Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Literatura

Luiz Gama

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 30.08.2021
21.06.1830 Brasil / Bahia / Salvador
24.08.1882 Brasil / São Paulo / São Paulo
Luiz Gonzaga Pinto da Gama (Salvador, Bahia, 1830 - São Paulo, São Paulo, 1882). Poeta, jornalista e advogado. Filho de mãe negra e pai fidalgo de família portuguesa, aos 10 anos é vendido pelo pai, como escravo, para saldar dívidas, embora tenha nascido livre. É levado para Lorena, São Paulo. Aos 18 anos, após aprender a ler com um hóspede de s...

Texto

Abrir módulo

Luiz Gonzaga Pinto da Gama (Salvador, Bahia, 1830 - São Paulo, São Paulo, 1882). Poeta, jornalista e advogado. Filho de mãe negra e pai fidalgo de família portuguesa, aos 10 anos é vendido pelo pai, como escravo, para saldar dívidas, embora tenha nascido livre. É levado para Lorena, São Paulo. Aos 18 anos, após aprender a ler com um hóspede de seu dono, foge para São Paulo e entra para a Guarda Municipal, da qual é expulso em 1854, acusado de insubordinação.

Em 1859, por ter boa letra, consegue trabalho como copista da Secretaria de Polícia, onde permanece até 1868, quando é demitido. Mesmo sem formação acadêmica, torna-se orador e conhecedor das leis assinadas em defesa dos negros, conseguindo a libertação de mais de 500 escravos até 1880.

Poeta, publica em 1859 as Primeiras Trovas Burlescas de Getulino, este o pseudônimo que adota. Jornalista, edita em 1864 um dos primeiros e mais importantes jornais ilustrados da época, o Diabo Coxo, em parceria com Sizenando Nabuco de Araújo (1842-1892) e o pintor e litógrafo italiano Ângelo Agostini (1833 - 1910). Também participa da criação dos jornais  como Cabrião, Radical Paulistano, O Polichinelo.

Fontes de pesquisa 8

Abrir módulo
  • AZEVEDO, Elciene. Orfeu de Carapinha. A trajetória de Luiz Gama na imperial cidade de São Paulo. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.
  • BRAZ, Júlio Emílio. Luiz Gama: de escravo a libertador. São Paulo: FTD, 1991. (Cinco Séculos de Resistência).
  • CAMARGO, Oswaldo de. O negro escrito: apontamentos sobre a presença do negro na literatura brasileira. São Paulo: Imprensa Oficial, 1987.
  • Diabo Coxo: São Paulo, 1864-1865. Redação Luís Gama e Sizenando Nabuco de Araújo; ilustração Ângelo Agostini; ed. fac-similar. São Paulo: Edusp, 2005. (Coleção Ad Litteram).
  • LESSA, Orígenes. Inácio da Catingueira e Luís Gama: dois poetas negros contra o racismo dos mestiços. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1982. (Literatura Popular em Verso. Estudos, Nova Série, 3).
  • MENNUCCI, Sud. O precursor do abolicionismo no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1938.
  • SANTOS, Arlindo Veiga dos. A lírica de Luís Gama. São Paulo: Editora Gráfica Atlântica, 1944.
  • SILVA, J. Romão da. Luís Gama e suas poesias satíricas. Rio de Janeiro: Editora Cátedra, 1981.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: