Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Mario Pederneiras

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.03.2017
02.11.1868 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
15.02.1915 Brasil / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro
Mário Veloso Paranhos Pederneiras (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1868 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1915). Estrea na imprensa por volta de 1878, quando colabora como o jornal estudantil O Imparcial, do Grêmio Literário Artur de Oliveira, no Rio de Janeiro RJ. Colabora ainda com a Gazeta de Notícias, Sans Dessous, O Tagarela e Novidades. Cu...

Texto

Abrir módulo

Biografia

Mário Veloso Paranhos Pederneiras (Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1868 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1915). Estrea na imprensa por volta de 1878, quando colabora como o jornal estudantil O Imparcial, do Grêmio Literário Artur de Oliveira, no Rio de Janeiro RJ. Colabora ainda com a Gazeta de Notícias, Sans Dessous, O Tagarela e Novidades. Cursa o primeiro e o segundo ano da Faculdade de Direito, em 1888 e 1889, em São Paulo SP, mas não chega a conclui-la. Em 1900 publica Agonia, seu primeiro livro de poesia. Na década de 1910, trabalha na elaboração em prosa da revista teatral inédita Dona Bernarda e da comédia inédita O Dr. Mendes Camacho. Conquista o terceiro lugar no concurso para Príncipe dos Poetas Brasileiros, em 1913, no Rio de Janeiro. Sua obra poética inclui os livros Rondas Noturnas (1901), Histórias do meu Casal, 1904/1906 (1906) e Ao Léu do Sonho e à Mercê da Vida (1912), de estética simbolista. Segundo o crítico Péricles Eugênio da Silva Ramos (1919 - 1992), "um poeta houve entre os nossos simbolistas que se tornou, com o tempo, o cantor das alegrias da vida doméstica e também das tristezas que a assaltam: esse poeta do lar, da saudade da filha morta, da gratidão à esposa, das coisas humildes como as árvores da rua, a mangueira do quintal, o passeio público, etc., foi Mário Pederneiras".

Fontes de pesquisa 5

Abrir módulo
  • COUTINHO, Afrânio. Mário Pederneiras. In: A LITERATURA no Brasil. Org. Afrânio Coutinho. 2.ed. Rio de Janeiro: Ed. Sul Americana, 1969.
  • MOISÉS, Massaud. Mário Pederneiras. In: ______. História da literatura brasileira: simbolismo. São Paulo: Cultrix: Edusp, 1985.
  • MURICY, Andrade. Mário Pederneiras. In: ___. Panorama do movimento simbolista brasileiro. 2.ed. Brasília: INL, 1973. v.1, p.365-381. (Literatura brasileira, 12).
  • PEDERNEIRAS, Mário. Poesia. Org. Rodrigo Octavio Filho. 2.ed. Rio de Janeiro: Agir, 1977. (Nossos clássicos, 29).
  • RAMOS, Péricles Eugênio da Silva. Mário Pederneiras. In: ___. Poesia simbolista: antologia. São Paulo: Melhoramentos, 1965.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: