Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas

A Enciclopédia é o projeto mais antigo do Itaú Cultural. Ela nasce como um banco de dados sobre pintura brasileira, em 1987, e vem sendo construída por muitas mãos.

Se você deseja contribuir com sugestões ou tem dúvidas sobre a Enciclopédia, escreva para nós.

Caso tenha alguma dúvida, sugerimos que você dê uma olhada nas nossas Perguntas Frequentes, onde esclarecemos alguns questionamentos sobre nossa plataforma.



Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Carlos Nejar

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 20.01.2016
11.01.1939 Brasil / Rio Grande do Sul / Porto Alegre
Luís Carlos Verzoni Nejar (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1939). Publica Sélesis, seu primeiro livro de poesia, em 1960. No mesmo ano trabalha como colaborador da página literária Nossa Geração do Jornal Diário de Notícias, de Porto Alegre. Forma-se bacharel em direito pela Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) em 1962...

Texto

Abrir módulo

Biografia
Luís Carlos Verzoni Nejar (Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 1939). Publica Sélesis, seu primeiro livro de poesia, em 1960. No mesmo ano trabalha como colaborador da página literária Nossa Geração do Jornal Diário de Notícias, de Porto Alegre. Forma-se bacharel em direito pela Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC/RS) em 1962. Entre 1966 e 1974 atua como professor da rede pública estadual em Itaqui, Rio Grande do Sul, e promotor de justiça em várias cidades do interior gaúcho, além de procurador da justiça em Porto Alegre. Em 1970 recebe o Prêmio Jorge de Lima, pelo livro Arrolamento, concedido pelo Instituto Nacional do Livro (INL). Em 1979 ocorre a gravação de seus poemas para a Biblioteca do Congresso, em Washington, Estados Unidos. Eleito, em 1987, membro da Academia Brasileira de Letras (ABL). Sobre sua obra, de tendências contemporâneas, o crítico Eduardo Portella afirma: "a poesia enraizada de Carlos Nejar, porque enraizada e porque poesia, sabe, em meio ao ruído epocal da modernidade, ao som e à fúria, dispensar os manequins de época e plantar-se, sem receio e sem alarde, no fundo do tempo".

Cursos 2

Abrir módulo

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: