de Novos Poetas, com poemas-murais, na biblioteca paulistana Mário de Andrade, e publicou Os ciclos. É integrante do Movimento da Catequese Poética, em 1964, e autor do roteiro cinematográfico A Deriva para o filme experimental de Juan Seringo, em 1965. Em 1968 declama poemas no Show Contra, no Teatro Ruth Escobar, São Paulo SP. No mesmo ano viaja para os Estados Unidos, onde integra o grupo brasileiro no International Writing Program, na Universidade de Iowa. Lá cria, com Elke Hering Bill, uma série de poemas-objetos e objetos poéticos. De volta ao Brasil, passa a viver em Blumenau SC, onde leciona História da Arte na Fundação Universidade Regional. Participa na I Pré-Bienal de São Paulo, em 1970, com poemas-objetos. Em 1984 recebe o Prêmio de Poesia, pelo livro Código das Águas, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Sua obra poética inclui, entre outros, os livros As Annamárias (1971), As Vivências Elementares (1984) e Iconographia (1993). A poesia de Lindolf Bell, de tendência contemporânea, é vinculada, nos anos 60, ao engajamento social e literário do autor. A partir de 1968, no entanto, seu conteúdo poético se volta para a interiorização pessoal e passa a tematizar a memória, as origens e a terra natal.

Espetáculos 1

Abrir módulo

Exposições 3

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 3

Abrir módulo
  • COELHO, Nelly Novaes. Dicionário crítico de literatura infantil e juvenil brasileira. 4ª ed. São Paulo: Edusp, 1995.
  • COELHO, Nelly Novaes. Entrevista concedida a Luisa Destri. São Paulo, 21 de julho de 2009.
  • ROVERI, Sergio. Tatiana Belinky... e quem quiser que conte outra. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2007.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: