Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Emiliano Perneta

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.03.2017
03.01.1866 Brasil / Paraná / Curitiba
19.01.1921 Brasil / Paraná / Curitiba
Emiliano Perneta (Curitiba, Paraná, 1866 - Curitiba, Paraná, 1921). Publica seus primeiros poemas em O Dilúculo, em 1883. Muda-se para São Paulo SP em 1885, onde funda a Folha Literária, dom Afonso de Carvalho, Carvalho Mourão e Edmundo Lins, em 1888. No mesmo ano publica as obras poéticas Músicas, de versos parnasianos, e Carta à Condessa d'Eu....

Texto

Abrir módulo

Biografia

Emiliano Perneta (Curitiba, Paraná, 1866 - Curitiba, Paraná, 1921). Publica seus primeiros poemas em O Dilúculo, em 1883. Muda-se para São Paulo SP em 1885, onde funda a Folha Literária, dom Afonso de Carvalho, Carvalho Mourão e Edmundo Lins, em 1888. No mesmo ano publica as obras poéticas Músicas, de versos parnasianos, e Carta à Condessa d'Eu. É também  diretor da Vida Semanária, com Olavo Bilac (1865 - 1918), e  colaborador do Diário Popular e da Gazeta de São Paulo. Forma-se bacharel em Direito em 1889, e muda-se para o Rio de Janeiro no ano seguinte. Lá, colabora em vários periódicos e, em 1891, é secretário da Folha Popular, na qual foram publicadas as manifestações iniciais do movimento simbolista, assinadas pelos poetas B. Lopes, Cruz e Sousa (1861 - 1898) e Oscar Rosas. De volta ao Paraná, cria a revista simbolista Victrix, em 1902. Em 1913 publica o poema-livreto Papilio Innocentia, para a ópera do compositor suíço Léo Kessler, sobre o romance Inocência, de Visconde de Taunay. Sua obra poética inclui Ilusão (1911), no qual se faz presente a estética simbolista, Pena de Talião (1914) e os póstumos Setembro (1934) e Poesias Completas (1945). A poesia de Emiliano Perneta é vinculada ao Simbolismo. Segundo o crítico Péricles Eugênio da Silva Ramos (1919 - 1992), "Emiliano Perneta, dentro de sua corrente literária, tem personalidade e merecimento, podendo figurar, sem favor, entre os nosso mais típicos e notáveis poetas decadentes e simbolistas".

Fontes de pesquisa 2

Abrir módulo
  • PERNETA, Emiliano. Ilusão e outros poemas. Org. Tasso da Silveira. Introd. cronol. bibliogr. e fontes para estudo Andrade Muricy. Rio de Janeiro: GRD, 1966.
  • RAMOS, Péricles Eugênio da Silva. Emiliano Perneta. In: ___. Poesia simbolista: antologia. São Paulo: Melhoramentos, 1965. p.115-130.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: