Ordenação

Tipo de Verbete

Filtros

Áreas de Expressão
Artes Visuais
Cinema
Dança
Literatura
Música
Teatro

Período

Temas


Enciclopédia Itaú Cultural
Artes visuais

Fagundes Varela

Por Editores da Enciclopédia Itaú Cultural
Última atualização: 28.01.2020
17.08.1841 Brasil / Rio de Janeiro / Rio Claro
18.02.1875 Brasil / Rio de Janeiro / Niterói
Reprodução Fotográfica Horst Merkel

Cantos e Fantasias, 1875
Fagundes Varela
Brasiliana Itaú/Acervo Banco Itaú

Luís Nicolau Fagundes Varela (Vila de São João Marcos, Rio de Janeiro, 1841 - Niterói, Rio de Janeiro, 1875). Poeta, contista e dramaturgo. Na infância tem intenso contato com a natureza, mais tarde cantada em seus versos. A partir de 1851, reside durante curtos períodos em Catalão (Goiás), Angra dos Reis, Petrópolis e Niterói (Rio de Janeiro) a...

Texto

Abrir módulo

Luís Nicolau Fagundes Varela (Vila de São João Marcos, Rio de Janeiro, 1841 - Niterói, Rio de Janeiro, 1875). Poeta, contista e dramaturgo. Na infância tem intenso contato com a natureza, mais tarde cantada em seus versos. A partir de 1851, reside durante curtos períodos em Catalão (Goiás), Angra dos Reis, Petrópolis e Niterói (Rio de Janeiro) até deixar o núcleo familiar, em 1859, para morar em São Paulo, onde realiza o preparatório para a Academia de Direito. 

Estreia como poeta em periódicos, sendo considerado sucessor de Álvares de Azevedo (1831-1852) por alguns grupos de acadêmicos boêmios que integra. Em 1861, escreve contos para o Correio Paulistano. No mesmo ano, sai seu primeiro volume de poesia, Noturnas, ao qual se seguem O Estandarte Auriverde (1863), Vozes d’América (1864) e Cantos e Fantasias (1865), publicações insuficientes para sanar suas dificuldades financeiras. 

Em 1865, enquanto cursa o terceiro ano de direito no Recife, recebe notícia da morte da esposa, Alice Guilhermina Luande (dois anos após a perda prematura do filho) e volta a São Paulo. Em 1866, desiste da formação e volta a Rio Claro. Em 1869, publica, Cantos Meridionais e Cantos do Ermo e da Cidade. Deixa, manuscritos como O Evangelho nas Selvas e Diário de Lázaro.

Análise

A obra poética de Fagundes Varela discorre sobre os mais diversos temas cultivados ao longo do romantismo brasileiro: o nacionalismo (nos poemas de O Estandarte Auriverde, por exemplo); o bucolismo, às vezes com oposição entre campo e cidade (O Sabiá, A Roça); o pessimismo (Desengano); a preocupação social (O Escravo); e a religiosidade (Cantos Religiosos); entre outros.

Tal diversidade desfavorece o consenso da crítica literária quanto ao traço mais marcante dessa produção. Assim, se Sílvio Romero (1851-1914) destaca a “morbidez inconsciente e irresistível”, Edgard Cavalheiro (1911-1958) ressalta a descrição da natureza e Antonio Candido (1918-2017) vê no acentuado “lirismo social” um motivo para preferir situar Varela na terceira geração romântica, e não na segunda (individualista, de assinalado desajuste entre sujeito e meio social), na qual o poeta figura na maioria dos manuais de literatura.

A crítica também debate a imitação de certas composições de antecessores como Gonçalves Dias (1823-1864) e o britânico Lord Byron (1788-1824). As posições vão desde a condenação da emulação como obstáculo à originalidade por José Veríssimo (1857-1916) até a defesa do poeta, por Péricles Eugênio da Silva Ramos (1919-1992). Entre o senso comum, no entanto, está o reconhecimento da cadência dos versos de Varela, nas várias métricas de que se serve, como uma das maiores expressões da musicalidade do verso romântico. E, também, a eleição de Cântico do Calvário, composição dedicada ao primeiro filho morto, como um dos mais belos poemas da literatura brasileira.

Seus contos, em parte de caráter misterioso, se limitam a menos de uma dezena e da sua dramaturgia resta o manuscrito A Morte do Capitão-Mor, guardado na Academia Brasileira de Letras (ABL).

Obras 2

Abrir módulo

Exposições 4

Abrir módulo

Eventos relacionados 1

Abrir módulo

Fontes de pesquisa 23

Abrir módulo
  • AZEVEDO, Vicente de Paulo Vicente de. A vida atormentada de Fagundes Varella. São Paulo: Martins, 1966.
  • BARROS, Frederico Pessoa de. Poesia e vida de Fagundes Varela. São Paulo: Editora das Américas, 1965.
  • CAVALHEIRO, Edgard. Fagundes Varela. São Paulo: Martins, [1940?].
  • CAVALHEIRO, Edgard. Fagundes Varela: o cantor da natureza. São Paulo: Melhoramentos, [1953].
  • GUERRA, Álvaro (org.). Fagundes Varela. São Paulo: Melhoramentos, [1923].
  • LIMA, Israel Souza. Biobibliografia dos patronos: Fagundes Varela e França Júnior. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras, 2003.
  • RAMOS, Péricles Eugênio da Silva. Introdução. In: VARELA, Fagundes. Poemas de Fagundes Varela. São Paulo: Cultrix, 1982. p. 9-36.
  • ROMERO, Sylvio. Evolução do lirismo brasileiro. Recife: F. B. Edelbrock, 1905. p. 80-94.
  • SECCHIN, Antonio Carlos. Poemas de oito faces. In: VARELA, Fagundes. Melhores poemas: Fagundes Varela. São Paulo: Global, 2005. p. 7-22.
  • TÁVORA, Franklin. Estudo crítico. In: VARELLA, L. N. Fagundes. Diário de Lázaro. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1880. p. V-LXVIII [XLVII].
  • VARELA, Fagundes. Fagundes Varela: poesia. Rio de Janeiro: Agir, 1957.
  • VARELA, Luís Nicolau Fagundes. Poesias completas de L. N. Fagundes Varela. v. 1. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1957.
  • VARELLA, Fagundes. Dispersos. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1970.
  • VARELLA, L. N. Fagundes; VARELLA, Ernestina Fagundes. Cantos religiosos. Rio de Janeiro: Eduardo & Henrique Laemmert, 1878.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Anchieta ou o evangelho nas selvas. Rio de Janeiro: Livraria Imperial de E. G. Possollo, 1875.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Cantos do ermo e da cidade. 2 ed. Rio de Janeiro: B. L. Garnier, 1880.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Cantos e fantasias. São Paulo: Garraux: De Lailhacar e Cia, 1865.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Cantos meridionais. Rio de Janeiro: Eduardo & Henrique Laemmert, 1869.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Diário de Lázaro. Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1880.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. O estandarte auriverde: cantos sobre a questão anglo-brasileira. São Paulo: Typ. Imparcial, de J. R. de A. Marques, 1863.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Obras completas de L. N. Fagundes Varella. v.1-3. Rio de Janeiro: B. L. Garnier, 1886.
  • VARELLA, Luiz N. Fagundes. Vozes d’América. São Paulo: Typ. Imparcial de J. R. de Azevedo Marques, 1864.
  • VILALVA, Mario. Fagundes Varella (sua vida, sua obras, sua glória). Rio de Janeiro: Empreza Graphica Editora, 1931.

Como citar

Abrir módulo

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo: